Compostos covalentes e moleculares


Existem diversos elementos químicos que conseguem fazer ligações por meio de seus elétrons. Essas ligações são chamadas de “ligações covalentes”, e acontecem com átomos de hidrogênio, ametais e semimetais. Os compostos acabam ficando estáveis quando se equiparam a um gás nobre, ou seja, eles se estabilizam quando atingem a marca de 8 elétrons em sua camada mais externa, chamada de “camada de valência”, ou apenas 2 elétrons quando há apenas uma única camada, denominada “camada K”.

Compostos covalentes e moleculares

Como acontecem?

Os átomos desses elementos estão sempre procurando essa estabilidade, e por conta disso estão a todo momento buscando outros elétrons para fazer as tais ligações. Ao contrário das ligações iônicas, onde os elétrons são doados, na ligação covalente eles são compartilhados, beneficiando todos os átomos envolvidos nessas transações.

Todo esse processo também gera os compostos moleculares, que surgem pois, ao compartilharem esses elétrons, acabam formando conglomerados de átomos, criando assim as moléculas. Porém, às vezes, ao fazer esse compartilhamento de elétrons em uma ligação, ao invés de formarem moléculas comuns, formam-se macromoléculas, que abrigam uma quantidade indeterminada e desordenada de átomos. Essas macromoléculas podem por exemplo ser encontradas nos diamantes e na grafita, que está presente nos lápis comuns e lapiseiras utilizadas no dia adia principalmente dos estudantes. Há, entretanto, várias particularidades nesses compostos, e neste artigo iremos observar e compreender algumas das características dos compostos covalentes e moleculares.

Quais as propriedades principais dos compostos covalentes e moleculares?

- Solubilidade: compostos polares se dissolverão em outros compostos polares, e compostos apolares se dissolverão em outros compostos apolares. Isso é relativamente simples, não deixando de lembrar que a polaridade é definida a partir da eletronegatividade entre os átomos da ligação feita. Um composto é considerado polar quando é observada essa diferença de eletronegatividade. Quando essa diferença não existe, consequentemente não haverá um trânsito de carga dentro da molécula, tornando o composto apolar.

- Estado físico em temperatura ambiente: os compostos covalentes e moleculares podem ser encontrados nos estados líquido, sólido e gasoso no meio ambiente. Entre os compostos no estado líquido podemos citar a água o etanol e a acetona, por exemplo; no estado sólido temos a areia e o açúcar, além dos já citados anteriormente (diamante e grafita); no estado gasoso temos o gás de hidrogênio, o gás cloro e o sulfeto de hidrogênio.

- Ponto de fusão e ebulição: esses pontos, quando se aplicam aos compostos covalentes e moleculares, se caracterizam por serem menores do que os pontos encontrados nas substâncias iônicas. Os compostos covalentes têm os pontos de ebulição maiores, se comparados com os compostos moleculares. Já que nesse caso as moléculas estão presas com mais intensidade umas às outras, é necessária uma quantidade muito maior de energia para separá-las e fazê-las mudar do estado sólido para o estado gasoso. Vale ressaltar que essas temperaturas sempre ultrapassam a casa dos 1000ºC.

Existem duas coisas que podem ter influência direta nos pontos de ebulição e nos pontos de fusão. São eles a massa molar e a força intermolecular. O ponto de ebulição pode vir a ser maior caso a massa molar seja alta, devido à maior inércia encontrada na molécula. Se as massas molares se aproximarem, é preciso observar a força intermolecular, que é mais intensa na ligação de hidrogênio, o que também gera um aumento do ponto de ebulição e fusão. A força molecular mediana é chamada de “dipolo permanente”, enquanto a menos intensa é classificada como “dipolo reduzido”, que cria um ponto de ebulição e fusão menor.

- Corrente elétrica: estando totalmente puros, nem compostos líquidos e nem compostos sólidos conseguem conduzir corrente elétrica, com exceção da grafita, que pode conduzi-la quando se encontra em seu estado sólido, pois os elétrons provenientes das ligações acabam desenvolvendo uma mobilidade maior devido à ressonância. É por esse motivo que muitos compostos covalentes e moleculares podem ser utilizados como isolantes elétricos e térmicos.

- Dureza: os compostos covalentes e moleculares geralmente possuem um alto grau de dureza, sendo a grafita a única substância que não se enquadra dentro dessa definição, já que os seus átomos de carbono estão ligados a mais 3 deles, construindo placas dotadas de maior flexibilidade e maciez. O diamante é o material mais duro conhecido. Ele pode cortar praticamente qualquer outro material e só pode ser cortado por outro diamante. É possível observar em muitos filmes de ação, quando um roubo ou invasão a algum lugar bastante protegido, em sua maioria museus, o invasor se utiliza de uma peça de diamante para cortar as janelas e barreiras que cercam os objetos de valor, eu, mesmo sendo extremamente reforçados, não resistem ao corte do diamante.

- Tenacidade: a tenacidade nada mais é do que a resistência ao choque dos compostos covalentes. Na maioria dos casos são mais frágeis e quebradiços casos sejam chocados uns contra os outros ou tiverem um impacto muito grande.