Substantivo Concreto


Os substantivos nada mais são do que palavras utilizadas na língua portuguesa para a nomeação de coisas, objetos, seres e outros. Para melhor emprego dos mesmos, é possível classificá-los de diferentes formas: em substantivos abstratos ou concretos, compostos, simples, primitivos, derivados, coletivos, próprios, femininos, masculinos, singulares, plurais, comuns de dois gêneros, sobrecomuns, epicenos e assim por diante. Neste artigo, vamos conhecer mais sobre os substantivos concretos.

Substantivo Concreto

Substantivos concretos: o que são?

Os substantivos concretos são assim classificados quando se tratam de “coisas” que existem, ou seja, são reais – ou pelo menos consideradas como reais. Alguns exemplos clássicos são: menina, homem, fada ou sereia.

Os substantivos concretos são então utilizados para a nomeação de coisas e seres de existência própria, e que dessa forma, não precisam de ‘terceiros’ para existirem. É possível utilizar os substantivos concretos para lugares, indivíduos, animais, minerais, plantas e assim por diante.

Os seres designados pelos substantivos concretos são independentes, ou seja, não precisam de nada e nem de ninguém para que possam existir. Mesmo assim, tanto aqueles que existem no mundo real como aqueles considerados imaginários ou fictícios (desde que conhecidos por todos) substantivos concretos.

No sentido de serem imaginários, ou seja, considerados reais mesmo que sejam fictícios, alguns exemplos de substantivos concretos são: fadas em geral, lobisomens, bruxas e até mesmo figuras do Folclore Brasileiro.

Substantivos concretos – exemplos

Para compreender melhor o conceito de substantivos concretos, nada melhor do que conferir alguns exemplos, não é mesmo? Então vamos lá:

  • Objetos

Os grandes representantes dos substantivos concretos são os objetos. Alguns exemplos dentro deste grupo são: tapete, cadeira, mesa, televisão, computador, notebook, tábua, poltrona, parede, colher, faca, garfo, gavetas, garrafa de água, touca, casaco, carro, porta, chaleira, troféu, livro, telefone, sofá, colchão, travesseiro, sapato, chinelo, calça e assim por diante.

  • Pessoas

Os seres também são representantes bem significativos no grupo dos substantivos concretos. Alguns exemplos aqui são: mulher, menina, homem, menino, adolescente, médico, pediatra, motorista, mãe, tia, irmão, pai, prima, jornalista, terapeuta, professor e muitos outros.

Neste sentido, cabe destacar que os seres podem ser representados tanto pelo seu gênero como também pela sua atuação (no caso das profissões e também em relação às suas ocupações familiares). Além disso, os nomes próprios também fazem parte deste grupo.
Exemplos: Rodrigo, Maria, Fernanda, Paulo, Gabriela, Giovanna, Mário, Gláucia e outros.

  • Animais

Outro entre os grandes grupos de substantivos concretos são os de animais. Alguns exemplos que se encaixam neste grupo são: cachorros, gatos, cobras, peixes, insetos em geral, tartarugas, cavalos, cavalo marinho, camelos, antas, pássaros e quaisquer outros.

  • Lugares

Os lugares são substantivos concretos que podem ser representados das mais diferenciadas formas.

Eles podem ser países: Brasil, França, Estados Unidos, Portugal, Egito, Peru, Inglaterra, África do Sul, Alemanha, Tailândia, Singapura e outros.

Eles podem ser cidades: Atenas, Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Porto Alegre, Cairo, Lima, Alexandria e outras.

Eles podem ser continentes: continente asiático, continente europeu, continente americano e assim por diante.

E também podem ser de lugares ou pontos turísticos específicos: Praia de Copacabana, Cristo Redentor, Museu de Arte Contemporânea, Pirâmides do Egito, Macchu Picchu, Jurerê Internacional e outros.

  • Frutas

Os representantes dos substantivos concretos também estão nas frutas: maracujá, maçã, abacaxi, laranja, amora, goiaba, banana, mamão, uva, morango e outros.

Alimentos em geral também fazem parte deste grupo de substantivos: frango, queijo, presunto, arroz, café, leite, feijão, bolachas, lasanha, pizza, gengibre e outros.

  • Fenômenos

Os próprios fenômenos da natureza, por existentes, também são integrados aos substantivos concretos. Alguns deles são: sol, chuva, dia, noite, tarde, vento, vendaval, brisa, frio, calor, fusão, ebulição e assim por diante.

  • Seres da nossa imaginação

Assim como já destacado anteriormente, seres que na prática não existem, porém estão na imaginação pública, também podem integrar a lista dos substantivos concretos. Alguns exemplos são: fadas, lobisomem, sereia, diabo, duende mágico, bruxa, saci Pererê e outros.
—-

De modo tradicional, há ainda a crença de que os substantivos concretos são ‘opostos’ aos substantivos abstratos. Isso porque se de um lado os concretos são marcados por seres ou coisas que existem, os abstratos, são coisas que não existem (ou seja, são fruto de abstração).

Mas ainda há a possibilidade de que alguns termos se encaixem tanto em substantivos concretos como abstratos – o que depende do contexto da frase em que fazem parte.

Um exemplo neste sentido:
– Qual é a imagem que ela tem de seu irmão?
– A imagem da família será emoldurada e pendurada na sala de estar.

No primeiro exemplo, a imagem significa algo abstrato, ou seja, está relacionado ao sentido de ‘noção’. Que tipo de ‘noção’ ela tem de seu irmão?

Já no segundo exemplo, a ‘imagem’ é real, ou seja, algo que tem existência. A ‘imagem’, no sentido desta frase, não passa de um objeto – de algo que será emoldurado e posteriormente enfeitará a parede da família.