Modo Imperativo: Emprego


Nosso assunto de hoje é o emprego do modo imperativo na língua portuguesa. Como já sabemos, esse modo verbal é utilizado para expressar uma ordem, um pedido ou ainda uma exortação. Sendo assim, no imperativo, o sujeito da frase sempre irá se dirigir a um interlocutor, e portanto, não admite a primeira pessoa do singular. Afinal, essa ordem ou pedido sempre será dirigida a alguém.

O modo imperativo é empregado de duas formas, no afirmativo e no negativo. Para exemplificar, vamos usar o verbo “cantar”:

Imperativo Afirmativo: Canta tu/cante ele/cantemos nós/cantai vós/cantem eles
Imperativo Negativo: não cantes tu/não cante ele/não cantemos nós/não canteis vós/não cantem eles

Modo Imperativo

Para entendermos melhor seu emprego, vamos relembrar rapidamente como o modo imperativo é formado na língua portuguesa. O imperativo afirmativo tem formas próprias apenas nas segundas pessoas, ou seja, para “tu” e para “vós”. Para as demais pessoas, “ele”, “nós” e “eles”, a forma será idêntica às do presente do modo subjuntivo.

Já para o imperativo negativo, esse modo não possui nenhuma forma própria, em nenhuma das pessoas, e todas as suas formas são idênticas à do presente do subjuntivo.

É neste ponto que surgem algumas dúvidas e confusões, mas a regra é simples: basta lembrar que o imperativo expressa uma ordem, um comando. Já o subjuntivo, que irá compor o imperativo negativo e algumas pessoas do imperativo afirmativo, expressa uma vontade, um desejo.

EMPREGO DO MODO IMPERATIVO

Tanto o Imperativo Afirmativo quanto o Negativo são usados em orações absolutas, orações coordenadas ou em orações principais. Sua utilização exprime:

– Ordem ou Comando. Exemplo: Tire já essas roupas sujas de cima da cama!

– Conselho ou Exortação. Exemplo: Não falte, é seu primeiro dia de trabalho.

– Solicitação ou Convite. Exemplo: Cantem todos, cantem!

– Súplica. Exemplo: Não me abandone, por favor!

– Sugerir uma hipótese: neste caso, o imperativo pode ser usado, e substituirá as asserções condicionais, que são expressas do seguinte modo (se + futuro do subjuntivo). Exemplo: Adquira essa mercadoria e não se arrependerá. Neste exemplo, a frase substituirá essa: Se você adquirir essa mercadoria, não se arrependerá.

Importante: lembre sempre que a intenção nas frases imperativas estará sempre ligada ao tom e ao contexto que a frase quer exprimir. Dependendo de como é dada a entonação, o que era pra exprimir comando pode se transformar em súplica e vice-versa. Aconselha-se então uma análise não só da sintaxe e da morfologia, mas também do contexto e da entonação que a frase tem no texto como um todo. Portanto, leia a frase em voz alta algumas vezes e leve em consideração o contexto em que está inserida.

EMPREGO DO MODO IMPERATIVO: OUTRAS MANEIRAS

O modo imperativo pode ser utilizado também de algumas outras maneiras, por exemplo:

– Para emitirmos uma ordem, ou comando, pode-se utilizar frases nominais ou ainda interjeições. Exemplos: Fujam! / Mãos ao alto! / Quietos!

– Podemos utilizar alguns tempos do modo indicativo para atenuar uma frase, dando uma ordem ou efetuando um pedido de maneira mais polida, sem que a ordem ou pedido pareça grosseira ou ainda agressiva. Por exemplo, na frase “Pague-me o que deve amanhã”, que pode soar intransigente e ríspido, podemos atenuar a forma, utilizando o indicativo: “Amanhã você me paga o que deve”.

– Outra utilização interessante do Imperativo é a de generalizar um pedido ou ordem, sem personalizá-lo. Neste caso, estamos construindo o Imperativo Impessoal. Esse caso é bastante utilizado em frases de comando ou de proibições que valham para mais de uma pessoa, que se refiram a um ambiente ou para expressar regras às quais todos estão sujeitos. Exemplo: Não fume!/Não sentar nos lugares marcados./Sublinhar os pronomes do texto.

Como vimos, o emprego do modo imperativo é bastante simples e segue regras fáceis de serem assimiladas por todos. Seu entendimento é muito importante, pois fazem parte do nosso cotidiano e são utilizados com bastante frequência, não só nos textos, mas principalmente na fala. Sua utilização coloquial é bastante comum, e deve ser aplicada corretamente. Muitos anúncios publicitários se utilizam do emprego do modo imperativo para oferecer seus produtos, e algumas vezes de maneira incorreta. Portanto, aproveite que sua utilização é feita com frequência, para perceber e fixar as regras de sua utilização correta.

Relembre também que é fundamental levar em conta a entonação e o contexto em que o modo indicativo é empregado. Muitas frases podem ter o sentido alterado a partir dessa conotação. Até mesmo um pedido ou ordem podem significar diferentes maneiras, e somente a leitura atenta do restante do texto permitirá seu total entendimento. Vale ressaltar ainda que como vimos, o modo imperativo pode ser utilizado para construir frases mais amenas, sem que pareça grosseira ou agressiva a forma de pedirmos ou exigirmos determinada coisa. Capriche nos estudos! Aproveite as oportunidades e faça a diferença! Aumente seus conhecimentos e ganhe o mundo!