Arquivos da categoria: Espanhol

O espanhol é o idioma predominante na maioria da América Latina. Saber algumas frases e os verbos auxilia quem estuda ou visita os países que falam esse idioma.

Espanhol: Gentilicios (adjetivos pátrios)

Aprender a língua espanhola não é difícil, já que sua origem é a mesma do português, e algumas palavras são bastante semelhantes. É apenas questão de prestar atenção em pequenas mudanças na pronúncia ou na forma de se referir ao feminino e masculino dos adjetivos, por exemplo.

O tempo em espanhol

Não é novidade para ninguém que, muitas vezes, utilizamos as condições climáticas para puxar assunto com algum desconhecido, ou mesmo para quebrar o gelo, quando estamos com um conhecido e simplesmente não sabemos o que dizer. Não há dúvidas de que todos nós sabemos falar de condições climáticas, sejam elas reais ou previstas. Mas e quando necessitamos falar dessas condições em outro idioma? Será que falar do tempo em espanhol é parecido com o português? Como puxar assunto com um falante de espanhol se não soubermos falar do tempo?

Espanhol: Los Falsos Amigos

Los Falsos Amigos

Se alguém pedir a um indivíduo cuja língua nativa é o português para traduzir o significado do termo “Los Falsos Amigos“, originário da língua espanhola, será perfeitamente natural que esse indivíduo chegue a conclusão de que se trata de “os falsos amigos”, em português.

Isso levaria à conclusão de que “Los Falsos Amigos” seriam aquelas pessoas que se aproximam de outras com intenções egoístas, buscando tirar proveito da relação. Seriam pessoas não confiáveis, capazes de trair e tirar proveito de situações em que fosse colocada à prova a sua amizade, que é reconhecida como um tipo de relação em que as pessoas podem compartilhar suas vidas, seus problemas e se ajudar nas mais diversas situações. O amigo é aquele em quem se pode confiar de olhos fechados.

Da mesma forma, é bem possível que ao ser perguntado pelo seu saco, um brasileiro fosse procurar por um receptáculo de plástico, pano ou outro material, em que se podem portar diversos objetos. Na verdade, se a pergunta foi feita por um espanhol, ele estaria se referindo ao seu paletó. Em outras palavras, se o indivíduo é brasileiro, mas está em um país de língua espanhola, ele poderá trajar um “saco” quando necessário frequentar ambientes mais formais.

Significado de “Los Falsos Amigos”

“Los Falsos Amigos” quer dizer, em português, aquelas palavras que existem em duas línguas, cuja grafia e pronúncia são idênticas ou aproximadas, que significam coisas diferentes.

Não por outra razão, é comum que brasileiros passem por constrangimentos em países de língua espanhola. A proximidade das línguas, ambas derivadas do latim, acaba por oferecer mais armadilhas semânticas que na comparação entre línguas de origens diferentes, como é o caso do inglês. Isso deriva do fato de que, pela proximidade da língua, as pessoas tendem a acreditar que é possível estabelecer comunicação sem o estudo prévio dos signos da outra língua.

São chamadas essas palavras de “Los Falsos Amigos” porque são palavras que enganam e podem levar a constrangimentos quando empregadas no sentido inerente à língua nativa do emissor para se comunicar em outra língua.

Nesse sentido, os termos se aproximam, pois assim como não se pode confiar nos falsos amigos, em português, deve-se tomar o mesmo cuidado com os “falsos amigos” em espanhol.

Espanhol: Saudações

Assim como o português, o espanhol é uma língua bastante complexa. E apesar de apresentar bastante similaridade com a nossa, em alguns aspectos elas são muito diferentes uma da outra, e um belo exemplo dessas diferenças pode ser encontrado nas saudações. Muito mais que um cumprimento ou um início de conversa, as saudações podem revelar muito sobre a cultura e o jeito de ser de determinado povo. Como exercício, vamos pensar na despedida de e-mails empregada no português e no inglês. Mesmo em e-mails de trabalho, use-se amplamente “Um abraço” como despedida. Já em inglês, “Best regards” (que pode ser traduzido como “sinceros cumprimentos”) é a forma padronizada de despedida em e-mails profissionais. Assim, enquanto que a primeira representa uma despedida mais calorosa, a segunda apresenta uma despedida mais formal e este aspecto pode ser percebido na cultura – e não estamos fazendo uma crítica ou destacando a frieza dos falantes de inglês, muito pelo contrário.

