Evolução dos adoçantes artificiais


O aumento dos cuidados com a saúde fez aparecer os adoçantes artificiais, elemento químico concentrado de pequena porção calórica capaz de conceder um gosto doce a bebidas e alimentos, sobrepondo o açúcar usual.

O açúcar foi classificado como vilão, e devido a isso surgiram os adoçantes com o empenho de proporcionar melhor condição de vida para os seus adeptos. Os efeitos complementares gerados pela utilização contínua de adoçantes podem ser mais graves do que o consumo da própria sacarose. Um dos problemas encontrado é o crescimento da predisposição ao câncer.

Alguns dos componentes dos adoçantes naturais não são transformados pelo organismo humano, outros são, mas logo são eliminados, sem aplicação notável, outros, por sua vez, são reduzidos devagar, conservando estáveis os índices de açúcar presentes no sangue. Por causa dessas especificidades, os adoçantes artificiais são colocados nas dietas de pessoas obesas ou portadoras de diabetes, liberando a ingestão de comidas doces, mas com menos calorias.

adoçantes artificiais

Adoçantes são produtos formados de edulcorantes, elemento com alto potencial de tornar doce. Normalmente são centenas de vezes mais adocicados do que o próprio açúcar. Entre os adoçantes estão os artificiais (sacarina, ciclamato, aspartame e sucralose) e os naturais (estévia e frutose).

Adoçantes artificiais

– Sacarina: têm poder adocicado 200 vezes maior do que a sacarose. Apresenta equilíbrio a altas temperaturas e, por isso, é muito usada em alimentos, medicamentos e cosméticos. Não dispõem de calorias e, assim, é autorizada para diabéticos, porém, em altas concentrações apresenta um gosto amargo. Na década de 80 foi vinculada ao câncer de bexiga, com base em pesquisas em ratos.

– Ciclamato: têm poder adocicado 50 vezes maior do que a sacarose. É utilizado em bebidas dietéticas, sorvetes, adoçantes de mesa, geleia e gelatina. O benefício é que do mesmo modo que a sacarina é firme em elevadas temperaturas e autorizado para diabéticos por não conter calorias. Já o malefício é que comporta sódio e por isso, deve ser usado com controle por hipertensos, além de possuir sabor azedo.

– Aspartame: têm poder adocicado 220 vezes maior do que a sacarose, e por isso é usado em pequenas quantidades. Diferentes dos outros, em alta temperatura ele perde o seu poder de adoçar, e apresenta valor calórico de 4 kcal/g. Não é indicado para pessoas que tenham fenilcetonúria, doença genética que causa concentração de fenilalanina no organismo, provocando retardo mental. Apesar de ser o responsável por causar câncer em animais de pesquisa, ainda não existem evidencias científicas desse fenômeno em seres humanos.

– Sucralose: têm poder adocicado 600 vezes maior do que a sacarose. É produzida por sacarose, com acréscimo de moléculas de cloro. Pode ser utilizado em refrescos, sobremesas, adoçante de mesa, conservantes, aromatizantes, molhos prontos, temperos e compotas. Apresenta um sabor prazeroso, pode ser levado ao forno e é indicado para diabéticos por não ter calorias. Não é consumido pelo organismo, e apresenta uma única desvantagem: o preço é muito alto.

Adoçantes Naturais

– Estévia: têm poder adocicado 300 vezes maior do que a sacarose. Tem um bom equilíbrio em baixas e altas temperaturas, e pode ser ingerido por qualquer tipo de pessoa. Não tem caloria, não é tóxico e não gera cáries. A única desvantagem é que possui sabor amargo.

– Frutose: têm poder adocicado 173 vezes maior do que a sacarose. Destaca os sabores dos alimentos, é tirada do mel e das frutas, e sua assimilação acontece devagar, por isso não causa auges de altos e baixos na taxa de açúcar no sangue. No entanto, a abundância de frutose pode gerar um aumento nos triglicerídeos. Não é aconselhado para pessoas com diabetes por apresentar 4kcal/g. Pesquisas confirmam que a aplicação por tempo alongado dificulta a assimilação de cobre, indispensável na associação da hemoglobina.

Vantagens e desvantagens

– Vantagens

* adocicam com menos calorias;

* podem ser utilizados por pessoas portadoras de diabetes para substituir o açúcar;

* não provoca distúrbios dentários, uma das maiores sequelas do exagero de açúcar.

– Desvantagens

* Mulheres grávidas ou que estão na fase de amamentação precisam questionar o uso de adoçantes artificiais com o seu médico;

* O tipo mais comum de adoçante, conhecido como aspartame, não pode ser usado por indivíduos que tenham fenilcetonúria.