Uso das aspas


É comum quando estamos escrevendo um texto, um artigo ou simplesmente redigindo algo que queremos usar – seja na escola, na faculdade ou até mesmo nas redes sociais – e uma expressão mais irônica, ou então de sentido figurado, entra em jogo.

Ao invés de simplesmente deixar essa expressão solta no texto, a sua intenção é outra: fazer com que o receptor da mensagem, ou seja, a pessoa que a lerá, entenda qual é o seu objetivo, ou melhor, o que é que você está querendo dizer ao usar tais palavras.

aspas

Para isso, é simples: colocamos tais palavras entre aspas, ou melhor, entre as famosas “vírgulas dobradas” (essas mesmas!) usadas para destacar alguma parte do que está sendo escrito. Mas será que elas são bem aceitas em qualquer modelo ou tipo de texto? Depende. Com base nisso, confira neste artigo como e quando tais sinais gráficos podem ser utilizados o que certamente irá facilitar na hora da escrita daqui para frente.

Sobre o uso das aspas

As aspas são símbolos de pontuação que tem como principal objetivo destacar a parte de algum texto, tornando-a diferenciada em relação ao restante.

Mas esse destaque pode ser motivado por uma série de razões. Vamos conhecê-las?

• Tipos de expressões

As aspas são utilizadas para destacar determinados tipos de expressões, sejam gírias locais ou regionais, neologismos, expressões populares, arcaísmos ou até mesmo estrangeirismos.

Alguns exemplos seriam:

– Essa cidade está cheia de “piriguetes”;

– Não vá embora da agência antes de fazer um “backup” no meu computador;

– Professor, pode me dar o “feedback” da prova?

– Não esquenta com isso, as coisas podem acontecer “antes tarde do que nunca”.

• E as palavras irônicas?

Um dos destaque no uso das aspas vai para expressar algo com ironia. Se você está dizendo que o seu aluno fez um belo trabalho, sem aspas, é exatamente neste sentido que a frase será interpretada. Porém, tudo promete mudar caso à frase você adicione um par de aspas, o que no caso seria: o aluno fez um “belo” trabalho. Neste caso, a ironia é presente na palavra presenteada com as aspas e nota-se que o trabalho do aluno não estava assim tão bom, mas possivelmente, pelo contrário.

Se você escrever à sua filha: parabéns, você se comportou super bem. Ou: parabéns, você se comportou “super” bem, saiba que os sentidos são inversos em cada uma das frases, mesmo que idênticas.

• No início ou no fim de citações/transcrições de outros textos

Se você citar a frase de algum autor, é seu dever (principalmente com base na Lei do Direito Autoral) referenciá-lo no seu texto. E, segundo a norma culta da língua, isso deve ser realizado por meio das aspas.

Um exemplo seria:

– Segundo Aristóteles, “A dúvida é o princípio da sabedoria”. Ou então: “Insanidade é continuar fazendo sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes”, afirma Aristóteles.

Já no que se refere às transcrições, a ideia também é a mesma, mas a referência no final é um pouco mais complexa:

– “Agora eu quero contar as histórias da beira do cais da Bahia”. (Jorge Amado, Mar Morto, 1936).

Com a referência, queremos dizer não só que a transcrição é de uma obra do autor, mas também devemos indicar que obra é esta e em que ano ela foi publicada.

• Para enfatizar palavras

Dar ênfase a palavras fortes, como sim ou não, também está entre as principais atuações das aspas:

– Rogério pediu sua namorada em casamento e a resposta foi um “sim” que chegou a arrepiar aos que estavam presentes.

• Referência de obras

Os pares de aspas também devem ser presentes no começo e no final de nomes de obras artísticas ou literárias, como é o caso de títulos de obras de artes, livros, músicas, filmes ou outros.

Nesse caso vale lembrar que as aspas são utilizadas em situações mais formais, como em redações para vestibulares ou artigos acadêmicos. Quando os textos são mais simples, as aspas neste caso podem ser substituídas pelo nome da obra em itálico.

Alguns exemplos são:

– Hoje eu assistir “Os Vingadores” no cinema;

– Nós estamos estudando “A Sangue Frio” na faculdade.

Qual a diferença entre as aspas e aspas simples?

Além das aspas que utilizamos desde o início deste artigo, existem também as aspas simples, que no caso, ao invés de terem duas vírgulas invertidas de cada lado, contém uma só. As aspas simples são ‘estas’, precisamente falando.

E quando é que devemos utilizá-las?

As aspas simples, diferentemente das aspas normais, são utilizadas quando a parte do texto que você quer destacar já faz parte de um trecho anteriormente destacado por aspas.

Um exemplo no caso seria:

– A aluna, mesmo que chorando, tentou explicar ao professor a situação que havia ocorrido: “Me chamaram de ‘quatro-olhos’ quando eu coloquei os meus óculos novos”.