Solidez (Energia Eólica)


A preocupação com o meio ambiente tem feito com que cada vez mais investimentos sejam feitos na busca de energias limpas. Por este motivo, o assunto solidez (Energia eólica) também tem ganhado mais relevância e, quanto mais compreendido for, melhor será para a popularização deste tipo de tecnologia.Solidez (Energia Eólica)

A seguir, aprenda tudo sobre solidez (Energia eólica) – a que se refere, quais são os conceitos envolvidos neste termo e qual é importância deste tipo de energia renovável na proteção do meio ambiente.

O que significa o tempo solidez (Energia eólica)

Antes de falarmos especificamente a respeito da solidez (energia eólica), vamos compreender um pouco sobre como esta fonte funciona.

Há diversas formas de produção de energia mundo afora. No Brasil, a hidrelétrica é a mais comum, gerada através do poder da água de rios e suas correntezas. Apesar de ser considerada uma energia limpa, ou seja, que não gera poluição, muito se discute sobre o assunto, já que se trata de uma forma de geração de energia que causa muito impacto natural, alterando a forma como rios correm e alagando regiões onde moram pessoas e vivem diversas espécies de plantas e animais.

Já a energia eólica, apresenta um impacto muito mais baixo, já que aproveita a natureza para a geração, sem que seja necessário fazer grandes transformações. Nela, a energia é captada através de cataventos gigantes, as turbinas, que giram de acordo com a força dos ventos.

Nas áreas voltadas para a captação de energia eólica, é comum vermos uma infinidade destas turbinas, que conectadas, enviam o que produziram para usinas, que por sua vez, farão o controle e a distribuição de acordo com sua capacidade.

E é nas turbinas que a solidez, tema deste artigo, está presente. É ela que define qual é a capacidade e a eficiência dos equipamentos. Descubra tudo a seguir:

Solidez das turbinas
O termo solidez pode fazer a gente pensar que se trata de algo sólido ou firme. Mas no que se refere a turbinas e a energia eólica, não é bem assim. Na verdade, a solidez (energia eólica) diz respeito à capacidade de cada um dos cataventos em gerar energia em determinada velocidade.

Esta característica é que será utilizada pelos especialistas para verificar se é ou não apropriada para determinada instalação e ainda, qual será o custo final do projeto. Ou seja, as indústrias que fabricam as turbinas, produzem opções com diferentes graus de solidez, cada uma indicada para um tipo de local diferente.

Podemos dizer, portanto, que não existem turbinas boas ou ruins, mas sim, aquelas que possuem as características que mais se adaptam a cada necessidade. O cálculo de solidez é realizado através da relação entre a área total das hélices, também conhecidas como pás, o motor da turbina em si e a área que será alcançada pelas pás. Esta área alcançada corresponde sempre a 70% do raio das hélices existentes no catavento.

Com esta informação, podemos dizer, portanto que quanto maior for a área das hélices, maior será a área de varredura ou alcance e com isso, maior também será a solidez de determinada turbina. Esta informação é tão importante para o planejamento de uma planta de energia eólica, que existem até fórmulas pré-existentes para ajudar os engenheiros a fazer este trabalho. A solidez das turbinas possui até uma representação simbólica, a letra grega sigma.

Dentro deste contexto, compreendemos então, que os cataventos que apresentam alta solidez são aquelas que, por sua vez, possuem também um alto coeficiente de potência, ou também chamado de rendimento aerodinâmico em velocidades de rotação baixas e que diminui conforme ela aumenta. Isso ocorre devido ao efeito normal das pás em rotação, também conhecido como efeito cascata, no qual as hélices influenciam o movimento uma das outras de acordo com o fluxo de ar existente.

A solidez das turbinas afeta todo o planejamento e construção da planta de energia eólica, pois quanto menor for, maior serão os mecanismos de controle de potência, para que os equipamentos não venham a ser prejudicados pela forca do vento.

Estes mecanismos de controle também aumentam a vida útil de todo o sistema e são importantes em turbinas de menor solidez porque, dependendo da força do vento, elas podem ficar desgastadas e deverão ser substituídas com mais frequência.

As turbinas de menor solidez, mesmo que precisem deste tipo cuidado, também podem ser de extrema vantagem, já que são capazes de gerar mais energia quando a velocidade do vento no local onde estão instaladas é mais alta.

Por outro lado, as turbinas de alta solidez são muito mais comuns, já que por ter o funcionamento mais simples, podem ter um tamanho menor e dispensam um mecanismo de controle tão afinado, o que acaba barateando os projetos a curto e a longo prazo.

Por estas características é que o planejamento de uma planta eólica demanda tempo e um grande cuidado aos detalhes, além de alto conhecimento das tecnologias disponíveis. Afinal, por se tratar de uma das formas mais limpas e eficientes de produção de energia, há sempre alguma evolução acontecendo nesta área.

É o caso, por exemplo, dos novos cataventos de solidez baixa em pequena estatura, que apresentam custos muito mais baixos do que os modelos tradicionais e garantem resultados bastante positivos.