Uso do Travessão


Aprenda a fazer corretamente o uso do travessão na língua portuguesa. Neste artigo, você vai aprender mais sobre este elemento tão importante para o português e alguns truques para facilitar o entendimento e correta utilização.

Gramática da língua portuguesa

A gramática nada mais é do que um conjunto de regras para o uso correto de uma língua. Todas as línguas do mundo possuem suas regras diferentes e, portanto, uma gramática diferente.

A gramática geralmente diz respeito à forma escrita da língua, mas também se aplica à forma culta de comunicação falada. De modo geral, é a gramática que define as regras de construção de frases e, também, pontuação, como, por exemplo, o uso do travessão.

travessão

A história da gramática nasceu na idade do ferro na Índia. No ocidente, a gramática apareceu como uma das matérias do período helenístico aproximadamente a partir do século III antes de cristo. A obra mais antiga com este assunto é atribuída a Dionísio e é datada da época 100 anos antes de cristo. O nome dela é “A arte da gramática”. Porém, os historiadores que se dedicam ao estudo da gramática acreditam que ela só começou a ser estudado formalmente pelos gregos. A partir da perspectiva da filosofia, os gregos tentaram compreender a estrutura da língua e, com isso, passaram a estudar com mais afinco.

Mais tarde, os romanos absorveram muito da cultura grega e com o crescimento do império romano, foram introduzindo palavras em latim em outras civilizações e um pouco desta herança linguística vive até hoje nas línguas latinas. O português é uma destas línguas.

A primeira gramática da língua portuguesa escrita que se conhece data do XVI e foi publicada no ano de 1536, por ordem de D. Fernando de Almada, em Lisboa, Portugal. O autor da publicação foi Fernão de Oliveira um professor de retórica de Coimbra. O nome do livro era “Grammatica da lingoagem portuguesa”. Escrito desse jeitinho mesmo.

Porém, a língua é algo vivo e que está em constante mudança. A língua portuguesa, que falamos atualmente no Brasil, nasceu quando a nobreza portuguesa chegou ao País para tomar conta da nova colônia. Mas não ficou por aí. Nosso português incorporou palavras vindas das línguas indígenas dos povos que já viviam por aqui, dos espanhóis e de diversas outras línguas dos povos que viveram ou passaram por aqui.

Além disso, conforme o tempo vai passando, as pessoas vão modificando a forma da língua, incluindo novas palavras ou diferentes formas de falar e escrever, por isso, as regras da gramática estão sempre se alterando a fim de alcançar as mudanças que sofridas pela língua. Nos últimos anos, a língua passou novamente por uma mudança significativa em sua gramática, chamada comumente de Nova Gramática. A partir daí, alguns acentos deixaram de ser usados e palavras mudaram sua grafia, entre outras alterações. A gramática é importante para que todos saibam qual é o uso correto e formal da língua e, assim, existir um padrão para ela.

Uso do Travessão

Agora que sabemos um pouco sobre a criação e da importância da gramática, vamos falar sobre o uso do travessão e sobre dicas de como fazer corretamente.

O travessão é um sinal da pontuação da língua portuguesa. É um tracinho, maior que o hífen e que a meia risca, utilizado no começo de sentenças ou interlocuções, também chamadas popularmente de conversas. O travessão algumas vezes é confundido pelo hífen que separa palavras como, por exemplo, “couve-flor” e, também, às vezes, é confundido com a pontuação chamada de meia risca, que é utilizado para separar elementos em série.

Os usos do travessão na língua portuguesa escrita são:

* Discurso direto
* Separação de expressões
* Separação de frases explicativas
* Para destacar algum elemento no meio da frase
* Em substituição de outras pontuações: dois pontos e vírgulas
* Em substituição do parênteses

O uso mais comum é o primeiro caso citado, ou seja, no discurso direto mesmo. Nestes casos, o travessão deve ser usado no início da frase, e seguido por letra maiúscula. Segue abaixo exemplo de como o travessão é utilizado nestes casos.

– Onde ele foi?
– Foi encontrar papai.

Na separação de expressões ou frases explicativas, o uso do travessão é feito no meio da frase, e a sentença continua normalmente, em letra minúscula, como no exemplo abaixo.

E logo depois ele me apresentou seu tio – uma criatura estranha – e ao seu pai.

Quando o uso do travessão é feito para destacar algum elemento que esteja no meio de uma frase, ele acontece de forma bastante semelhante ao exemplo anterior. Veja abaixo:

“Junto do leito meus poetas dormem
– O Dante, a Bíblia, Shakespeare e Byron –
Na mesa confundidos.” (Álvares de Azevedo)

E em casos menos usados, o uso do travessão é feito na substituição de parênteses ou dois pontos, como pode ser observado no exemplo a seguir:

“Cruel, obscena, egoísta, imoral, indômita, eternamente selvagem, a arte é a superioridade humana – acima dos preceitos que se combatem, acima das religiões que passam, acima da ciência que se corrige; embriaga como a orgia e como o êxtase” (Raul Pompeia).