Relação Estado x Política em Durkheim


Durkheim

Émile Durkheim foi um dos principais sociólogos da história francesa, sendo o fundador da escola francesa de Sociologia. Nascido em Épinal no ano de 1958, Durkheim deixou um legado que se notabilizou especialmente pela tentativa de se realizar a combinação entre a pesquisa empírica e a pesquisa teórica, tendo como principal preocupação o desenvolvimento metodológico da Sociologia.

Assim, embora não tenha tido a questão política como algo central em sua obra, Durkheim pode ser bastante estudado no que se diz respeito às questões entre política e estado, tendo sua visão bastante difundida por grande parte dos sociólogos modernos que compartilham de seu pensamento.

Estado x política para Durkheim

Para Durkheim, o estado poderia ser caracterizado como um grupo de pessoas que detinham a função de exercer o poder e a autoridade em uma determinada sociedade.

Desta maneira, Durkheim defende que o estado é um tipo de instituição que possui suas funções sociais bem definidas, de maneira que possam não apenas garantir as liberdades sociais de indivíduos em uma sociedade, mas também reforçá-las mesmo em tempo contrários, como as guerras, vividas por Durkheim.

Assim, para Durkheim, o aumento de poder centralizado no estado não traria prejuízos aos indivíduos, mas sim uma maior segurança e garantia de direitos. Em resumo, nesta visão, os indivíduos eram também um produto da atividade estatal.

Porém, mesmo com um posicionamento favorável ao estado, Durkheim não definiu como deveriam ser realizados os processos de contratação e treinamento de funcionários necessário para que possa haver um bom funcionamento do estado. No entanto, Durkheim afirmava que a burocracia estatal, já em sua época, havia passado por uma expansão demasiada, o que não necessariamente seria negativo.

Assim, a visão política de Durkheim com relação ao estado representa uma tendência de sua época, na qual a definição do papel de cada indivíduo de uma sociedade era uma necessidade.