Arquivos da categoria: Sociologia

Resumo sobre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Você que está na faculdade já deve ter ouvido falar sobre o CNPq, não é mesmo? Essa é uma das maiores instituições brasileiras que promove inovação, pesquisa e desenvolvimento para o país. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico foi criado em 15 de janeiro de 1951, a fim de atender as demandas da criação de uma instituição que fomentasse e coordenasse o desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil.

Resumo Dia do Trabalho

A cada ano, no primeiro dia do mês de maio, é comemorado o Dia Internacional dos Trabalhadores em vários países. A data serve para celebrar a classe trabalhadora e as conquistas trabalhistas. A escolha da data foi feita em homenagem a uma manifestação histórica realizada em 1886 por trabalhadores de Chicago, cidade mais populosa de Illinois, nos Estados Unidos. Na época, as condições de trabalho eram desumanas.

Resumo Dia do Professor

Você sabia que 15 de outubro é o Dia do Professor? É claro que devemos valorizar os nossos mestres todos os dias, e estar conscientes no seu importante papel em nossa sociedade, mas que tal aproveitar a data para prestar uma homenagem especial àqueles que tanto te ensinaram e ainda têm a ensinar? A maior parte das escolas comemora a data, mas você sabe por que o Dia do Professor é comemorado nesse dia?

Administração: Fusão, Cisão e Incorporação

Não existem leis gerais ou métodos fixos que garantem uma boa administração a uma empresa. Por não ser uma ciência exata, a área está sujeita às influências e dissabores do mundo exterior. Em relação à livre iniciativa, a dinâmica do mercado dita as regras e impõe as mudanças que as corporações devem acatar.

Introdução ciências sociais

As ciências sociais são uma grande área de estudos voltada especialmente aos primórdios, organização e desenvolvimento de diferentes culturas, comunidades e sociedades. O cientista social é o profissional responsável pelo estudo de estruturas, fenômenos e relações sociais em organizações do tipo econômicas, culturais, políticas e sociais como um todo. Entre os campos de pesquisa do cientista social destacamos a análise de conflitos e movimentos sociais, a construção de opiniões e identidades, a formação de hábitos e costumes e a própria relação que se estabelece entre diferentes grupos, pessoas, famílias e até mesmo organizações. Neste artigo, confira uma introdução à área de ciências sociais.

Direito de Arrependimento

Quem é que nunca comprou um produto e se arrependeu logo em seguida? Pois é. O processo de compra é movido quase que exclusivamente pelo nosso emocional. Muitas vezes, somos influenciados a pensarmos que precisamos de determinados produtos ou serviços, quando na realidade, podemos viver normalmente sem eles.

Sistema Indiano de Castas

Em comunidades consideradas liberais, existe uma crença de que o indivíduo é capaz de mudar de classe social e econômica caso seja bem sucedido. Ou seja, o acúmulo de riquezas seria o suficiente para promover a chamada mobilidade social. No entanto, o sistema indiano de castas representa uma situação específica, em que a atividade profissional e o dinheiro não explicam sozinhos a posição do sujeito. Isso significa que existe uma ordenação mais complexa e inflexível dos grupos na sociedade. Na índia, emprega-se parâmetros de religião, bem como de hereditariedade para se dividir a população. A Índia conta com aproximadamente 11 bilhões de habitantes, sendo 75% deles seguidores do hinduísmo.

Liberalismo político

Estamos vivendo em uma época sem nenhum precedente na história da humanidade, seja na história clássica ou na história moderna. A globalização que integra mercado e povos; a internet, cuja as ferramentas são capazes de aproximar e afastar, causar lutas e levar à paz, de ensinar e de doutrinar; e as novas significações dadas aos conceitos de tempo e espaço faz com que nosso tempo seja extremamente peculiar.

Resumo sobre Negócios modernos

Que empreendedor não quer ver o seu negócio dando certo, não é mesmo? Porém, para que isso seja possível, é necessário levar em consideração uma série de aspectos: gestão, planejamento de negócio, movimentação do comércio no país, e principalmente, as tendências dos negócios modernos – afinal, de nada adianta apostar em um segmento em constante queda, não é mesmo?

Litigância de má-fé

Qualquer cidadão que se sinta prejudicado pode recorrer ao Poder Judiciário para assegurar e fazer valer seus direitos. No entanto, nem sempre consegue obter o resultado desejado, seja pela lentidão do processo, seja pela falta de embasamento jurídico que lhe dê sustentação. Em certos casos acontece algo ainda mais grave, quando pessoas que atuam no processo violam os deveres processuais. Isso é chamado de litigância de má-fé pelo Código de Processo Civil (CPC). Quando isso acontece é preciso aplicar meios coercitivos para garantir que as condutas erradas sejam inibidas.

