Socialismo segundo Weber e Durkheim


Socialismo segundo Weber e Durkheim

Max Weber e Émile Durkheim são considerados pensadores clássicos da sociologia, mas o socialismo segundo a visão de cada autor é diferente. Um dos pilares da escola francesa de sociologia, Durkheim propunha a compreensão da sociedade como uma espécie de organismo. Ou seja, cada parte seria responsável por executar uma determinada função.

Pensamento positivista de Durkheim

Para que tudo estivesse em ação, uma parte era interdependente da outra. Nesse sentido, a visão do pensador é a de que o indivíduo tem que se sentir parte desse organismo, desse todo. Se isso não acontecesse, o tecido social poderia se deteriorar. Desse modo, a sociologia do autor é compreendida como positivista.

Para Durkheim, o socialismo seria uma espécie de resposta para essa deterioração social e, até mesmo, para os conflitos que atingiam patrões e empregados. Na visão do pensador, a ideia do socialismo era:

• Algo relativo a uma doutrina moral: ou seja, a ideologia é uma reforma moral, para que os trabalhadores conseguissem melhoria das suas condições de vida.

Socialismo compreensivo de Max Weber

Por outro lado, o socialismo segundo Weber estava relacionado à economia e ao controle que os operários poderiam exercer sobre os meios de produção. Para o autor, o Estado no socialismo deveria ser um sistema burocrático, preocupado também com a rentabilidade.

No entanto, a sociedade não seria tão harmônica e não funcionaria como um organismo, como queria Durkheim. Ao mesmo tempo, o autor também não apregoa uma revolução. Logo, o socialismo de Weber estaria ligado à:

• Uma espécie de análise sobre a sociedade. Nesse quesito, sua sociologia é classificada como compreensiva.

Para Weber, os indivíduos agem conforme o comportamento alheio. É o que classifica como ação social. Segundo esse posicionamento, as pessoas se relacionam de maneira subjetiva, conforme o outro. Para se tornar ação social, o indivíduo precisa atribuir um sentido próprio ao que faz.