Classificação, Flexão e Gênero dos Substantivos


Quando pensamos em língua portuguesa, um nó se dá em nossas cabeças. São tantas denominações, números e conjugações que fica difícil não se assustar, mas a verdade é que o português é mais simples do que imaginamos e, para isso, basta nos darmos conta do que cada coisa é e como ela funciona.

Por exemplo: sabemos que tudo o que existe no mundo é um ser e, como ser, cada coisa tem o seu nome. Quem dá nome a cada um dos seres e faz deles algo diferente é o substantivo, que nada mais é do que as palavras que usamos para realizar essas nominações e que, além de possuírem classificação, também se flexionam em grau, número e gênero.

Gênero dos Substantivos

Assim, nós sabemos que o substantivo dá nome às ações como pescaria e caminhada; aos sentimentos como raiva e paixão; aos lugares como Portugal e Pirituba; aos estados como euforia e tristeza; e também às qualidades como bondoso, amoroso, entre outros.

Nós sabemos também que o substantivo está diretamente ligados aos verbos, na maioria das orações da língua e que, por isso, ele pode atuar como complemento verbal, agente da passiva, núcleo nominal, aposto, núcleo do vocativo e muito mais.

A classificação dos substantivos

Assim como os adjetivos e verbos, os substantivos também são classificados e podem ser simples, comuns, próprios, primitivos, derivados, compostos ou coletivos.

Os substantivos comuns são aqueles que têm como função definir e nomear qualquer ser de uma mesma espécie de forma genérica, ou seja, sem distinção. É, por exemplo, a palavra vila. Que significa no dicionário uma povoação de maior importância e tamanha do que uma aldeia, mas menor do que uma cidade ou ainda uma casa de campo, mais ou menos elegante e que é própria para recreio.

Essa definição do dicionário é algo genérico a respeito do amontoado de casas e pessoas maior que uma aldeia e menor que uma cidade e que por ser genérica torna a palavra vila em um substantivo comum.

Já o substantivo próprio nomeia apenas um único ser da espécie. Por exemplo: se tomarmos as cidades como exemplo, São Paulo é, portanto, um substantivo próprio já que é a nomeação de uma única cidade.

Os substantivos ainda podem ser classificados como concretos e que fazem menção aqueles seres ou até mesmo objetos que são independentes, ou seja, que não precisam de outros seres para viver, como a palavra mulher, cobra, fantasma. Esse último mostra ainda que os substantivos concretos são os responsáveis por designar também seres mitológicos e imaginários.

Já os substantivos abstratos são aqueles que fazem a designação de todas as coisas que necessitam de outras para existir e que, por isso, são as ações, sentimentos, estados ou qualidades. Como, por exemplo, a palavra amor. Ela não existe sozinha já que para sentir amor é preciso um objeto ou pessoa para ser amado.

O mais simples de classificar e entender é o substantivo coletivo, que nada mais é do que o nome dado a um conjunto de seres da mesma espécie, assim como o substantivo comum. Ele normalmente agrupa os seres do mesmo gênero em grupo, como no caso da palavra alcateia, que significa um conjunto de lobos. Ou o enxame, que é o substantivo coletivo que denomina o conjunto de abelhas.

Além disso, conseguimos definir o substantivo quanto ao seu radical. Por exemplo: se ele possuir apenas um radical, o chamamos de substantivo simples, como no caso da palavra sol. Já se ele é composto por dois radicais, o chamamos de substantivo composto, como o guarda-sol.

Já quanto a ser primitivo ou derivado, a classificação acontece da seguinte forma: se for um substantivo único que não tenha derivado de nenhum outro, ele é chamado de primitivo, como a palavra feliz. Já se ele deriva de outro substantivo, o classificamos como derivado, como no caso de felicidade.

Flexão e gênero dos substantivos

A flexão do substantivo é bem simples e pode ser feita em gênero, para aqueles que podem ser precedidos de artigo feminino ou masculino. Quando precedidos de a, as, umas o substantivo é feminino, quando precedido de o, os uns e um o substantivo é masculino.

Além disso, eles podem ser uniformes ou biformes. No primeiro caso, designa tudo aquilo que tem forma única, como a palavra criança, que é usada tanto para o feminino, quanto para o masculino. Já no segundo caso, a designação é por aquilo que possui duas formas, como as palavras Presidente e Presidenta.

São ainda substantivos uniformes os epicenos, todos aqueles que se referem a animais cujo o macho e a fêmea possuem a mesma denominação, como no caso de jacaré, e também a palavra criança.

Além disso, nós podemos ainda classificar os substantivos em normais, aumentativo ou diminutivo. Nesses casos, eles se flexionam de maneiras diferentes, como, por exemplo, a palavra Povo, que é um substantivo normal, mas que pode ser flexionado como aumentativo quando usamos gentalha ou em diminutivo quando usamos gentinha.