Flexão de Número e Pessoa nos Verbos, Verbos Regulares e Irregulares


O verbo é a classe de palavras que apresenta o maior número de flexões, o que explica sua importância na língua portuguesa, pois suas flexões indicam uma série de fenómenos e processos que estruturam o pensamento. Pode indicar uma ação, um estado ou um fenômeno da natureza. É uma palavra variável que pode vir precedida pelos pronomes pessoais e que se flexiona em número, modo, tempo e voz (ativa, passiva e reflexiva).

Flexão de Número e Pessoa nos Verbos

Flexão de número e pessoa

A indicação de singular ou plural se dá pela pessoa gramatical à qual o verbo se refere: primeira, segunda e terceira pessoas do singular e do plural.

l*   Identifique as pessoas gramaticais na conjugação a seguir.
______ estudo
______ estudas
______ estuda
______ estudamos
______ estudais
______ estudam

Flexão de modo

•         Indicativo – indica a ação de modo preciso.
•         Subjuntivo – indica a ação de modo incerto, apresentando um fato condicionado a outro.
•         Imperativo – indica uma ordem.

Flexão de tempo

São três tempos básicos: antes, durante e depois, ou seja, pretérito, presente e futuro. A indicação de tempo está normalmente ligada à de modo e apresenta, com exceção do presente do indicativo, subdivisões.

Pretérito

•         Imperfeito – dois fatos que ocorrem ao mesmo tempo no passado. O aluno estudava a matéria quando o professor entrou.
•         Perfeito – ação anterior ao momento da fala e já terminada. O aluno estudou a matéria.
•         Mais-que-perfeito – ação anterior à do pretérito perfeito. O aluno estudara a matéria quando o professor entrou.

Futuro

•         Futuro do presente – ação que será realizada logo após o momento da fala. O aluno estudará a matéria.
•         Futuro do pretérito – indica ação posterior à outra já acontecida no passado. O aluno falou ao professor que estudaria a matéria.

Presente

MODO INDICATIVO

pretérito
imperfeito
mais-que-perfeito

futuro
do presente
do pretérito
presente

MODO SUBJUNTIVO

pretérito imperfeito
futuro

MODO IMPERATIVO

presente
afirmativo
negativo

Formas nominais infinitivo

Indica a ação propriamente dita sem situá-la no tempo, podendo ter valor de substantivo. Pode também apresentar flexão de pessoa, originando duas formas:
•         Infinitivo impessoal – é a forma não conjugada no presente ou no passado. É preciso estudar a matéria.
•         Infinitivo pessoal – é conjugado nas três pessoas do discurso. O remédio era estudarmos em casa. Indica um processo verbal em curso, podendo funcionar como adjetivo ou advérbio. É formado com a desinência -ndo. O aluno está estudando a matéria.

Expressa o resultado de uma ação terminada, desempenhando função semelhante à do adjetivo. Estudada a matéria, o aluno sentiu-se preparado para a prova.

Verbos regulares

São aqueles que não sofrem alteração no radical quando se flexionam. Tomando-se como exemplo o verbo terminar, a terminação é ar e o radical, termin-. Terminassem. Observe que o radical não muda. E isso acontece em todos os tempos e modos. Trata-se, portanto, de um verbo regular. As desinências verbais, que apresentamos no quadro a seguir, são as mesmas para todos os verbos regulares.

Verbos irregulares

Não seguem os paradigmas das conjugações, apresentando alterações ou no radical ou nas desinências. A seguir estão alguns verbos e suas principais irregularidades em alguns tempos.

Presente do indicativo

Presente do subjuntivo

peço
pedes
pede
pedimos
pedis
pedem

peça
peças
peça
peçamos
peçais
peçam

Verbos anômalos

São verbos que apresentam irregularidades muito acentuadas: ser, ir, ter, vir, pôr e haver.

Verbos defectíveis

São os que não têm a conjugação completa. Alguns tempos, modos ou pessoas inexistem. A maioria pertence à terceira conjugação. Podem ser reunidos em três grupos, os quais são apresentados a seguir.
•         Os que não têm a primeira pessoa do presente do indicativo, nem presente do subjuntivo, nem imperativo negativo e apenas as segundas pessoas do imperativo afirmativo. Os mais usuais são: abolir, aturdir, banir, colorir, demolir, exaurir.
•         Os que, no presente do indicativo, só apresentam as formas arrizotônicas, não têm presente do subjuntivo nem imperativo negativo e apenas a segunda pessoa do plural do imperativo afirmativo. Os mais usuais são: falir e foragir-se.
•         Os verbos   adequar, precaver e reaver que no presente do indicativo só são conjugados nas formas arrizotônicas. O verbo reaver é conjugado como o verbo haver, mas só existem as formas com a letra v.

Verbos abundantes

São os que apresentam mais de uma forma para o particípio: uma regular com terminação -do e outra irregular

Verbos auxiliares

São os que, combinados com as formas nominais de um outro verbo, entram na construção das locuções verbais, ou seja, da voz passiva analítica e dos tempos compostos. São eles: ser, estar, ter, haver. Há outros que podem exercer a mesma função, como andar, ir, dever, querer, etc.