Ligação Iônica, Tendência dos Elementos e Simples, Dupla e Tripla Ligação


Ligação Iônica

Os átomos, sendo as unidades fundamentais da matéria, tem a impressionante capacidade de se combinarem para formar estruturas mais complexas. Essas interações são regidas por fatores como o tipo do átomo. E um dos tipos de interação que eles têm entre si é a chamada ligação iônica.

Ligação iônica
Também chamada de heteropolar ou ligação eletrovalente, a ligação iônica é aquela entre um metal e um ametal ou o hidrogênio. As partículas que participam dessa ligação são os íons. Os íons são átomos de carga elétrica que sofrem adição ou perda de elétrons.

Nas ligações iônicas os átomos sofrem a perda de elétrons, sendo que esses componentes vão para outros átomos.

Tendência dos elementos
Um aspecto importante de saber nessas interações entre os átomos é a camada de valência. Ela é a parte mais externa de um átomo e a última a receber elétrons no processo chamado de distribuição eletrônica.

E cada tipo de átomo tem uma tendência diferente no que se refere à distribuição eletrônica. Elementos ametálicos, por exemplo, tem tendência a ganhar elétrons no processo. Eles têm de 4 a 7 elétrons na camada de valência e ganham um para completar os oito necessários.

Ligações covalentes simples, duplas e triplas.
Outro tipo de interação que serve para formar elementos são as ligações covalentes. Nela os átomos compartilham entre si alguns elétrons, para que ambos fiquem estáveis. Essa ligação geralmente ocorre com elementos que têm entre 4 e 7 elétrons na camada de valência.

E existem três tipos diferentes de ligações covalentes:

– Simples: os átomos compartilham um elétron entre si. Exemplo: interação entre Hidrogênio e Cloro.

– Dupla: os átomos compartilham dois elétrons entre si. Exemplo: interação entre Gás Oxigênio e Gás Carbônico.

– Tripla: os átomos compartilham três elétrons entre si. Exemplo: interação entre Nitrogênio Gasoso e Acido Cianídrico.