Acidimetria


Neste artigo você vai aprender sobre este tão importante tema da química, a Acidimetria. Descubra o que é, quais os principais usos e porque que se trata de algo tão importante.

<h2Acidimetria

Antes de entrarmos diretamente no conceito de acidimetria e quais são os principais usos desta técnica, precisamos aprender ou somente relembrar sobre alguns aspectos importantes da química. Somente assim seremos capazes de compreender de forma mais clara o que se trata acidimetria propriamente dita.

Acidimetria

A Acidimetria é um tema da química analítica. Além disso, estamos tratando de um conceito que também faz parte da volumetria. Mas o que é volumetria?

O principal objetivo do estudo da volumetria é fazer a determinação da concentração que existe em uma solução por meio do uso de reações químicas. É, portanto, um método para análise quantitativa de uma solução química e também é chamado como titimetria ou mais comumente de titulometria. Os métodos que são utilizados para determinar a concentração de diferentes soluções podem ser feitos de diferentes formas, sempre de acordo com o que se deseja descobrir e outras situações. Os métodos são:

* Volumetria de Oxirredução;
* Volumetria de Complexometria;
* Volumetria de Precipitação;
* Volumetria de Neutralização.

A acidimetria por sua vez é um tipo de volumetria por neutralização e tem como objetivo determinar qual é a acidez apresentada por uma solução qualquer. Para isto é utilizado um instrumento especial para este fim, chamado de acidímetro, muito usado e conhecido na química. E é importante salientarmos que a acidimetria é a forma como se determina qual é a concentração de ácido existente em uma solução por meio da sua reação com uma base conhecida.

O cálculo final da concentração de ácido é feito de forma gradual, por proporções. Primeiro é preciso saber qual é a concentração da solução inicial e mede-se como se comporta ou a quantidade gasta com a adição da base. Aí o processo continua e vão se medindo a quantidade gasta de forma gradual até se chegar a um resultado correto. Tudo isso é feito também com a utilização de indicadores, ou seja, substâncias que mudam de cor quando entram em contato com ácidos ou bases.
Os indicadores mais utilizados nos laboratórios do mundo todo são:

* Tornassol – que se torna rosado em meio ácido e azul em meio básico;
* Fenolftaleína – que fica incolor quando misturado em meio ácido e apresenta cor avermelhada quando em meio básico;
* Alaranjado de metila – que apresenta a cor vermelha quando está em meio ácido e a cor amarela quando colocado em meio básico;
* Azul de bromotimol – que fica na cor amarela quando colocado em meio ácido e na cor azul quando colocado em meio básico.

Os equipamentos que são utilizados para este tipo de trabalho geralmente são um erlenmeyer e uma bureta. No erlenmeyer se coloca a substância desconhecida, a qual se deseja saber qual é a concentração do ácido, enquanto na bureta coloca-se uma pequena quantidade de base conhecida, escolhida pelo químico que está trabalhando com a solução. O químico posiciona a bureta a fim que a base caia no erlenmeyer e, ao abrir a torneira da bureta lentamente, a reação vai ocorrendo na solução de forma visível devido ao uso dos indicadores que mudam de cor.

O químico então toma notas e observa as mudanças que estão ocorrendo. Depois faz os cálculos e consegue afirmar qual é a quantidade de ácido existente naquela solução que está em estudo.
É desta maneira que é possível padronizar importantes soluções, como por exemplo o ácido clorídrico e o hidróxido de sódio. Este tipo de técnica portanto possibilita que soluções padronizadas sejam criadas dentro de laboratórios facilitando assim toda uma produção industrial de produtos e elementos que precisem necessariamente destas soluções de forma rápida e barata.

Experimentação

Agora que você já conhece a teoria da acidimetria, podemos apresentar mais detalhes sobre a técnica de experimentação. Para colocá-la em prática é preciso então de: erlenmeyer, bureta, balão volumétrico, suporte e os reagentes NaOH, HCI concentrado e o indicador fenolftaleína.

O primeiro passo é preparar a solução de HCI no balão volumétrico em uma solução de 0,1M. Depois, retire para o erlenmeyer a alíquota de 10ml ou 25ml. Logo em seguida é preciso inserir água destilada até o volume que você desejar e somente então acrescentar duas gotas do indicador fenolftaleína.
Com a bureta ambientalizada e totalmente limpa, adiciona-se a solução padronizada de NaOH a 0,1M e para que a viragem do indicador seja visualizada de forma mais simples, indica-se a colocação de uma folha de papel branco em cima da base do suporte universal.

Logo em seguida, vá inserindo com cuidado, gota a gota, a solução que está dentro da bureta, mantendo a mão sempre na torneira para estancar o gotejamento assim que o indicador presente na solução mude de cor. A solução precisa então ser titulada, até que se torne totalmente rosa. Para finalizar, calcula-se e rotula-se qual é a concentração da solução de ácido clorídrico.