Sociologia como Ciência

Sociologia

A sociedade humana não é advinda do século XIX. A estruturação da sociedade é um processo que remonta à antiguidade e que envolve diferentes estágios de organização ao longo da teia histórica e geográfica.

Ao longo do tempo, buscou-se a compreensão da sociedade por meio da filosofia. Na Grécia antiga, o pensamento filosófico justificou e legitimou o ordenamento social. A religião é outro fator presente na organização da sociedade humana.

Basicamente, qualquer tipo de ordenamento social precisa ser legitimado por valores aceitos, sejam eles filosóficos ou religiosos. Durante o período absolutista, legitimava-se o direito dos monarcas como um direito divino.

Levando-se em conta que essas condições sempre estiveram presentes, apesar das idas e vindas da sociedade humana, proporcionadas pelas guerras e grandes mudanças históricas, é possível que se estranhe o fato da sociologia como ciência ter levado tanto tempo para surgir.

O ambiente histórico e a sociologia como ciência

O surgimento da sociologia como ciência é um fenômeno do século XIX, não havendo dúvida de que o nascimento do pensamento sociológico esteja ligado ao advento do iluminismo. Assim como não há dúvida de que as bases para a sociologia já estavam estabelecidas com Aristóteles, com o deslocamento da base do conhecimento da sensibilidade para a experimentação.

A sociologia dá um passo à frente. Busca o estudo científico dos diversos aspectos da sociedade humana, das formas como ela surge e se estrutura aos alicerces que a mantêm e as forças que são capazes de mudá-la. A sociologia é, enfim, o estudo da sociedade humana, que irá gerar novas visões sobre a mesma, assim como teorias voltadas para o seu reordenamento.

O terreno em que a sociologia como ciência começa a se desenvolver é marcado por aspectos que vão além do pensamento predominante. O ambiente para que a sociologia como ciência se materialize é criado por intensas mudanças na sociedade humana.

A igreja perde seu espaço como agente de ordenamento da sociedade, a Revolução Industrial cria novas classes e impulsiona o modo de economia capitalista, ao mesmo tempo em que as contradições do Liberalismo se avolumam. Surge uma sociedade mais complexa. Conferir-lhe ordem requer outras formas de pensá-la.