Teoria da Evolução Molecular


Também conhecida como a teoria da evolução química, pode-se dizer que a teoria da evolução molecular é uma das mais populares entre a comunidade científica para justificar a origem da vida dos seres que não são inanimados. Por muitos anos, a teoria da abiogênese foi a mais acreditada e considerada verídica pelos cientistas e também os biólogos.

Com o tempo, a teoria da abiogênese foi desconsiderada, e como parte desse estudo, novas pesquisas foram realizadas com o objetivo de descobrir a origem dos seres vivos. Desde os tempos remotos, as perguntas sobre a origem dos seres vivos e quais são seus objetivos rodeiam a terra na busca por respostas que sejam coerentes, mas muitos anos se passaram até que uma única teoria pudesse ser quase unânime entre os pesquisadores que buscavam desvendar os mistérios sobre a origem.

Evolução Molecular

Para entender como funciona a teoria da evolução molecular é preciso ter em mente que foram anos e mais anos até que os cientistas, biólogos e até mesmo filósofos entendessem a origem da vida e como todo o processo acontecesse para que um ser passasse a manifestar a vida. A proposta inicial da evolução molecular surgiu com as pesquisas feitas por Charles Darwin, um naturalista britânico que só conquistou o respeito da comunidade científica ao analisarem suas teorias.

Ao contrário do que muitos pensam, o biólogo inglês Tomas Huxley não foi o responsável pela descoberta da evolução molecular. Pelo contrário, ele foi um dos poucos confidentes de Darwin e por isso sabia das ideias evolucionistas que o naturalista possuía. Logo após Darwin publicar a obra “A origem das Espécies” e explicar a Teoria da Evolução, o biólogo foi o principal responsável por propagar a sua ideia entre a classe científica e também foi o defensor da Evolução em debates.

O que a Teoria da Evolução Molecular defende

A Teoria da Evolução Molecular defende que a vida na Terra teria acontecido após ocorrer uma evolução química, a qual fez com que simples moléculas reagissem com o intuito de formar alguns polímeros orgânicos – macromoléculas que possuem uma unidade que se repete – mais complexos. Com isso, esses polímeros passaram a se “organizar” para a formação de entidades que são replicativas ou de ácidos nucleicos, que são moléculas com extensas cadeias carbônicas.

De forma mais específica, é possível entender esse processo de evolução química como o fato de algumas substâncias orgânicas passarem a se “conciliar” entre si, e com isso formaram novas moléculas orgânicas consideradas simples e essenciais. Através dessa reação simples, são formadas novas moléculas cada vez mais complexas, que após a sua formação são capazes de compor estruturas que passam a ter características como aptidões metabólicas e também autoduplicação, ou seja, polímeros.

Todo esse processo até chegar à autoduplicação é o responsável, segundo os cientistas, a dar início ao surgimento dos primeiros seres vivos. Vale destacar apenas que as moléculas orgânicas consideradas essenciais para os seres são os carboidratos, aminoácidos, ácidos graxos, bases nitrogenadas e outros. Já as moléculas consideradas mais complexas podem ser os lipídios, proteínas, ácidos nucleicos e diversos outros. Ou seja, são moléculas responsáveis pelo desenvolvimento dos seres.

Mais detalhes sobre a Teoria da Evolução Molecular

A teoria passou a ganhar novos desfechos a partir de outros pesquisadores e cientistas, como é o caso Alexander Oparin, que saiu em defesa que uma atmosfera que fosse dotada de hidrogênio e também de gases, ao ser aliada com a energia solar, seria basicamente um local propício para formar moléculas consideradas primordiais e outros compostos orgânicos simples. Ele também defendeu a tese de que as primeiras “vidas” surgiram em um ambiente livre de oxigênio.

Esse oxigênio era considerado por Oparin um elemento reativo, o qual poderia acabar de uma vez com todos os compostos orgânicos. Com o tempo, novas atualizações sobre a teoria foram surgindo a partir de diversos experimentos, como é o caso da mistura feita pelo químico americano Stanley Lloyd Miller com compostos orgânicos, que tinha o intuito de simular condições “existentes” na Terra considerada primitiva. Ele utilizou um aparelho para misturar alguns componentes distintos.

– Os experimentos mostraram que é possível formar moléculas complexas a partir das mais simples e também em certas condições ambientais.

– Esses experimentos serviram ainda mais de apoio à Teoria da Evolução Muscular, que depois de um tempo foi complementada por outras teorias.

– A teoria que complementou a Evolução Muscular foi a Panspermia, a qual diz que a vida na Terra é oriunda de substâncias precursoras de vida.

– Essas substâncias precursoras de vida, mencionadas pela Teoria da Panspermia, deveriam ser provenientes de outros locais do espaço, até mesmo de meteoros que poderiam ter caído na Terra.

– O interessante é que as pessoas que defendem a Teoria da Panspermia dizem que onde há vida, ocorre o desenvolvimento como Evolução Molecular.