Características do pretérito perfeito e do imperfeito


O estudo dos verbos está dividido em três partes. A primeira parte estudamos o presente do indicativo e seus derivados. Em seguida, aparecem os verbos do pretérito perfeito e seus derivados e por último, as embreagens verbais. No final da terceira parte, aparecem as tabelas de conjugação e informações complementares sobre os verbos regulares, anômalos, irregulares, defectivos, tempos compostos e verbos pronominais.

Nos exames modernos de vestibulares, está sendo cobrado não apenas a conjugação do verbo, mas também o emprego dos tempos, o paralelismo verbal e o uso figurado dos mesmos, os chamados embreagens verbais. Na conjugação, o destaque fica a caro do imperativo e para o futuro do subjuntivo.

pretérito perfeito e do imperfeito

Vale lembrar que os verbos fazem parte de uma classe gramatical que tem como objetivo, expressar o tempo, ou seja, o passado, o presente ou o futuro. O modo dos tempos verbais expressam a maneira como ação pode se realizar. O modo indicativo expressa certeza, o modo subjuntivo expressa uma dúvida e o imperativo expressa um pedido, uma ordem.

O pretérito perfeito

O pretérito perfeito simples indica uma ação concluída, encerrada, pontual (Ele jantou no clube). Para que ele possa expressar uma ação contínua ou repetida, é preciso que haja advérbios ou locuções adverbiais (Ele jantou no clube todos os domingos). É muito frequente o uso do perfeito no lugar do futuro do presente composto (Quando ele chegar, eu já jantei = já terei jantado). No que diz respeito às diferenças entre o pretérito perfeito do indicativo e o pretérito imperfeito do indicativo, observe os exemplos abaixo:

O garoto disse que bateu o carro do pai. (pretérito perfeito)

O garoto disse que batia o carro do pai. (pretérito imperfeito)

O perfeito indica um fato não habitual, pontual (bateu). Já o imperfeito, um fato habitual (batia). O imperfeito, nesse caso, constitui um agravante para o garoto. Quando à conjugação do perfeito, é preciso tomar cuidado com a primeira do singular e com a terceira do singular, já que em alguns verbos a terminação é diferente:

A terminação dos verbos regulares no pretérito perfeito é respectivamente i – ste – u – mos – stes – ram. A irregularidade de um verbo pode estar no radical (caber – caibo) ou na terminação (não segue a dos regulares: ele vende – ele requer).

Derivados do pretérito perfeito

Nessa segunda parte estudaremos o pretérito perfeito do indicativo e seus derivados: o pretérito mais que perfeito, o pretérito imperfeito do subjuntivo e o futuro do subjuntivo. Há um esquema de derivação no português que permite que o aluno não precise decorar todas as conjugações. Veja abaixo:

1. Conjuga-se a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo do verbo desejado. Exemplo:

Ver

Vir

Ter

Pôr

Viste

Vieste

Tiveste

Puseste

2. Retira-se a desinência STE:

Ver

Vir

Ter

Pôr

Viste = vi

Vieste = vie

Tiveste = tive

Puseste = puse

3. Acrescenta-se ao tema a desinência modo-temporal dos tempos desejados: pretérito mais que perfeito (RA), pretérito imperfeito do subjuntivo (SSE) e futuro do subjuntivo (R).

Pretérito mais que perfeito

Ver

Vir

Ter

Pôr

Vi + ra = vira

Vie + ra = viera

Tive + ra = tivera

Puse + ra = pusera

Pretérito imperfeito do subjuntivo

Ver

Vir

Ter

Pôr

Vi + sse = visse

Vie + sse = viesse

Tive + sse = tivesse

Puse + sse = pusesse

Futuro do subjuntivo

Ver

Vir

Ter

Pôr

Vi + r = vir

Vie + r = vier

Tive + r = tiver

Puse + r = puser

O futuro do subjuntivo possui a mesma forma do infinitivo pessoal para verbos regulares, mas difere no radical para alguns verbos irregulares.

A. Pretérito mais que perfeito

A conjugação do verbo do pretérito mais que perfeito, obtém-se a partir do tema perfeito, mais ra, ras, ra, ramos, reis, ram:

O mais que perfeito indica uma ação no passado anterior a outra ação já passada. Expressa, como o perfeito, um passado pontual, encerrado. Exemplo:

Quando Mariana chegou, José já jantara.

A ação de jantar é anterior à de chegar, sendo que esta também é passado. A forma jantara pode ser substituída por tinha jantado (vide tempos compostos).

B. Pretérito imperfeito do subjuntivo

O imperfeito do subjuntivo é formado pelo tema do perfeito mais as terminações sse, sses, sse, ssemos, sseis, ssem:

O imperfeito pode expressar probabilidade, desejo, sentimento, etc. Embora seja pretérito, este tempo pode remeter ao presente, passado ou futuro.