Ácidos Carboxílicos, Ésteres e Radicais Axilas e Amidas: Nomenclatura e Classificação


Ácidos Carboxílicos, Ésteres e Radicais Axilas e Amidas

Chamados também de carboxi-lácidos, os ácidos carboxílicos são elementos que se agrupam de forma a gerar a carboxila, que é representada na seguinte fórmula: H3C — COOH (monocarboxílico) HOOC — COOH (dicarboxílico).

Esta nomenclatura é terminada “oiço”, por ser sistemática. Se fosse uma nomenclatura substitutiva, o seu nome seria derivado da fonte natural de onde o elemento foi obtido.

Exemplos: ácido fórmico, ácido metanóico.

Ácidos Carboxílicos

Na natureza, os ácidos carboxílicos surgem combinados com óleos, frutas, gorduras e outros. Na indústria de alimentos, são usados na produção de perfumes e corantes, além do tingimento de tecidos. Também são utilizados na medicina e para curtir peles.

Os ácidos que possuem até 9 carbonos são líquidos, sendo os outros existentes na forma sólida. Aqueles que possuem mais de 10 carbonos são os chamados ácidos graxos e possuem cheiro rançoso. Nos demais, o cheiro é irritante e insuportável.

– Como os ácidos carboxílicos são classificados

Os ácidos carboxílicos são classificados em monocarboxílicos e dicarboxílicos, conforme o número de carboxilas em sua es­trutura.

Ésteres

São os derivados dos ácidos carboxílicos, decorrentes de uma substituição: a troca do hidrogênio da carboxila pelo radical derivado de hidrocarbonetos.

São utilizados com frequência como flavorizantes, na indústria alimentícia. Possuem também a forma de gorduras e ceras. Existem ainda, os ésteres que surgem da reação da mistura entre ácidos minerais e o álcool. São os chamados ésteres minerais.

– Nomenclatura dos ésteres

Muito parecida com a dos ácidos carboxílicos. Neste elemento, altera-se a termina­ção “-oiço” do ácido por “-oato”, citando no fim, o radical que entrou no lugar do hidrogênio.

Radicais acila

São os derivados dos ácidos carboxílicos, após a remoção da hidroxila da estrutura do radical. Tanto que a sua terminação se refere a radicais “-ila” ou “-il”.

São exemplos de radicais acila: propanoíla propionila, etanoíla acetila, ácido etanóico, ácido acético, ácido propanóico e ácido propiônico.

– Radicais amida

Amidas

São radicais oriundos da amónia (NH3), após a troca de um ou mais hidrogênios por radicais acila.

Classificação

Conforme o número de hidrogênios da amónia:

– Amidas primárias: l hidrogênio substituído.
– Amidas secundárias: 2 hidrogênios substituídos.
– Amidas terciárias: 3 hidrogênios substituídos.

Nomenclatura

Na nomenclatura das amidas, cita-se o ácido, acrescentando a terminação -amida.