Este mesmo pensamento pode ser aplicado às diferentes saudações utilizadas em espanhol. Mas antes de partimos para seu estudo propriamente dito, é importante explicarmos, mesmo que superficialmente, alguns aspectos da língua espanhola, que enriquecerão nosso estudo e compreensão das saudações empregadas nesta língua.

Espanhol: Pretérito Imperfeito do Indicativo

O tempo do verbo designa o instante em que acontece a ação: presente, passado ou futuro. No espanhol, os tempos verbais dividem-se em:

– simples: construído somente pelo verbo principal.

– composto: construído pelo verbo de apoio haver e o particípio do principal verbo.

– perfeito: evidencia a definição temporal. A expressão perfeito tem o significado de acabado, completo.

Espanhol: Uso do “e” e “y”, “o” e “u”

As conjunções são expressões que juntam duas palavras em uma mesma frase ou duas frases. Essas frases podem determinar um vinculo de coordenação, isto é, uma está ligada a outra, porém não existe submissão entre elas, ou podem determinar um vínculo de subordinação, isto é, uma subordina-se a outra para ter significado completo.

Essas conjunções coordenadas podem estabelecer relações de adição (y/e) ou de alternância (o/u) entre expressões ou orações.

– A conjunção Y/E estabelece relação de adição afirmativa entre expressões e orações.

Espanhol: La Culinaria en Español

A Espanha é um dos mais antigos países da Europa. Sua cultura atravessou os séculos sofrendo a influência de diversas outras culturas de povos que passaram por ali. A Espanha tem muitos traços árabes, já que a Península Ibérica sofreu uma grande invasão de muçulmanos ainda na Idade Média. A culinária espanhola é uma das mais marcantes da Europa e é baseada na culinária mediterrânea, já que os povos que sempre habitaram as terras às margens do Mar Mediterrâneo sempre promoveram intensos intercâmbios uns com os outros.

De forma geral a culinária espanhola possui é bem peculiar, mas possui alguns traços comuns a outras partes da Europa, como a presença do pão e do vinho para acompanhar praticamente todas as refeições. É possível conhecer um pouco da extensa culinária da Espanha nos diversos restaurantes espanhóis espalhados pelo Brasil. Mas se você quiser realmente saber o real sabor de um prato autêntico espanhol, é importante que você conheça o país de perto.

Espanhol: a língua espanhola no mundo

Muitas vezes, nós nos deparamos com um determinado pensamento fruto da tábula rasa que incide sobre o aprendizado das línguas: quem fala português automaticamente fala espanhol, e vice-versa. Apesar das similaridades fonéticas e sonoras entre ambas as línguas, não é verdade que o aprendizado de uma pelo falante de outra seja tão automático a ponto de dispensar a necessidade de um estudo mais aprofundado, detalhado e cuidadoso acerca dos aspectos gramaticais, fonéticos, semânticos e, sobretudo, culturais.

Artigos Determinantes e Regras de Acentuação

Regras de Acentuação

A língua portuguesa é cheia de regras, que muita das vezes, as pessoas têm dificuldade de entender e sendo assim, não conseguem fazer o uso correto das mesas, o que pode prejudica-las em concursos, por exemplo.

Mas é preciso ter em mente a importância do uso correto do português no nosso dia a dia e sempre buscarmos sanar as dúvidas que nos colocam em risco de cometermos “gafes” linguísticas. Sendo assim, hoje falaremos de Artigos Determinantes e Regras de Acentuação.

Artigos Determinantes

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que é um artigo. Existe o definido e o indefinido, e ambos aparecem antes de um substantivo. Mas por quê? O objetivo de um artigo é determinar se o substantivo está no plural ou singular, e qual o gênero.

É a partir deles que somos capazes de mantermos coesão no discurso linguístico. Mas quais são os artigos? Os definidos são: “o”, “a”, “os” e “as”. Os indefinidos são: “um”, “uma”, “uns” e “umas”. E assim que eles se tornam uteis em variadas construções da língua portuguesa.

