Pesquisa descritiva


Pesquisa é a aplicação de um método para se obter ou confirmar uma informação ou uma tese, motivada a partir de suspeitas, indícios, evidências ou conhecimentos existentes e comprovados para se chegar a uma nova informação ou conhecimento.pesquisa-descritiva

As pesquisas podem ser científicas, para descoberta de novos medicamentos ou tecnológicas, para a descoberta de novas tecnologias a partir de necessidades ou oportunidades. Podem ser pesquisas mercadológicas, com a finalidade de conhecer condições para a criação de novos produtos ou serviços, efetuar fusões ou aquisições empresariais ou melhorar os serviços prestados ao consumidor, de modo a fortalecer competitivamente uma marca.

Há pesquisas de opinião, como as pesquisas eleitorais, que permitem conhecer cenários políticos eleitorais, embasando decisões.

A pesquisa pode ser motivada por interesses individuais, empresariais, acadêmicos ou científicos, com o intuito de desenvolver diversas áreas do conhecimento humano. De um modo geral, a pesquisa atende a uma sequência metodológica, que consiste em definir um problema, formular uma hipótese, coletar dados, analisar os resultados e oferecer um relatório, que deve conter as respostas às perguntas que motivaram a pesquisa, confirmar, integral ou parcialmente, ou desmentir a tese original.

Os três tipos de pesquisas

Quanto à forma, as pesquisas podem ser: exploratórias, descritivas ou explicativas.

=> Pesquisa exploratória

A pesquisa exploratória é um modelo que estabelece critérios, métodos e técnicas para a obtenção de informações sobre o objeto pesquisado e geração de novas hipóteses a serem abordadas num processo contínuo.
É o modelo adotado pelas pesquisas científicas e tecnológicas, que leva a grandes descobertas, muitas delas obtidas por acidente durante a exploração. A finalidade da pesquisa exploratória é elucidar e explicar fenômenos, fazer descobertas e achados.

Esse tipo de pesquisa está fortemente relacionado ao desenvolvimento material e econômico da sociedade, de forma que os países com maior índice de desenvolvimento humano, científico e tecnológico são aqueles que mais investem em pesquisas exploratórias, um paradigma que se estende ao ambiente competitivo corporativo, na busca de novas soluções e produtos inovadores.

=> Pesquisa explicativa

A pesquisa explicativa, como diz o próprio nome, tem por finalidade explicar fatos, sistemas. Está fortemente ligada às pesquisas sociológicas, filosóficas e antropológicas.

Consiste na estruturação e na definição de modelos teóricos, agregando hipóteses a fim de proporcionar uma visão mais clara e unitária de um universo. Os elementos que respaldam a pesquisa explicativa são a síntese, a teorização e a reflexão acerca do objeto estudado, assim como sua abordagem se dá sobre as causas e as variáveis que incidem sobre determinados fenômenos.

Em síntese, a pesquisa explicativa se debruça sobre o porquê das coisas, partindo do cruzamento de informações, observação e reflexão, com a finalidade de respaldar análises e oferecer respostas convincentes e bem fundamentadas.

A pesquisa descritiva

A pesquisa descritiva é a aquela que busca descrever uma realidade, seja com base em uma necessidade prática, seja com base na tentativa de comprovar uma tese ou hipótese, em grande parte de suas aplicações servindo para fundamentar e respaldar decisões.

É nessa categoria que se enquadram as pesquisas de opinião, as pesquisas eleitorais, as pesquisas de mercado, governamentais e muitas das pesquisas acadêmicas.

Uma disciplina que se alimenta fortemente da pesquisa descritiva é o marketing. Dentro dessa disciplina, cruzam-se dados mercadológicos existentes, com o objetivo de gerar informações estratégicas para embasar tomadas de decisões. Na mesma linha, pesquisas são aplicadas a consumidores, tentando obter informações psicográficas e geográficas, identificar comportamentos, inquietações, desejos e necessidades, de modo a encontrar oportunidades para desenvolvimento de novos produtos, mudanças no posicionamento e na comunicação de empresas, produtos e marcas, etc.

Em outras palavras, a pesquisa descritiva se apoia em documentos, levantamentos e abordagens de campo. Ao contrário da pesquisa exploratória e da explicativa, a ação intelectual do autor da pesquisa se resume a identificar as relações entre um conjunto de variáveis e informações contidas nos levantamentos feitos e relatórios apresentados.

Um outro caso que explica esse tipo de pesquisa são os levantamentos feitos pelo IBGE, que servem de base para a implementação de políticas públicas ou corporativas. A ação intelectual se dá na utilização dos dados obtidos e não na obtenção deles, de modo que o pesquisador não interfere na realidade. É o princípio da espontaneidade. É o objeto pesquisado que oferece as respostas, desde que a metodologia aplicada seja correta.

Uma pesquisa descritiva confronta hipóteses e correlaciona variáveis para obter as respostas e analisá-las. Esse é o princípio do amplo grau de generalização. As respostas são obtidas respeitando-se o princípio da naturalidade, que implica o estudo dos fatos em seu habitat natural.

A pesquisa descritiva segue uma linha de ação, que consiste em observar, interrogar, coletar, analisar, registrar e interpretar, sem, todavia, interferir no objeto estudado. Em outras palavras, a pesquisa descritiva tem por finalidade a identificação, o registro e a análise das variáveis, como elas se comportam no tempo e no espaço.

Outro aspecto importante da pesquisa descritiva é que ela se debruça sobre sistemas em permanente movimento de mudança. Por exemplo, uma pesquisa do IBGE de vinte anos atrás pode descrever a realidade daquele período, mas não a realidade atual. Numa pesquisa eleitoral, a realidade refletida pode não ser a mesma daqui a uma semana, razão pela qual esse modelo deve ser aplicado de forma contínua, de modo a acompanhar as mudanças e variações do fenômeno pesquisado, cada caso requerendo uma frequência determinada.

Em outras palavras, o resultado de uma pesquisa descritiva não é definitivo, estando o fenômeno pesquisado sujeito às ações de uma série de outras variáveis, de modo que levantamentos mercadológicos, além da realidade presente, requerem um esforço para se estabelecer cenários com base na análise das próprias variáveis pesquisadas, o que não suprime a realização periódica de novos estudos e levantamentos.