Ácido málico, ácido tartárico e ácido fumárico


Na Química, os ácidos são importantes elementos a serem estudados por conta de sua ação no corpo humano e também no meio ambiente. Entre eles estão os ácido málico, ácido tartárico e ácido fumárico, importantes para a indústria alimentícia e para a indústria cosmética. Os ácidos são soluções que conduzem eletricidade, mudam o sabor e a coloração de certas substâncias, sendo essa última uma característica capaz de ser usada como indicadores, como a solução de fenolftaleína, por exemplo.

Ácido málico, ácido tartárico e ácido fumárico

Ácido málico

O ácido málico faz parte do grupo dos ácidos carboxílicos, solúvel em água, orgânico, diácido, de fórmula C4H6O5 e com nome oficial de ácido hidroxibutenodioico. Este elemento tem como característica em sua forma cristais de coloração branca, sabor muito azedo, além de ser inodoro. Ele é naturalmente encontrado em duas frutas amplamente consumidas pelos brasileiros, a pêra e a maçã.

A primeira vez que o ácido málico foi isolado foi em 1785 graças ao químico Carl Wihelm Scheele, um sueco que decidiu por meio do suco de maçã insular esse elemento. Isso fez com que ele recebesse esse nome, já que a palavra málico vem do latim malum e significa maçã.

No entanto, o ácido málico é encontrado em menores proporções em outras frutas como amora silvestre, uva, romã, pera e abacaxi. Na indústria ele é produzido também por meio da hidratação do ácido fumárico e ácido maleico.

Na biologia este ácido está presente na segunda etapa da respiração celular, conhecida como ciclo de Krebs e é biodegradável. Ele é estável em temperaturas menores de 80ºC e também à umidade. Além disso, é incompatível com bases fortes, metais alcalinos, oxidantes fortes, carbonatos e aminas. Sua decomposição, apesar de biodegradável, produz substâncias prejudiciais à natureza como o ácido maleico, dióxido de carbono, anidrido maleico e o monóxido de carbono.

Na indústria de alimentos ele é um importante elemento, por conta de sua propriedade acidulante, que faz com que bebidas e alimentos doces se tornem mais ácida. Já sua ação flavorizante consegue realçar o gosto de alguns alimentos e disfarçar outros ingredientes que tenham um sabor mais indesejável como os adoçantes, como acontecem com os alimentos em pó para sobremesas, refrigerantes, geleias e também nos sucos artificiais. Para melhorar a qualidade do vinho, o ácido málico faz parte da fermentação malolática, que o transformado em ácido lático que torna o vinho mais aromático.

Já na farmacêutica o ácido málico é usado como regenerador do tecido e higienizador e aplicado em ferimentos, assim como é usado no tratamento da fibromialgia em conjunto com o magnésio. Ele também é usado nos tratamentos de peeling, já que é uma fonte natural de alfa-hidroácidos.

Ácido Tartárico

O composto orgânico chamado de ácido 2,3-dihidroxibutanedioico tem fórmula química C4H6O6 e tem em sua construção funções do álcool e também do ácido carboxílico. O ácido tartático é solúvel em água e encontrado como cristais (naturalmente), sem cheiro, de cor transparente ou branca, biodegradável, estável ao contato com o ar e de sabor ácido.

Para obter esse ácido é preciso realizar uma reação química de peróxido de hidrogênio e anidrido maleico. Além disso, ele é encontrado na fermentação de tamarindo, uvas, abacaxi e amoras.

Assim como o ácido málico, o elemento tem efeito acidulante e é capaz de dar um sabor mais ácido para alguns alimentos. Na fabricação do vinho, ele é o responsável por modificar a composição do vinho, realçar a cor e diminuir o nível de acidez, tudo para tornar a bebida ainda melhor.

Na indústria farmacêutica ele é conjugado com o bicarbonato de sódio para criar sais de fruta e antiácidos, além de ser usado também nos hidratantes para a pele e na produção de shampoos para calvície, já que ele aumenta a irrigação sanguínea.

No corpo humano esse ácido é produzido pelos fungos, que ajudam na digestão e são encontrados naturalmente em nosso organismo. Vale lembrar que ele é letal em altas quantidades e muito tóxico aos grupos musculares. Ele também pode prejudicar a energia celular, já que interfere de forma direta na atuação do ácido málico.

Ácido fumárico

O ácido fumárico é também conhecido como ácido donítico, de cadeia normal e de fórmula molecular C4H4O4. Entre suas características estão cristais incolores em sua forma natural, além se der estável com ponto de densidade e fusão maiores. Ele realiza ligações de hidrogênios intermoleculares.

Ele é o responsável pela respiração dos tecidos de animais e plantas, o que o torna também muito importante para a biologia. Já na indústria alimentícia, o ácido fumárico também tem ação flavorizante e é o mais indicado na hora de dar sabor aos doces, além de oferecer uma ação antioxidante aos alimentos. Ele é encontrado na natureza, mas para ser usado nas indústrias é originado a partir da glicose fabricada nas ações dos fungos.

Isso faz com que os ácidos málico, tartárico e fumárico sejam elementos muito importantes não apenas no campo educacional, mas também nas indústrias alimentícias e cosméticas, proporcionando uma gama maior de possibilidades em produtos.