Colocação Pronominal: Próclise, Ênclise e Mesóclise


A língua portuguesa é um dos idiomas mais complicados do mundo para se aprender. É por isso que muitas pessoas que falam inglês, francês ou alemão como língua materna têm dificuldades para distinguir nossos tempos verbais, pronomes, adjetivos e gêneros. São tantas regras específicas em cada tipo de verbo que fica realmente difícil saber quando usar um termo ou outro.

Entre as classes gramaticais, há algumas que reúnem mais regras do que outras e são diferenciadas por várias possibilidades dentro de infinitas frases, os pronomes podem parecer palavras simples e pequenas, mas fazem a diferença na hora de escrever ou falar uma frase de forma correta para dar concordância com a ideia que se pretende transmitir.

Colocação Pronominal

A colocação pronominal é essencial para a boa comunicação. O pronome pode estar em três lugares numa frase: antes do verbo (próclise), no meio do verbo (mesóclise) ou depois do verbo (ênclise). Veja as situações em que se devem utilizar os pronomes oblíquos átonos nos seus devidos lugares.

• Próclise: as próclises se caracterizam pela presença de um pronome antes do verbo na frase. Exemplo: Aqui se faz, aqui se paga. Este ditado é um exemplo clássico da utilização do pronome oblíquo átono “se”. Neste caso, como está precedido de um advérbio (aqui), deve-se utilizar a próclise. É necessário utilizar próclise nas seguintes situações:

– Palavras negativas ou interrogativas ou exclamativas: “não se deve mexer em nada”; “quando se pode sair?”;

– Com pronomes relativos, indefinidos e demonstrativos: “quem me chamou?”; “alguém lhe permitirá fazer isso”;

– Verbos proparoxítonos: “enquanto a ajudávamos”;

– Com advérbios: “Talvez ela o abrace”;

– Gerúndio precedido de “em”: esta é uma situação mais rara, veja: “em se tratando de humildade, ela é a melhor”;

– Com conjunções subordinativas: “se isso me for agradável, comprarei”;

O uso da próclise é o mais comum, já que compreende todos os tempos conjugações verbais. É necessário observar qual o sentido da frase para saber como utilizar a próclise de forma que o texto ou a frase tenham concordância e coesão.

• Mesóclise: a mesóclise ocorre apenas nos tempos verbais “futuro do presente” e “futuro do pretérito”. Por conta disso, sua utilização está mais ligada ao uso da norma culta da língua portuguesa e pouco se ouve este tipo de expressão no cotidiano informal das pessoas. O uso da mesóclise indica que o pronome oblíquo átono está no meio do verbo. Veja os exemplos:

– No futuro do pretérito: “arruinar-me-iam os negócios caso assumissem o controle”;

– No futuro do presente: “lavar-se-ão as pessoas que estiverem sujas de tinta”;

Como visto, a mesóclise é um tipo de colocação pronominal pouco utilizado no cotidiano, mas desempenha papel importante quando é necessária.

• Ênclise: a ênclise é o ato de colocar o pronome oblíquo átono depois do verbo. É possível utilizar a ênclise em qualquer conjugação verbal, com exceção dos tempos “futuro do presente” e “futuro do pretérito” e do verbo na forma de particípio. É possível utilizar a ênclise com verbos no particípio apenas quando ele estiver numa locução verbal. No entanto, para saber a colocação pronominal numa frase é necessário saber o seu sentido e significado. Veja em quais situações é possível o uso da ênclise:

– Verbo no início de uma frase: “analisaram-lhe antes da contratação”; “entregue-a ao seu supervisor”;

– Gerúndio: “ele melhorou a potência intensificando-a”;

– Verbo no infinitivo: “cobri-la pode aumentar a temperatura”;

– Imperativo afirmativo: “homens, mexam-se!”.

É muito fácil confundir a hora de utilizar a próclise e a ênclise. Há muitas situações dentro da língua portuguesa que podem ser entendidas de duas formas diferentes e, no geral, há frases que podem ser ditas ou escritas de várias maneiras. Desta forma, o entendimento das regras fica realmente mais confuso, principalmente para quem possui dificuldade para gravar tais regras.

A colocação pronominal ao longo dos anos

A língua portuguesa falada no Brasil é sutilmente diferente da que é falada em outros países de origem portuguesa, como Angola e até mesmo Portugal. As influências de outras línguas e também da forma como os termos eram utilizados fez com que a colocação pronominal sofresse alterações ao longo da história.

Até hoje a colocação pronominal pode ser diferente em alguns lugares de Portugal, graças a grande variedade de miscigenações na língua portuguesa falada lá. Com a recente reforma da língua portuguesa, muitos termos mudaram e, como o português de Portugal era muito diferente do nosso, alguns tempos verbais e outras características da língua acabaram mudando. Foi o caso da colocação pronominal em algumas situações. Logo, é compreensível que ainda haja contradições na forma de utilização de alguns pronomes oblíquos átonos em frases ditas e escritas, tanto aqui quanto em Portugal.

Para quem quer ter sempre certeza de que está utilizando tais pronomes de forma correta, ter um dicionário e consultá-lo sempre que necessário, é a maneira mais garantida de falar e de escrever o português de forma perfeita.