Elemento Potássio: Características e utilização


O cenário em que estamos é Londres, e a data da qual estamos falando é 19 de novembro de 1807. O químico britânico Humphry Davy coloca um pequeno pedaço de um certo composto já bastante conhecido sobre um disco de platina e liga a esse material em questão o filamento de uma bateria elétrica em seu pólo positivo. Sobre esse sistema já montado sobre sua mesa, Davy acrescenta um outro disco também de platina, que por sua vez está ligado no pólo negativo da mesma bateria.

Na realidade, o químico estava tentando, por meio do que hoje conhecemos como um processo de eletrólise, encontrar o princípio ativo desse composto chamado potassa, identificado pela sigla KOH. Uma vez instaurada a experiência, e enquanto o composto ia se fundindo e pequenos glóbulos borbulhando, ele assistia intrigado o isolamento do elemento potássio.

Elemento Potássio

Humphry Davy registrou o acontecimento para a Sociedade Real Britânica de Londres logo que a experiência que fizera lhe rendeu essa descoberta. A potassa, que também é conhecida pelo nome científico de hidróxido de potássio, é um composto largamente utilizado na indústria de cosméticos em geral na fabricação de sabões e sabonetes. Seu nome em latim é Kalium. É daí, portanto, que o símbolo do potássio na Tabela Periódica dos Elementos passou a ser a letra “K”.

O potássio é um metal alcalino cujo número atômico, isto é, o número de prótons e elétrons que se encontrar orbitando ao redor de seu núcleo, é 19. Sua massa atômica, por sua vez, equivale a 39 unidades e sua presença na natureza é bastante farta, podendo ser encontrado em diversas hortaliças e frutas, na própria terra – sobretudo em regiões banhadas por águas salgadas, mas também em localizações como a Califórnia, o Novo México e Utah, nos Estados Unidos, e na Alemanha – e até mesmo no mar. Em linhas gerais, ele constitui cerca e 2,4% do peso da crosta terrestre e é considerado o sétimo elemento de maior incidência na natureza. Sua existência é absolutamente essencial para a vida humana, o que quer dizer que a insuficiência de potássio no organismo humano pode acarretar uma série de problemas graves para o funcionamento do nosso corpo.

Características físicas

Em geral, o potássio é descrito como um metal bem leve e muito maleável, o que o torna passível de ser facilmente cortado, inclusive por uma faca de cozinha. Seu ponto de fusão é considerado baixo diante de outros metais, o que faz com que ele derreta ao atingir uma temperatura de 336 graus na escala Kelvin, o equivalente a aproximadamente cerca de 3088 graus na escala Celsius. Por reagir facilmente em contato com o oxigênio, o potássio deve ser conservado em um ambiente muito específico, preferencialmente imerso em querosene, o que impede que essa oxidação prematura se realize. Em contato com a água, ele também reage desprendendo hidrogênio, o que faz inclusive com que essa reação possa ser inflamável.

Utilizações

Sua utilização é muitíssimo ampla, principalmente quando levamos em consideração os seus derivados. O cloreto de potássio, por exemplo, pode ser utilizado como um importante fertilizante para flores, plantas e vegetais em geral. Em contrapartida, pode ser também utilizado em injeções letais cujo objetivo é provocar uma parada cardíaca. O peróxido de potássio, por sua vez, é empregado nos instrumentos de respiração dos quais se utilizam bombeiros, nadadores, mineiros e afins. O hidróxido de potássio – ou potassa, o composto que Davy utilizou para realizar a sua primeira investigação sobre o elemento que o compunha – está muito presente em sabões, sabonetes e em loções e cremes para barbear até os dias de hoje.

No organismo humano

Uma das principais funções desempenhadas pelo potássio dentro do nosso corpo é por meio da popularmente conhecida “bomba de sódio e potássio”, uma espécie de descarga elétrica cujo propósito é transmitir o impulso nervoso entre as nossas células e os ambientes externos a elas, fazendo com que seja possível que algumas funções biológicas importantíssimas, como as sinapses, por exemplo, se realizem em nosso corpo. Quando a pessoa em questão possui uma carência de potássio em seu organismo, alguns dos sintomas que são esperados basicamente seriam uma constante sensação de fraqueza, acompanhadas de uma extrema fadiga, além de câimbras, espasmos, paralisia muscular e terríveis dores também musculares, que podem culminar em uma arritmia constante. Outros problemas de menor impacto também podem ser decorrentes da ausência de potássio no organismo, tais como a acne, a prisão de ventre ou constipação, sintoma de insônia e até mesmo quadros de depressão.

Para todos aqueles que se enquadram em um desses sintomas e que recebam como diagnóstico a carência de potássio, o problema pode ser resolvido por meio de uma dieta que inclua algumas hortaliças como a couve-flor, a beterraba, além de frutas como abacate, banana, damasco, cereja, ameixa e pêssego.