Tipos de predicado, Complemento Nominal e Agente da Passiva


Tipos de predicado

Considerada tão rica quanto complicada, a língua portuguesa é uma das mais complexas do mundo. Há muitas armadilhas causadas pelos vícios de linguagem, que acabam se tornando muito comuns pela freqüência na linguagem falada. É preciso estar sempre atento para não errar na construção de uma oração.

Indispensável em uma oração, o predicado existe até mesmo quando o sujeito está oculto, já que ele é o motivo e a explicação para a sua existência. Fora o sujeito, toda a oração faz parte deste prejudicado, onde está incluído o complemento nominal e o agente da passiva, que servem para dar enriquecer o discurso lingüístico.

O que é Predicado?

Oração é todo enunciado que possui pelo menos um verbo, cujos termos essenciais são o sujeito e o predicado. O sujeito é a quem se dirige a oração e que direcionará os complementos verbais, nominais e agentes da passiva. Já o predicado é o que se declara a respeito do sujeito, sendo onde se encaixa obrigatoriamente a presença do verbo ou sua locução.

Na prática, basta identificar o sujeito da oração para saber que o seu restante é o predicado. Os verbos são parte integrante desse predicado, divididos entre vermos nocionais e não nocionais. Nos nocionais há a expressão de movimento, ação, ocorrência, atividade, que pode ser um estado físico, mental, espiritual ou até uma força da natureza. Já nos não nocionais, eles agem como ligação sem atuar como núcleos dessa oração.

Como exemplos de nocionais estão verbos como correr, chover, desejar, nascer, raciocinar. Já os não nocionais estão o ser, estar, ficar, acabar, tornar. Eles devem ser observados no contexto da frase , já que alguns verbos podem ter como função básica serem nocionais, mas dentro da construção da oração se tornarem não nocionais.

Complemento Nominal e Agente da Passiva

A maior parte das orações precisam de mais que a presença do verbo para fazerem sentido. É o caso do complemento nominal, que utiliza substantivos, advérbios e adjetivos, ligando o sujeito, predicado, verbo, objeto direto ou indireto, aposto, vocativo ou adjunto adverbial através de preposições.

Seu núcleo tende a ser um substantivo e pode até mesmo ter uma preposição implícita no conjunto da oração. Em períodos compostos, o complemento nominal pode agir como uma oração substantiva completiva nominal, agindo como um substantivo para compreensão do conteúdo.

O agente da passiva pode ser definida como o sujeito na voz ativa, fazendo com que o seu objeto direto passe pelo sujeito da voz passiva. O sujeito recebe a ação expressa pelo verbo, como por exemplo na frase “Anderson recebeu instruções do técnico”, o sujeito é o Anderson e o verbo na voz passiva é o técnico.