Regras de Acentuação

Talvez um dos tópicos mais difíceis de aprender, porém um dos mais importantes. O acento pode mudar totalmente a tonificação de uma palavra, e consequentemente o sentido de uma frase inteira. Sendo assim, emprega-los de maneira correta é de extrema importância para uma comunicação eficaz.

Confira algumas regras relacionadas aos acentos:
1. O til (~) é colocado somente nas vogais “a” e “o” para sinalizar nasalização.
2. O acento grave, mais conhecido como crase, é a junção de dois “as”.
3. Todas as palavras proparoxítonas devem ser acentuadas.
4. “Ter” e “vir” são verbos que quando na terceira pessoa do plural do presente do indicativo recebem o acento circunflexo.
5. As palavras proparoxítonas só são acentuadas quando terminadas em “a”, “i”, “is” e “us”.
6. O acento diferencial só em empregado nas palavras “pôr” e “pôde”.
7. Os ditongos abertos, quando em palavras oxítonas ou monossilábicas, necessitam de acentos agudos nas vogais.
8. Quando as palavras são ligadas por hífen, cada uma é autônoma quando se trata de acentuação.
9. Quando apresentadas sozinhas ou acompanhadas com a letra “s”, as vogais “i” e “u” dos hiatos recebem acento agudo.

As dicas acima são básicas e fáceis de empregar, quando as conhecemos a regra!

Advérbios, Preposições e Conjunções

Advérbios, Preposições

Advérbios, Preposições e Conjunções

Você sabe o que aproxima advérbios, preposições e conjunções, o que essas classes de palavras têm em comum?

São todas elas invariáveis. Isso significa dizer que são palavras que não podem ser flexionadas no plural.

Há, na língua portuguesa, de acordo com a morfologia, que é o ramo da linguística que estuda as palavras quanto à sua natureza, buscando agrupá-las e organizá-las para estudo, dez diferentes classes de palavras, divididas em dois grupos: variáveis e invariáveis.

– Variáveis: substantivos, adjetivos, verbos, artigos, pronomes e numerais.

– Invariáveis: advérbios, preposições, conjunções e interjeições.

O que são advérbios?

Os advérbios são palavras que, de alguma forma, modificam o verbo, o adjetivo ou outro advérbio, conferindo-lhe intensidade, dramaticidade, urgência, escassez, etc.

Exemplos:

“Ela saiu muito cedo de casa”

Muito é o advérbio de intensidade, que enfatiza o advérbio de tempo “cedo”, dando ideia de exagero.

“Naquele dia ele estava muito elegante”

Muito, nessa oração, enfatiza o adetivo “elegante”

“O carteiro caminhava acelerado”

Acelerado é o advérbio, que dá ideia de pressa, modificando o sentido do verbo caminhar.

“Ele era pouco afeito às baladas noturnas”

Repare que “pouco” inverte completamente o sentido da frase ao mudar o sentido de “afeito”. Se retirarmos o termo “pouco”, teremos o sentido oposto.

O que é preposição?

A preposição é um termo que subordina uma palavra a outra e dá sentido à frase.

Exemplos:

Para – Ele entregou o livro para mim.

Ao – O aluno novo foi ao banheiro

Entre – Há um espaço entre os dois pilares

Pelo – Ele trafegava pelo acostamento

Com – Marina foi ao evento com sua secretária

O que é Conjunção

É um termo que liga duas palavra, dois elementos de uma oração ou uma oração à outra

Exemplos:

Mas (oposição ou contraste) – Eu estou entusiasmado, mas ainda desconfiando.

Se (condicional) – O ano terminará bem se for possível solucionar esse conflito.

Quando (tempo) – Teremos sérios problemas quando os recursos naturais se esgotarem.

Pretérito Perfeito Composto

Antes de falar sobre como podemos compreender o pretérito perfeito composto na língua espanhola, é mais do que indispensável entender como esse tempo verbal funciona na língua portuguesa. Na verdade, ao entender a lógica no português, ficará bem mais fácil de compreender como a mesma regra acaba funcionando no espanhol, já que e língua espanhola, semelhante à portuguesa brasileira, tem regras específicas que mudam muito pouco e que acabam ajudando a compreender melhor a lógica na formação das frases e como elas se distinguem dos demais tempos verbais.