Adjetivos Pátrios


Como você já sabe, adjetivo é aquela palavra que dá uma qualidade ou defeito para o substantivo. Vale relembrar que a nossa língua portuguesa possui dez classes gramaticais e o adjetivo é uma delas. Aprendemos já no início do ensino fundamental frases como “a Ana é feliz”, “João é magro” e “o Sílvio Santos é rico”. Mas os adjetivos não se resumem a isso e podemos classificá-los em diversas categorias. Temos os adjetivos explicativos, restritivos, simples, compostos, primitivos, derivados, as locuções adjetivas e os adjetivos pátrios. E é este último que será nosso objeto de estudo neste artigo.adjetivos-patrios

Os adjetivos servem para indicar alguma qualidade para as pessoas ou coisas. Quando usamos o termo pátrio, a primeira coisa que vem à mente é pátria, que lembra o país de origem. Mas adjetivo pátrio não se restringe ao país de origem e serve para caracterizar onde a pessoa nasceu. Dependendo do país, estado, cidade, continente ou região, é possível qualificar a pessoa com uma palavra própria.

Os adjetivos pátrios também são conhecidos como adjetivos gentílicos – lembrando que até pouco tempo nossa gramática fazia uma diferenciação entre adjetivo pátrio e gentílico, onde o primeiro se referia apenas ao país e o segundo aos continentes, cidades, regiões, etc.

Entretanto, alguns gramáticos da nossa língua portuguesa fazem uma diferenciação entre estes termos, usando adjetivo gentílico para se referir apenas à raça da pessoa. Um exemplo clássico para isso é utilizar o adjetivo pátrio israelense para se referir a quem nasceu em Israel e utilizar o adjetivo gentílico israelita para se referir ao povo de Israel. Mas como não há consenso entre os autores, vamos considerar ambos como sinônimos.

Exemplos

Entendida a teoria, vamos a alguns exemplos práticos. Estudar adjetivo pátrio não é tão simples quanto parece. Todo mundo conhece o seu próprio adjetivo pátrio ou os das cidades mais conhecidas, porém, eles não seguem uma regra lógica.

Quem nasce em Curitiba é curitibano, quem nasce em Pernambuco é pernambucano, quem nasce no Acre é acreano. Estes casos são mais simples. Mas há casos específicos onde o adjetivo não se parece com a região citada. Quem nasce no Rio Grande do Sul é gaúcho, quem nasce no Espírito Santo é capixaba, quem nasce em Salvador é soteropolitano.

Outra característica importante é que nunca haverá um mesmo adjetivo gentílico para regiões diferentes, e isso inclui cidades e estados que possuem o mesmo nome. Por exemplo, os nascidos na cidade do Rio de Janeiro são chamados de cariocas, já aqueles que nasceram no estado do Rio de Janeiro são fluminenses. Da mesma forma como são paulistas os nascidos no estado de São Paulo e são paulistanos os provenientes de sua capital.

Os adjetivos pátrios do Brasil são mais fáceis de memorizar, afinal, lidamos com eles diariamente. Mas para todas as cidades e países do mundo há um adjetivo pátrio e é impossível saber todos eles. Por serem muito cobrados em provas e possuírem algumas características próprias, vamos conhecer alguns adjetivos pátrios estrangeiros.

Os nascidos nos Estados Unidos podem ser chamados de estadunidenses, ianques ou norte-americanos, que é a forma mais conhecida por nós. Já na Grécia nós utilizamos muito o termo grego, que é correto, mas eles também podem ser chamados de helênicoz. Outro adjetivo que é importante destacar é para os nascidos em Belém, na Palestina, que são chamados de belemitas, se diferenciando da Belém brasileira, onde os nascidos lá são belenenses.

Uma dica para descobrir todos os adjetivos pátrios que existem é utilizar o site “Wikipedia”. Todas as cidades, regiões, continentes e países estão presentes no site e basta fazer uma busca para encontrar todas as informações sobre o local pesquisado. Quando você pesquisa uma determinada região, encontrará um quadro à direita com informações resumidas sobre o local, sendo uma delas o gentílico.

Adjetivos pátrios compostos

É quando usamos as formas reduzidas para compor um adjetivo. Aqui nos referimos a mais de uma região ao mesmo tempo. Você já deve ter ouvido falar em literatura luso-brasileira, cultura afro-americana, povo belgo-francês, mercado hispano-americanos, entre outros. Para facilitar seu estudo, vamos ver alguns dos mais comuns:

• luso: Portugal;
• austro: Áustria;
• brasilo: Brasil;
• dano: Dinamarca;
• fino: Finlândia;
• germano ou teuto: Alemanha;
• nipo: Japão;
• sino: China.

Neste estudo você aprendeu a qualificar as pessoas de acordo com a região de onde elas vieram. Não é tão fácil estudar este conteúdo, principalmente pelo fato de não haver uma regra geral que defina cada um deles. Entretanto a dica é você estudar as exceções, pois são elas que são cobradas em prova. Outra dica é resolver diversas questões sobre o tema, pois isso facilitará a sua memorização. Vamos resolver uma delas.

(Prova de Analista de TI do CRECI RJ de 2016, banca MS Concursos)
Considerando os adjetivos pátrios, aquele que é natural da Finlândia, Israel, Estados Unidos, Singapura, França e Reino Unido denomina-se, na respectiva ordem:
a) Finlandino, israelense, norte-americano, singapurense, francês e reino-unidense.
b) Finlandês, israelense, americano, singapuranense, francês e reino-unidense.
c) Finlandino, israelita, estadunidense, singapurense, francês e britânico.
d) Finlandês, israelense, ianque, singapurense, francês e britânico.

Alternativa correta D. Em nosso estudo vimos que israelense se refere ao país Israel e também que quem nasceu nos Estados Unidos pode ser chamado de ianque. Como Finlandino com certeza não existe, a único alternativa que sobra é a D.