Balanceamento de Equações Químicas


Balanceamento de Equações Químicas

De acordo com a Lei de Conservação das Massas, criada por Lavoisier, “na natureza nada se cria e nada se perde, tudo se transforma”. Nas reações químicas, isso significa que a soma da massa obtida nos produtos deve ser sempre igual à soma da massa dos reagentes.

Ou seja, os átomos de cada um dos elementos que participam da reação não se perdem ou se multiplicam. Durante o processo, eles apenas se rearranjam para formar novas substâncias.

Quando os coeficientes estequiométricos são iguais para os produtos e os reagentes, dizemos que a equação química está balanceada. É o caso da reação a seguir:

C + O2 -> CO2

Note que, nesse caso, temos um átomo de carbono tanto nos reagentes quanto nos produtos, assim como dois átomos de oxigênio de cada lado. Portanto, o balanceamento está correto.

Balanceando pelo método das tentativas

O método das tentativas é bastante simples: basta contar o número de átomos existentes do lado dos reagentes e conferir se há a mesma quantidade do lado dos produtos. Caso os coeficientes estequiométricos sejam diferentes, faz-se a alteração até que a equação esteja balanceada.

A ordem dos elementos que devem ser ajustados é:

1º Metais;
2º Ametais;
Oxigênio;
Hidrogênio.

Balanceando pelo método de oxirredução

O método de oxirredução, por sua vez, consiste em igualar o número de elétrons doados e recebidos baseando-se nas variações dos números de oxidação (NOX). Para isso, devemos seguir alguns passos:

1. Determinar o NOX de todos os elementos e identificar o átomo que sofre redução e o que sofre oxidação;

2. Calcular a variação do NOX de ambos os elementos, multiplicando-se a variação pela maior atomicidade do elemento na equação;

3. Usar a variação do redutor como coeficiente estequiométrico do oxidante e vice-versa;

4. Finalizar o balanceamento da equação química utilizando o método das tentativas.