Arquivos da categoria: Português

Português: Aprender o nosso idioma e aprimorar a interpretação de texto é importante para as provas. E uma aula de português é fundamental para aprimorar os seus estudos. Confira no Resumo Escolar conteúdos de Português

Resumo Conto

Sempre que se inicia um texto, surgem as primeiras dúvidas sobre como redigi-lo. Seja no papel ou no computador, é preciso primeiramente ter em mente a história que se quer contar. E principalmente, saber organizar as ideias e pensamentos que irão “narrar” os fatos contados.

Resumo tipos de texto

Falamos tanto sobre os textos. Mas será que de fatos sabemos conceituá-los? Um texto é um conjunto de palavras, frases, expressões e parágrafos. Basicamente, algo criado cuidadosamente para ser lido. Mas será que essa é a sua única definição? Neste artigo, confira o que são textos, diferentes tipos de textos e demais aspectos sobre o assunto.

Diferentes tipos de frases

Para começar este artigo, observe atentamente algumas frases:

1. Você é a melhor mãe do mundo!
2. Eu não gosto dos políticos brasileiros atuais.
3. Por que você tomou essa decisão?
4. Essa semana será ótima.

Consegue notar alguma diferença entre elas?

O uso do “consigo” e “contigo”

A língua portuguesa é normalmente uma matéria que leva os alunos ao extremo: há aqueles que a amam e aqueles que a odeiam a matéria. Temos que concordar que se trata de uma língua um tanto complicada para ser aprendida sob todas as suas vertentes, mas isso não significa que seja impossível aprender a falar e escrever corretamente. No dia a dia, na língua falada, é claro que nem tudo sai perfeito, mas é necessário conhecer bem a norma culta da língua para redigir bem cartas e documentos. Lembre-se: em e-mails informais, até valem alguns errinhos e abreviações, mas é deselegante exagerar na dose a ponto de parecer estar falando outra língua. E em e-mails corporativos então, abreviaturas nem pensar!

Apesar da ou de a?

A língua portuguesa é sempre capaz de nos surpreender com uma dúvida nova – e, na grande maioria dos casos, mantém uma enorme distância entre o que é falado e escrito. Na hora de falar, que atire a primeira pedra aquela pessoa que se importa em diferenciar ‘apesar da’ da expressão ‘apesar de a’. Não ligamos, não é mesmo? Tanto na hora de falar como também de ouvir.

Requeriu ou requereu?

Um dos maiores desafios da língua portuguesa é a conjugação dos verbos. Com inúmeros tempos verbais, muitas pessoas se perdem aplicando os verbos no dia a dia. No entanto, muitas vezes é possível tirar essas dúvidas com muita leitura e algumas dicas simples de gramática.

Vogal Temática

Em nosso idioma, a vogal temática é caracterizada por uma vogal (presente em verbos) responsável pela indicação de conjugação. Essa vogal deve estar localizada sempre após o radical, e em alguns casos, agrega-se ao mesmo. No português, são apenas três as vogais temáticas – ou seja, vogais que permitem a identificação sobre qual conjugação determinado verbo faz parte. Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre as vogais temáticas.

Tópico Frasal

Logo na escola primária as crianças já aprendem que um parágrafo deve conter um assunto específico. O autor do texto só deve criar outro parágrafo quando a ideia anterior já foi discutida. Esse ponto é extremamente importante na produção de um texto dissertativo-argumentativo, pois ele influencia diretamente na estrutura do texto. Em provas, vestibulares e exames é imprescindível que o estudante saiba os conceitos básicos desse assunto.

Dialetos e registros no português brasileiro

Em linguística, existe uma afirmação aceita universalmente pelos estudiosos da área que diz que a linguagem constrói os sujeitos e, em uma via de mão dupla, que o sujeito constrói a linguagem. Pode parecer estranho à primeira vista, mas esta afirmação não poderia ser mais verdadeira. Pense em você falando com uma pessoa que também fala português (ou seria brasileiro?), mas é de outra região do país que a sua. Com certeza, esta pessoa usará gírias diferentes de sua, terá um sotaque diferente e mesmo terá outra forma de utilizar a sintaxe durante as frases. Mesmo que você não saiba de onde a pessoa é, você irá conseguir dar um palpite quase certeiro sobre o lugar do qual aquela pessoa vem. É neste sentido que se fala da linguagem como um importante instrumento de construção socio-histórica de nós enquanto sujeitos.

Licença Poética

É muito provável que em algum momento de sua vida escolar ou acadêmica você já tenha tido contato com o conceito de gênero textual (ou gênero discursivo). Se você não teve, sem problemas, pois te explicaremos brevemente. Os gêneros textuais são estruturas pré-definidas, mas extremamente maleáveis que usamos nas mais diversas atividades de nossa vida para nos comunicarmos, ou seja, tudo aquilo que falamos, escrevermos e lemos se encaixa em determinado gênero textual. Como exemplo, podemos citar dois gêneros textuais opostos: uma receita de bolo e uma conversa via Whatsapp.

A relação entre as preposições e a regência verbal

A esta altura, você provavelmente já sabe o que é a linguística, o que ela estuda e quais os níveis de análise. Mas se você não sabe, sem problemas. Vamos fazer uma recapitulação rápida especialmente para você.

Verbo Haver

O verbo haver se comporta de modo um pouco diferente que os outros verbos. No sentido de ocorrer ou de existir, ele é impessoal, ou seja, permanece na terceira pessoa do singular afinal não tem sujeito. Não se deve flexionar o verbo no plural. Esse erro acontece por conta dos verbos similares, como existir e ocorrer que tem sujeito flexionando de acordo com o número e pessoa:

Os vários sentidos das conjunções

Em todas as línguas, há uma série de recursos e estratégias que os falantes utilizam para se comunicarem. Essas estratégias e recursos vão das mais simples as mais complexas, e estão presente em todos os níveis: fonológico, morfológico, sintático, semântico e pragmático. Mas claro que tudo isso é feito conforme a gramática da língua, pois as regras devem ser obedecidas para que a comunicação seja efetiva.

Discutindo algumas estratégias referentes à ortografia

A nova reforma ortográfica do Brasil, assinada em 1º de janeiro de 2009, mexeu com a cabeça de muita gente. Já se passaram sete anos desde a mudança, no entanto, ainda existem muitas dúvidas que permeiam o debate acerca das mudanças na língua. Essas dúvidas, inclusive, fazem parte da língua portuguesa há muito tempo. O idioma é marcado pelo grande número de regras, conjugações, tempos verbais, entre outros aspectos que dificultam o desenvolvimento de uma boa fala e escrita. Muitos brasileiros, que já possuem o português como língua nativa, possuem problemas ao expressarem suas ideias de forma oral ou escrita.

Avisou que ou avisou de que?

O verbo avisar possui dupla transitividade, o que pode causar dúvidas no momento de utilizar as expressões “avisou que” e “avisou de que”. Em ambos os casos estão circunstâncias que se relacionam com a regência verbal e nas duas expressões estão particularidades linguísticas que direcionam o atual sistema de gramática que utilizamos. Dessa forma, quando não conhecemos as regras desse sistema, podemos nos encontrar em situações de conflito, nas quais não se sabe qual das expressões utilizar.