Concordância verbal com sujeito deslocado


Ao escrever uma frase costumamos usar a ordem sujeito predicado complemento. Dessa forma, o verbo sempre concorda com o sujeito. Montar a frase então fica mais lógico e você consegue fazer isso tranquilamente.

Concordância verbal com sujeito deslocado

Por exemplo: As discussões tiveram início ainda ontem.

Sabemos que o sujeito é “as discussões” e está no plural, o que significa dizer que o verbo “tiveram” concorda com ele.

Agora há casos em que precisamos trabalhar a concordância verbal com sujeito deslocado. Ou seja, a frase agora não segue a ordem sujeito predicado complemento. A tendência é fazer com que o verbo concorde com o que vem logo em seguida dele.

Então é comum dizermos algo como: Teve início ainda ontem, as discussões.

O problema é que essa frase está incorreta. Pois a concordância verbal com sujeito deslocado deve ocorrer mesmo quando o verbo e o sujeito não estão próximos.

O que é concordância verbal com sujeito deslocado

Sabemos que a concordância verbal se refere ao tempo e forma que conjugamos um verbo. Se o sujeito da frase está no singular, usamos o verbo no singular, se no plural, devemos usar o plural.

Colocar isso em prática quando o sujeito não está deslocado é bastante fácil. Pois você consegue perceber qual é a melhor forma de usar o verbo.

Agora quando o sujeito está deslocado é comum que alguns erros aconteçam. Como se trata de um assunto um pouco complexo, confira abaixo alguns exemplos de frases que possuem sujeito deslocado da forma que você costuma conjugar o verbo:

• Falta menos de três meses para acabar o ano
• No texto falta mais imagens
• Acabou as aulas
• Basta apenas cinco minutos para chegar ao mercado
• Neste mesmo lugar teve início os shows
• Resta duas laranjas para os sucos
• Ficou comprovada, de uma vez por todas, as tentativas de suborno
• Ainda falta dois meses
• Existe, por trás de tudo que foi dito, muitas mentiras
• Foi descartada ontem as acusações feitas ao réu

Em uma primeira observação as frases parecem estar todas corretas. No entanto, há um erro grave de concordância entre o verbo e o sujeito. A concordância verbal com sujeito deslocado deve estar presente.

Ou seja, você não pode concordar o verbo com o predicado da frase ou com outro complemento que ali esteja aparecendo.

Vamos então entender melhor como funcionaria a concordância verbal quando o sujeito está deslocado.

Qual a forma correta de trabalhar a concordância verbal

Tendo como base os exemplos que foram vistos no tópico anterior, veja como ficariam as mesmas frases quando o verbo e o sujeito deslocado estão concordando – o que é obrigatório para que estejam dentro do padrão da língua portuguesa:

• Falta menos de três meses para acabar o ano

O verbo faltar deve concorda com três meses. (plural, mais de um mês). A forma correta de escrita seria: “Faltam menos de três meses para acabar o ano”. Tanto que se a frase fosse dita de outra maneira, provavelmente seria: “Menos de três meses faltam para acabar o ano”.

• No texto falta mais imagens

O verbo faltar deve concordar com imagens e não com texto. Sendo assim, a frase deveria ter sido escrita: “No texto faltam mais imagens”. Se fosse escrita de outra maneira: “Faltam mais imagens no texto”, ficaria mais fácil entender a necessidade do plural, já que o sujeito não estaria deslocado.

• Acabou as aulas

“Acabaram as aulas”. Veja como ao contrário seria mais fácil colocar o verbo no plural: “As aulas (sujeito) acabaram (verbo no plural)”.

• Basta apenas cinco minutos para chegar ao mercado

O verbo bastar é outro que causa dúvidas quanto a concordância. Cinco minutos é mais do que um, ou seja, exige plural. Assim, seria preciso usar bastam. “Bastam apenas cinco minutos para chegar ao mercado.”. Se ficar difícil de entender, coloque o sujeito na ordem certa e veja como “basta” não se encaixaria: “Apenas cinco minutos bastam para chegar ao mercado.”

• Neste mesmo lugar teve início os shows

Se a frase fosse: “Os shows tiveram início neste mesmo lugar”, você automaticamente usaria o plural. Então, mesmo que o sujeito esteja deslocado, a frase deveria ser escrita: “Neste mesmo lugar tiveram início os shows”.

• Resta duas laranjas para os sucos

Duas laranjas. Novamente a questão de quantidade. Mais do que uma exige plural. Então: “Restam duas laranjas para os sucos”. Ou “Duas laranjas restam para os sucos”.

• Ficou comprovada, de uma vez por todas, as tentativas de suborno

“Comprovar” deve concordar com “tentativas” e não como “de uma vez por todas”. A frase correta é: “Ficaram comprovadas, de uma vez por todas, as tentativas de suborno.” Se você escrevesse a frase como “As tentativas de suborno ficaram comprovadas de uma vez por todas” nem pensaria em usar o singular.

• Ainda falta dois meses

Questão de quantidade novamente. “Meses”, plural de mês. Então: “Ainda faltam dois meses”.

• Existe, por trás de tudo que foi dito, muitas mentiras

O verbo “existir” concorda com “muitas mentiras” e não com “por trás de tudo que foi dito”. Portanto, “Existem, por trás de tudo que foi dito, muitas mentiras.” Para ajudar você a entender melhor: “Muitas mentiras existem por trás de tudo que foi dito”.

• Foi descartada ontem as acusações feitas ao réu

Aqui o problema não está apenas no verbo, mas também na palavra “descartada”, que o segue. “Foram descartadas ontem as acusações feitas ao réu.”

Viu como é fácil entender a concordância verbal com sujeito deslocado? Se estiver com dificuldade, experimente montar a frase de forma diferente. O uso do singular ficaria estranho, não é mesmo?!