Tempos Verbais


Dizem os estrangeiros que a língua portuguesa é um dos idiomas mais difíceis do mundo. Se para nós que convivemos com nosso idioma diariamente já é difícil, imagina para quem vem de fora e nunca teve contato com a nossa língua-mãe. Isso acontece porque o nosso idioma possui muitas regras, sendo algumas delas bastante complicadas. Entre todas estas regras, os verbos podem ser considerados a parte do idioma que mais gera dúvidas. Para acabar de vez com as suas dificuldades sobre este tema e para fazer com que você entenda de uma vez por todas este assunto vamos estudar a partir de agora os tempos verbais.
Woman studying at the library with books

Modo Verbal

Antes de começar nosso estudo sobre tempos verbais precisamos entender o conceito de modos verbais. Quando falamos de tempos verbais, estamos nos referindo ao presente, passado e futuro. Já os modos verbais são três e estudaremos os tempos de cada um deles:

• Indicativo: é quando expressamos uma certeza absoluta de um fato. São seis os tempos verbais do indicativo – presente, pretérito perfeito, pretérito imperfeito, pretérito mais que perfeito, futuro do presente e futuro do pretérito.

Subjuntivo: é quando temos um fato duvidoso ou uma hipótese. Neste caso temos o presente, o pretérito imperfeito, o pretérito mais que perfeito e o futuro.

Imperativo: quando desejamos exprimir uma ordem. Pode ser afirmativo ou negativo.

Tempos Verbais:

Modo indicativo:
Presente: ocorre no exato momento em que está acontecendo a ação, quando se descreve uma característica ou um estado da natureza.
Exemplos: Eu canto, tu cantas, ele canta, nós cantamos, vós cantais, eles cantam.

Pretérito perfeito: é quando a ação ocorreu no passado, mas o falante está em um tempo presente a esta ação. Quando falamos no pretérito perfeito, nossa fala se prolonga do passado até o presente.
Exemplos: Eu cantei, eu vendi; tu cantaste, tu vendeste; ele cantou, ele vendeu; nós cantamos, nós vendemos; vós cantastes, vós vendestes; eles cantaram, eles venderam.

Pretérito imperfeito: neste caso a ação possui duração apenas no passado. O falante encontra-se no presente, assim como no pretérito perfeito, mas ela não segue do passado até o presente. Aqui a ação se inicia e acaba no passado.
Exemplos: Eu cantava, eu vendia; tu cantavas, tu vendias; ele cantava, ele vendia; nós cantávamos, nós vendíamos; vós cantáveis, vós vendíeis; eles cantavam, eles vendiam.

Pretérito mais que perfeito: o falante continua no tempo presente, a referência está no tempo passado e a ação ocorreu em um tempo mais passado ainda. Aqui você está se referindo ao passado do passado.
Exemplos: Eu cantara, eu vendera; tu cantaras, tu venderas; ele cantara, ele vendera; nós cantáramos, nós vendêramos; vós cantáreis, vós vendêreis; eles cantaram, eles venderam.

Futuro do presente: o fato vai ocorrer em um momento posterior ao momento em que se fala.
Exemplos: Eu cantarei, eu venderei; tu cantarás, tu venderás; ele cantará, ele venderá; nós cantaremos, nós venderemos; vós cantareis, vós vendereis; eles cantarão, eles venderão.

Futuro do pretérito: é usado quando encontramos uma condição. É um fato que poderia ter acontecido depois de uma situação que ocorreu no passado.
Exemplos: Eu cantaria, eu venderia; tu cantarias, tu venderias; ele cantaria, ele venderia; nós cantaríamos, nós venderíamos; vós cantaríeis, vós venderíeis; eles cantariam, eles venderiam.

Modo subjuntivo:
Presente: é uma hipótese sobre algo que acontecerá no tempo presente.
Exemplos: que eu cante, que tu cantes, que ele cante, que nós cantemos, que vós canteis, que eles cantem.

Pretérito imperfeito: é um fato passado que ocorreu depois de outro que também já aconteceu.
Exemplo: eu esperava que ele vencesse aquela partida; se ela viesse ontem, teria participado.

Pretérito perfeito: é um fato que ocorreu no passado e já se concluiu totalmente.
Exemplo: embora tenha estudado bastante, ele não passou no concurso.

Pretérito-mais-que-perfeito: é um fato que aconteceu antes de outro que já terminou.
Exemplo: Embora a prova já tivesse começado, algumas pessoas saíram da sala.

Futuro: é um fato que “pode” ocorrer em um momento futuro. Note que como estamos falando de subjuntivo, tudo é hipótese.
Exemplo: quando ele vier à loja, comprará bastante.

Modo imperativo:
É quando o verbo indica uma ordem ou um pedido. Em comparação com os outros modos verbais, no imperativo não existe a primeira pessoa do singular. Nele só há duas situações que podemos considerar: imperativo afirmativo e imperativo negativo. Não há tempos verbais, pois como é uma ordem que vai ocorrer, ela será sempre no tempo futuro.

Imperativo afirmativo: canta tu, cante você, cantemos nós, cantai vós, cantem vocês.

Imperativo negativo: não cantes tu, não cante você, não cantemos nós, não canteis vós, não cantem vocês.

Outras definições

• Infinitivo: é quando falamos os verbos como ele é, em suas terminações AR, ER e IR. Exemplo: cantar, vender, partir.

Gerúndio: dá a impressão de que você está fazendo algo naquele exato momento. Termina sempre com “ndo”. Exemplo: cantando, vendendo, partindo.

Particípio: termina em ado ou ido, como nestes exemplos: cantado, vendido, partido.