Do que se trata a Concordância Verbal: Casos com mais de um Sujeito


Antes de mais nada, para garantir uma compreensão completa sobre este assunto, devemos retomar o significado de oração: um enunciado linguístico composto por sujeito, verbo e complemento. Pois bem, a concordância verbal é um mecanismo que se dá dentro das orações, quando o verbo precisa ser flexionado para concordar com o sujeito ao qual se refere.

do-que-se-trata-a-concordancia-verbal-casos-com-mais-de-um-sujeito

Por exemplo, você estranhará se ouvir alguém dizer: “os meninos comprou bala”, porque a concordância da oração está inadequada. Nesse caso, o sujeito é “os meninos”, que equivale a “eles”, terceira pessoa do plural, por isso, o verbo também precisa estar nessa mesma conjugação para concordar com o sujeito. A terceira pessoa do plural do verbo “comprar” é “compraram”, por isso, o correto seria: “os meninos compraram bala”.

Agora vamos falar de concordância Verbal – casos com mais de um sujeito, que exige um pouco mais de atenção. Quando temos apenas um sujeito na frase, a concordância é muito simples, pois basicamente é necessário constatar se o sujeito está no singular ou no plural e qual é a pessoa, para que o verbo fique da mesma forma.

Mas na concordância Verbal – casos com mais de um sujeito, nós temos mais de um sujeito praticando a mesma ação ou no mesmo estado. Isso quer dizer que um mesmo verbo precisa concordar com sujeitos diferentes, o que costuma causar dúvidas em muitos estudantes!

Antes de explicar como concordar o verbo com mais de um sujeito, uma dica importante pode colaborar: fique atento ao seu ouvido! Quando estiver tentando fazer a concordância verbal, leia a oração em voz alta, se soar estranho, é bem possível que tenha alguma coisa errada. Nosso ouvido dificilmente se engana, sobretudo se estiver acostumado a ouvir a concordância correta.

Como funciona a concordância Verbal – casos com mais de um sujeito?

Depois de relembrar o que é oração e compreender o que significa concordar verbalmente, vamos para as técnicas de concordância Verbal – casos com mais de um sujeito. Quando há mais de um sujeito para um único verbo e juntos os sujeitos formam a terceira pessoa do plural, o verbo ficará nessa mesma pessoa, como no caso abaixo:

• A professora e o aluno escreveram a redação juntos.

Tanto “a professora” quanto “o aluno” são os sujeitos do verbo “escrever”, por isso, ele ficou no plural para que pudesse concordar com ambos. “A professora e o aluno” podem ser substituídos por “eles”, por isso, o verbo foi para a terceira pessoa do plural. Vamos ver mais um exemplo:

• Aquela moça e aquele rapaz são amigos.

Quando houver dois sujeitos, que juntos formem a primeira pessoa do plural, “nós”, o verbo também deve ser conjugado de acordo com essa pessoa:

• Minha mãe e eu vamos ao shopping.

Dizer “minha mãe e eu” é equivalente a “nós”, por isso, o verbo deve estar flexionado de acordo com a primeira pessoa do plural.

Nas orações em que houver mais de um sujeito e aparecer a segunda pessoa do plural, ou seja, “vós”, o verbo pode ser conjugado tanto na segunda, quanto na terceira pessoa do plural, como nos exemplos a seguir:

• Tu e ele fostes ao zoológico?
• Tu e ele foram ao zoológico?

“Tu e ele” é equivalente a “vós”, portanto, nesses casos, podemos dizer que a segunda pessoa do plural se manifestou, possibilitando essas duas conjugações.

A maior dica para fazer a concordância verbal nas orações com mais de um sujeito é observar os dois sujeitos juntos e tentar substituir esse conjunto por um dos pronomes pessoais do caso reto (eu, tu, ele, nós, vós e eles). Depois, é só colocar o verbo na conjugação do pronome e a oração estará com a concordância correta!

Quando a oração estiver na ordem indireta, ou seja, quando o verbo vier antes dos sujeitos, existem duas possibilidades: você pode seguir as regras explicadas acima ou concordar o verbo com o sujeito que estiver mais próximo a ele. As duas formas estão corretas, como a seguir:

• Faremos eu e meus amigos uma excursão na próxima semana.
• Farei eu e meus amigos uma excursão na próxima semana.

O sujeito “eu e meus amigos” é equivalente ao sujeito “nós”. Na primeira sentença, o verbo concordou com o conjunto de sujeitos, indo, dessa forma, para a primeira pessoa do plural. Já na segunda afirmação, o verbo permaneceu na primeira pessoa do singular, concordando com o pronome “eu”, que é o que está mais próximo a ele.

A concordância Verbal – casos com mais de um sujeito não tem segredo, basta separar o que é sujeito e verbo e compreender quem é esse sujeito, para então conjugar.

Diante dessas explicações, não erre mais a concordância Verbal em casos com mais de um sujeito!