Ortografia, Ortofonia e Reforma Ortográfica


Ortografia, Ortofonia

A ortografia se refere ao conjunto de padrões já estabelecidos para escrever a Língua Portuguesa. Esse padrão é resultado de vários acordos ortográficos entre os países que usam o português, como uma forma de unificar a escrita das palavras. Vale lembrar que a ortografia, por sua vez, não diz respeito apenas aos critérios etimológicos (que se referem à origem das palavras), como também aos fonológicos (que estão ligados aos fonemas).

Apesar das regras de ortografia, sempre existem as exceções. Portanto, não há uma fórmula para conseguir escrever corretamente todas as palavras. A melhor maneira de conseguir isso é através de muita leitura (quanto mais se lê, melhor se escreve) e, claro, consultar um dicionário atualizado quando houver dúvida.

Ortofonia

Diferente da ortografia, que se limita à forma escrita das palavras, a ortofonia se refere à Língua Portuguesa falada. Ou seja, trata-se da pronúncia correta das palavras, considerando o padrão culto como o correto.

A ortofonia é dividida em:

– Ortoépia: trata-se de pronunciar corretamente os fonemas.

– Prosódia: trata-se de pronunciar corretamente as palavras, respeitando a acentuação. Vale lembrar que aqui falamos do acento da fala (algumas pronúncias exigem acento que não aparece na palavra escrita).

Reforma ortográfica

A reforma ortográfica, também chamada de acordo ortográfico, tem como principal finalidade unificar a Língua Portuguesa. Isso porque vários países têm a Língua Portuguesa como padrão, no entanto, em cada um deles existem variações que acabam diferenciando de um país para outro.

Dessa forma, a reforma ortográfica (que já aconteceu algumas vezes ao longo dos anos) vem na tentativa de aproximar cada vez mais o português nos diferentes países, aumentando o prestígio internacional da Língua Portuguesa.

A reforma mais recente trouxe mudanças na acentuação das palavras (por exemplo: o trema foi extinguido), separação de palavras compostas e união de outras que eram compostas em apenas um termo.

A cada reforma é preciso de um tempo determinado para que todas as mudanças sejam incorporadas, passando a regra ser obrigatória alguns anos depois.