Próclise, Mesóclise, Ênclise, Pronomes Átonos e Locuções Verbais


Os pronomes oblíquos átonos são me, te, se, o/a/lhe, nos, vos, se, os/as/lhes. Eles podem ocorrer antes, após ou no meio do verbo, conforme os exemplos correspondentes a seguir:
a) “Aquele filme não nos pareceu verídico.”
b) “A plateia calou-se repentinamente.”
c) “Contar-lhe-ei tudo o que sei.”

Próclise, Mesóclise, Ênclise

No português do Brasil, usa-se, predominantemente, a próclise, isto é, o pronome átono antes do verbo, a não ser em certos casos, quando, então, utilizamos a ênclise (pronome após o verbo) ou a mesóclise (pronome no meio do verbo).

CASOS DE PRÓCLISE
a) Palavras ou expressões negativas (não, nem, nunca, jamais…). Exemplo: Não o procurei para pedir favores.
b) Advérbios (talvez, aqui, ali, lá, ontem…). Exemplo: Talvez o veja hoje pela manhã.
c) Pronomes relativos (quem, qual, que, cujo, onde, quanto). Exemplo: São esperanças que morrem, sonhos que se vão.
d) Pronomes indefinidos (alguém, quem, algum, qualquer, cada qual). Exemplo: Cada um me fará uma tarefa especial.
e) Conjunções subordinativas e coordenativas (quando, se, como, porque, que, logo que, mas) Exemplo: Não iria, ainda que me convidassem.
f) Orações optativas (com suj. anteposto = exprimem desejo), interrogativas e exclamativas. Exemplos: Que Deus te acompanhe! Quem se atreveria a isso? Quanto te arriscas com esse procedimento!
g) Em + gerúndio. Exemplo: Em se tratando de vestibular, conhecia tudo.

Há um tipo de colocação pronominal pouco usada hoje em dia, mas que faz parte da nossa língua e, portanto, deve ser estudada. Esse tipo de colocação pronominal chama-se MESÓCLISE. Mesmo sendo pouco usada, em algumas situações formais é inevitável a sua utilização.

MESÓCLISE

A MESÓCLISE só vai acontecer num caso muito especial e não será preciso muito esforço para aprender a usar corretamente essa maneira tão estranha de se colocar um pronome oblíquo no meio de uma palavra. A própria palavra mesóclise já lembra meio, você vai procurar colocar o pronome no meio da palavra. Isso ocorrerá quando o verbo estiver no futuro do presente ou no futuro do pretérito. Exemplo: Os professores multiplicarão os assuntos.

Multiplicarão é um verbo transitivo direto, portanto pede como complemento um objeto direto. Nesse caso, podemos substituir o complemento por um pronome oblíquo o. Os professores multiplicá-los-ão Como entender essa colocação do pronome no meio do verbo? Atenção: Multiplicar + ao Multiplicar + os + ao Multiplicá-los-ão. Outro exemplo: Eu venderia meu apartamento. Eu vendê-lo-ia.

Observação: No Brasil, há uma tendência diferente do Português que se usa em Portugal, onde as regras são mais rígidas. No Brasil, no exemplo acima, o pronome poderia ficar proclitico sem que houvesse problema algum. Eu o venderia. É claro, que pensamos, então, por que estudar mesóclise?
Ás vezes, não temos como escapar dela, pois não podemos usar pronome oblíquo em início de frase, segundo a norma culta da Língua Portuguesa. Comprarei um apartamento para minha esposa.

CASOS DE ÊNCLISE

a)    Em orações iniciadas por verbo. Exemplo: Contei-lhe todos os detalhes sobre o acidente.
b)    Com verbo no imperativo afirmativo. Exemplo: Compreenda-me, por favor.
c)     Quando na oração não houver nenhum caso de atração de pronome átono. Exemplo: A discussão impressionou-me e muito.

PRONOMES ÁTONOS E LOCUÇÕES VERBAIS

Uma locução verbal é composta por um verbo principal e um verbo auxiliar, como preciso correr, estou terminando, havia começado. Existem algumas regras quanto à utilização  i dos pronomes átonos em relação às locuções verbais:

1)    Com locuções em que o verbo principal ocorre no infinitivo ou no gerúndio:
•            Se não houver nenhuma daquelas expressões acima listadas, que exigem o uso da próclise, o pronome poderá vir depois do verbo auxiliar ou depois do verbo principal, como em   “Queremos lhe contar um segredo’,  “Queremos contar-lhe um segredo” (com infinitivo) e “Maria vinha me acompanhando de bicicleta”, “Maria vinha acompanhando-me de bicicleta” (com gerúndio);
•            Se houver algumas daquelas expressões que exigem o uso da próclise, o pronome fica antes do verbo auxiliar ou após o verbo principal: “Meu irmão sempre me queria assustar” “Meu irmão sempre queria assustar-me” (com infinitivo) e “Nada lhe estava interessando no momento”  “Nada estava interessando-lhe no momento”.

2)    Com locuções em que o verbo principal ocorre no particípio:
•            Sem expressões de próclise, o pronome vem após o auxiliar, como em  “Haviam me convidado, mas eu recusei”.
•            Com expressões de próclise, o pronome vem antes do auxiliar, como em “Não te haviam avisado?”.

Vogal temática – Exemplos:
•            beb-era
•            cant-a
•            sorr-ira

Desinência temporal – Exemplo:
•            cant-a-va
•            canta (ausência de desinência)
•            cant-a-ra

Desinência número-pessoal