Valvulopatias Aórticas


Recebem o nome de Valvulopatias uma série de doenças que tem como principal característica as lesões causadas nas válvulas cardíacas e que podem acabar alterando tanto a circulação quanto o funcionamento do coração.

Valvulopatias Aórticas

Mas você sabe o que são as válvulas cardíacas e pra que elas servem? As válvulas são estruturas de um tecido membranoso que tem como principal função garantir que a circulação sanguínea nos grandes vasos do corpo e também no coração. No total nós possuímos quatro válvulas, a mitral, triscúpide, aórtica e pulmonar.

A válvula mitral é também chamada de auricuventricular esquerda e realiza a passagem de sangue da aurícula esquerda para o nosso ventrículo do mesmo sentido. A aórtica por sua vez tem como função passar o sangue do ventrículo esquerdo para a nossa aorta.
Já a válvula tricúspide, que também recebe o nome de auriculoventricular direita, tem como função passar o sangue da aurícula direita para o ventrículo do mesmo sentido. Que é enviada para a artéria pulmonar pela válvula pulmonar.

Como funcionam as válvulas

Para que as válvulas funcionem passando o sangue de um lugar ao outro é preciso que toda vez que uma delas se abra, realizando a passagem da cavidade prévia cardíaca para as cavidades do coração ou para qualquer outro segmento arterial situado no lado oposto. Mas é preciso que ela se feche toda vez que o sangue passa e que as outras também se mantenham fechadas durante o processo. Isso impede que o sangue volte ou como chamamos, circule inversamente.

Quando qualquer uma dessas válvulas está com problemas ou apresenta uma lesão dois tipos de alterações no fluxo nos vasos e no interior do coração pode acontecer:

– Estenose: é o nome dado quando as lesões que impedem que alguma válvula se abra por completo, fazendo com que o sangue se acumule na cavidade que vem antes dela. Esse acúmulo acaba ocasionando a hipertrofia, que nada mais é do que o adensamento do tecido muscular, uma forma de evitar outros problemas e combater a estenose.

– Insuficiência: é o mais conhecido e nada mais é do que a falta de encerramento das válvulas ocasionado pelas lesões. Nessa lesão uma parte do sangue que circula acaba passando para a próxima cavidade ou segmento arterial sem que a válvula anterior tenha se fechado por completo. Isso faz com que uma quantidade muito maior de sangue fique acumulado, provocando também a dilatação desse tecido. Esse é um mecanismo para tentar reverter esses problemas.

O que causa a valvulopatia cardíaca

Frequentemente esse problema acontece por conta de uma doença autoimune que tenha sido estimulada por conta de uma infecção bacteriana, também conhecida como febre reumática. Depois da infecção o organismo passa a fabricar anticorpos contra ele mesmo e que acabam “atacando” as válvulas cardíacas, na verdade seus tecidos.

Doenças congênitas do coração são também as causas da valvulopatias como as miocardiopatias e endocardites.

Quais as patologias mais comuns

A válvula que mais sofre é a mitral. Ela pode ter dois tipos diferentes de valvulopatias, a insuficiência mitral e a estenose mitral. A primeira se caracteriza pela ineficácia do fechamento da válvula mitral, com isso a aurícula acaba se dilatando para conseguir manter o sangue que volta do ventrículo esquerdo. Já a estenose é a mais frequente das valvulopatias. Nela nem o ventrículo esquerdo nem a aurícula esquerda se abrem direito, o tecido hipertrofia e tenta expulsar o sangue que fica acumulado.

Essas valvulopatias podem acontecer sem nenhum sintoma e por isso, é comum que se manifestem de forma súbita. Normalmente a pessoa sente fadiga, falta de ar, palpitações e náuseas que podem acarretar em inchaços e edemas nas pernas. Já a insuficiência cardíaca é a causa de outra série de complicações.

Já as valvulopatias aórticas são aquelas que atrapalham a comunicação entre o ventrículo esquerdo e a aorta. Elas podem estar relacionadas à estenose aórtica, caracterizada pela abertura errônea da válvula aórtica e que provoca uma hipertrofia que tem como objetivo expulsar o sangue para a aorta pelo ventrículo esquerdo, e também a insuficiência aórtica, quando a válvula não fecha completamente e o sangue acaba voltando, dilatando-o.

Normalmente essas valvulopatias acontecem com sintomas que pioram com o decorrer do tempo, como a falta de ar em esforços físicos e palpitações.

Nas valvulopatias tricúspide, a estenose tricúspide acontece quando há uma hipertrofia da aurícula que tenta expulsar o excesso de sangue presente no ventrículo direito, já que a válvula não consegue se abrir completamente.

Quem sofre com insuficiência tricúspide o fechamento da válvula não acontece por completo, dessa maneira o ventrículo direito regressa para tentar expulsar o sangue fica acumulado na aurícula direita.

Essas valvulopatias são causadas sempre que há o comprometimento do lado esquerdo do coração, como a miocardiopatia, doença coronária, endocardite e febre reumática.

Quando as válvulas pulmonares são afetas, existe a estenose pulmonar e a insuficiência pulmonar. Na primeira a válvula pulmonar não abre completamente e o ventrículo direito acaba com hipertrofia. Já na segunda a válvula pulmonar não fecha completamente e o ventrículo direito acaba dilatado.