Adjunto Adverbial


Nesta aula falaremos sobre o adjunto adverbial, que faz parte da análise sintática da língua portuguesa. Aqui é importante relembrar as diferenças entre a análise sintática e a análise morfológica. Quando falamos de morfologia estamos pensando em classes gramaticais, como substantivos, verbos e advérbios. Já a sintaxe estuda a função que uma palavra tem dentro da frase ou oração. Neste caso estamos falando de sujeito, objeto direto e indireto e do próprio adjunto adverbial.adjunto-adverbial

O adjunto adverbial é uma palavra que tem como função modificar um verbo e indica a ele uma determinada circunstância. Uma característica do adjunto adverbial é que ele é um termo acessório, ou seja, ele não é essencial para a oração, podendo ser retirado da frase sem perder sua estrutura sintática. Mas ele é essencial para a compreensão da mensagem a ser transmitida. O adjunto adverbial é uma informação a mais para o verbo, adjetivo ou para outro adjunto adverbial. Veja estes exemplos:

– Rubens Barrichello correu muito.
– O bolo estava muito gostoso.
– Ele dirige muito bem.

Como você pode perceber a palavra “muito” nos três exemplos modifica o verbo, o adjetivo e o advérbio, respectivamente. Ele dá uma circunstância para a frase, mas se você removesse estas palavras, o sentido da frase não se alteraria.

Existem vários tipos de adjuntos adverbiais. Cada um deles indica uma determinada circunstância, como tempo, modo, lugar, causa, entre outros. Vamos ver cada um deles agora, seguido de exemplos em frases, para facilitar o seu entendimento.

Lista dos adjuntos adverbiais:

• Adjunto adverbial de causa: explica o motivo de determinada ação. Usamos as palavras porque, por causa de, devido a, entre outras.
– Me atrasei por causa do trânsito.
– Devido à chuva, não teve jogo.
– Fugiu do dentista por causa do medo.

• Adjunto adverbial de condição: condiciona algo na frase. Usamos expressões se, a menos que, desde que, caso, contanto que.
– Se você for reprovado, ficará triste.
– Você viajará, caso seja aprovado no vestibular.
– Contanto que se esforce, ganhará a promoção.

• Adjunto adverbial de concessão: quando a oração indica fatores contrários, como apesar de, embora, todavia, contudo, em que pese, mesmo que, ainda que, se bem que, muito embora, apesar disso.
– Fui aprovado, apesar de não ter estudado.
– Embora cansado, fiz a lição de casa.
– Errei várias questões, ainda que estivesse estudado.

• Adjunto adverbial de dúvida: talvez, acaso, por ventura, quem sabe.
– Talvez eu viaje com você.
– Quem sabe você seja aprovado.
– Vou à festa se por ventura ela for.

• Adjunto adverbial de finalidade: indica um fim, como a fim de que, para que, porque, para.
– Eu estudei para a prova.
– Fiz tudo por você.
Trabalho para que você tenha as coisas.

• Adjunto adverbial de intensidade: serve para dar mais ênfase ao termo, utilizando as expressões muito, quanto, que, demais.
– Você é muito bonita.
– Você é feio demais.
– Quantas lembranças eu tenho disso.

• Adjunto adverbial de lugar: indica um lugar. Para isso usamos as expressões aqui, ali, lá.
– Vamos ficar aqui.
– Ali está ele.
– Maria mora lá.

• Adjunto adverbial de modo: indica a forma como algo está na oração. Usa-se os termos bem, mal, devagar, depressa ou palavras acabando com sufixo -mente, como em carinhosamente, intensamente, vagarosamente.
– Ela canta mal.
– Viveu intensamente.
– Me abraçou carinhosamente.

• Adjunto adverbial de tempo: situa-se no tempo, através dos termos hoje, amanhã, logo, cedo, tarde, ontem, agora.
– Amanhã viajaremos.
– Ontem acordei tarde.
– Agora vou dormir.

• Adjunto Adverbial de negação: nega a oração, utilizando os termos não, jamais, nunca, em hipótese alguma.
– Jamais faça isso.
– Nunca mais vou correr.
– Em hipótese alguma aperte este botão.

• Adjunto adverbial de afirmação: afirma algo com termos sim, com certeza.
– Com certeza serei aprovado.
– Pode ir sim.

• Adjunto adverbial de meio: indica a forma como a ação ocorrerá. – Pelo correio, de ônibus, de carro.
– Mande a carta pelo correio.
– Fui de táxi.

• Adjunto adverbial de assunto: sobre política, a respeito de.
– Não falo sobre política.
– Vamos falar a respeito deste assunto.

• Adjunto adverbial de companhia: indica com quem está ou irá fazer algo. Junto com, com, na companhia de.
– Eu não estava junto com a Maria.
– Moro com meus pais.
– Vou falar com o vereador.

• Adjunto adverbial de direção: mostra para onde o verbo ou adjetivo está se dirigindo. Pode ser para cima, abaixo, para o lado.
– Jogou a bola para cima.
– Virou para o lado esquerdo.

• Adjunto adverbial de exclusão: quando excluímos algo da oração usando as expressões menos, com exceção de, exceto, somente, unicamente, exclusivamente.
– Todos foram aprovados, menos a Maria.
– Somente Pedro irá viajar.
– Todos irão para a escola, exceto eu.

• Adjunto adverbial de frequência: diariamente, frequentemente, mensalmente.
– Viajo frequentemente.
– Anualmente pago o IPVA e o IPTU.
– Pagarei este boleto mensalmente.

• Adjunto adverbial de instrumento: indica com que instrumento determinada ação foi executada. De faca, à caneta, com uma tesoura, com uma pá.
– Escreveu o texto à caneta.
– Cortou todo o livro com uma tesoura.