Erros gramaticais


Em um determinado idioma – assim como acontece também com a língua portuguesa – existem várias formas de falar, que dependem de inúmeros fatores como: localização geográfica do próprio falante e/ou receptor, a faixa etária, nível socioeconômico e de escolaridade, nível social, situação a qual se expõe na sociedade, e assim por diante.

Dentro de todos esses fatores, existe um que se institui como a linguagem padrão, que consiste no modo mais formal do uso da língua. Ele é usado principalmente por indivíduos de maior prestígio em um determinado grupo social.

E é exatamente nesse sentido que surge a gramática, sendo ela originada da necessidade de sistematizar a língua padrão, criando algumas normas e regras sobre o que é certo ou errado no idioma. Tais regrinhas, por sua vez, sempre estão sujeitas a alguns desvios principalmente com base na heterogeneidade da fala.

Erros

Existe certo ou errado?

Se fossemos criar um conceito para o que é certo e o que é errado na língua portuguesa, o primeiro passo seria definir que:

• Correto – é todo e qualquer uso linguístico que tem como base as normas e regras da linguagem padrão;

• Errado – todo e qualquer uso linguístico que não segue com as normas pré-dispostas pela gramática.

Mesmo que os erros gramaticais estejam presentes nas mais variadas “camadas” da nossa língua – uma vez que a gramática normativa não tem como base as situações de fala -, nós podemos determinar alguns modelos que ocorram com maior frequência, tendo sempre como base a linguagem em seu formato de escrita.

Vamos conhecer os principais tipos de erros gramaticais do nosso cotidiano?

Os erros gramaticais mais comuns

1. Erros de grafia

Estes tipos de erros são comuns independentemente do tipo de construção. Alguns exemplos são:

– Vou à panificadora comprar queijo e mortandela. O correto seria “mortadela”;

– Para entender melhor, consulte um adevogado. O coreto seria: advogado, falando também com o ‘d’ mudo;

– Hoje à noite vou cozinhar algumas salchichas. O correto, nesse caso, seria salsicha.

2. Erros relacionados com a impropriedade vocabular

Esses erros gramaticais acontecem quando se usa uma palavra para substituir outra e, nesse caso, ocorre uma associação falsa na criação de sentido para ela.

Alguns exemplos:

– A polícia pegou o bandido em fragrante. O correto seria flagrante;

Os índios são extremamente descriminados no Brasil. O correto seria discriminado.

3. Erros de acentuação

Esse tipo de erro pode ocorrer por dois motivos. O primeiro é pelo próprio desconhecimento nas regras ortográficas atuais, sendo um exemplo:

– “Fui à farmácia, comprei e encontrei vários ítens aleatórios”. Nesse caso, a palavra item não é acentuada.

O segundo tipo de erro é baseado no desconhecimento da posição certa para colocar o assento, ou seja, o indivíduo não reconhece a sílaba tônica. Um exemplo:

– “Os relatórios foram assinados com rúbricas falsas”. Nesse caso, rubrica é paroxítona e não conta com assento.

4. Erros gramaticais no uso da crase

Nesse sentido, elas também ocorrem de duas diferentes formas.

– O assento é omitido em situações que deveria ser empregado. “O projeto ajuda as vítimas de violência doméstica”.

Nesse sentido, o projeto ajuda a quem? “Às” vítimas de violência doméstica.

– No segundo caso, o acento pode ser empregado em um lugar que não demanda do mesmo, como no exemplo: “Bom dia à todos”. As palavras masculinas, como é o caso de “todos”, não podem ser antecipadas pela crase.

5. Erros no uso dos pronomes

Nesse caso, o erro gramatical ocorre quando um pronome com função de objeto é utilizado em substituição de um pronome com função de sujeito. O contrário também ocorre:

– “Comprei esse café para eu”. O correto seria: para mim.

– “Vou levar essa pulseira para mim usar na faculdade”. O correto aqui seria “para eu” usar.

6. Erros de morfologia

Esses erros são frequentes tanto no emprego dos adjetivos como também substantivos, sendo eles encontrados de duas formas:

– Em formato plural para os nomes compostos. Ex: Os dois páras-choques das motos foram quebrados”. Nesse sentido, o certo seria: “para-choques”.

E também no próprio gênero dos substantivos, como em: “pedi para minha filha levar uma guaraná para mim”. A palavra guaraná é masculina, por isso, o correto seria “um” guaraná.

7. Erros na regência dos verbos

Um simples exemplo seria:

• “Meus filhos assistiam o desenho”. O certo seria “assistiam ao desenho”.

8. Erros de concordância – tanto nominal como verbal

Nesse caso, um exemplo seria:

– “Poderá ocorrer novas modalidades esportivas”. Nesse caso, o certo seria: “Poderão ocorrer novas modalidades esportivas”.

9. Erro gramatical na colocação pronominal.

Nesse sentido, um bom exemplo: “Enviaremos até amanhã todos os pedidos que encomendaram-nos”. O correto seria “nos encomendaram”.

10. Erros no uso dos verbos

Por fim, no que se refere aos verbos, os erros gramaticais são bem constantes e podem ter três diferentes origens: erro no tempo verbal, na conjugação verbal ou no próprio modo verbal.