Natureza Humana e Tecnologia

A partir da segunda metade do século XX até os dias de hoje, com o grande avanço das pesquisas vinculadas à tradução do quadro genético dos seres humanos e a decorrente utilização da técnica de modificação genética, algumas perguntas começaram a surgir, como: Há realmente uma origem humana que não pode ser modificada? Quais os limites da ética com relação à natureza humana e tecnológica? É possível transformar a natureza do ser humano de tal formar que seja possível eliminar as doenças e a velhice? E quais são os riscos nisso tudo?
É importante compreender, primeiramente, o que vem a ser a natureza humana.

A Justiça, a Lei e a Atividade do Juiz

No artigo que se sucederá a seguir, elencaremos algumas considerações, comentários e conceitos no que tange o assunto que elege a justiça, a lei e a atividade de juiz, propriamente dita, como importantes fatores que circundam a nossa sociedade. Breves conceitos, importâncias e demais formas de enxergar tais ideias que parecem tão distantes de nós, meros leigos no que abrange o setor do estudo mais aprofundado por um bacharel em Direito. Através desse artigo, estaremos focados em apresentar um pequeno ramo da grande árvore que compreende o estudo que abarca a justiça, a lei e a atividade de juiz. Com isso, os temas serão separados em iguais tópicos para compreendê-los separadamente e atingirmos, sobre nossas próprias conclusões, como esses assuntos se entrelaçam.

Tipos de Governo e Lei dos Três Estados de Comte

Para Comte, há dois tipos de governo:

Temporal – age em última análise por meio da força física, cuida da realidade prática (económica e política) e disciplina as condutas de maneira objetiva.

Espiritual – age por meio da opinião e dos conselhos e, assim, cuida da subjetividade dos seres humanos (ideias, valores e sentimentos).

Sociologia de Comte: Estática e Dinâmica Sociais

Nesta unidade, aprofundaremos a discussão sobre o conceito sociológico de Auguste Comte. Após termos visto, na unidade anterior, alguns elementos teóricos gerais – o relativismo, o historicismo e o holismo -, assim como as duas leis sociológicas fundamentais – a lei dos três estados e a classificação das ciências – veremos os elementos das duas grandes partes da Sociologia comtiana: a estática social e a dinâmica social.

Essas duas partes procuram responder às seguintes questões:

Quais são os elementos que compõem qualquer sociedade? Como as sociedades mudam no decorrer do tempo?

Sociologia Comteana

Quais os elementos específicos da Sociologia de Comte? Vimos que ela buscava unir uma teoria “pura” da sociedade com a possibilidade de aplicação prática; ao mesmo tempo, possuía preocupação com a formulação de leis sociológicas. Nesta unidade e na próxima serão examinados cada um desses elementos: a teoria geral, as leis e as formas de aplicação prática.

Historicidade, relativisnto, holismo

A Sociologia de Auguste Comte considerava que a sociedade devia ser estudada usando procedimentos gerais que estavam próximos dos que as demais ciências utilizavam para explicar o mundo natural. Ou seja: rejeitar a Teologia (isto é, o recurso a vontades sobrenaturais como causas das ações humanas) e recusar o que Auguste Comte chamava de metafísica para compreender a realidade. Em seu lugar, buscam-se as leis naturais para explicar e predizer os fenômenos sociais, permitindo em seguida a intervenção prática.

Auguste Comte e a Fundação da Sociologia

Quem fundou a Sociologia? Quais as suas preocupações? Vimos nas unidades anteriores que foram várias as condições para o surgimento dessa ciência, e como os problemas com que ela se defrontou desde o início eram urgentes. Nesse sentido, quais foram precisamente as ideias sociológicas de Auguste Comte? Como elas se inseriram em sua época?

D confusão terminológica: os “positivismos”

Ao fundar a Sociologia, Auguste Comte incluiu-a em um conjunto maior de ideias a que chamou positivismo. Todavia, tanto nas Ciências Sociais quanto nas Ciências Naturais, a palavra “positivismo” gera confusão, pois indica várias coisas, muitas delas conflitantes entre si. Mesmo as observações a respeito das ideias de Comte fre­quentemente estão erradas. Assim, nesta unidade e na próxima considera-se que o positivismo é exclusivamente o nome dado por Auguste Comte à sua filosofia e ao movimento político e social dela derivado.

Divisões das Ciências Sociais

A final, o que estuda exatamente a Sociologia? Ela não possui divisões internas segundo os assuntos de que trata? A palavra “Sociologia” foi criada em 1836 por Auguste Comte, juntamente com um projeto específico de : ciência da sociedade. Para ele, a Sociologia deveria ser uma ciência geral da sociedade, isto é, que a consi­derasse, antes de tudo, uma realidade total, englobando vários aspectos específicos. A partir dos princípios gerais é que os elementos particulares (família, riqueza, propriedade, governo, etc.) poderiam ser estudados. Ao mesmo tempo, essa teoria geral deveria considerar tanto as sociedades ocidentais quanto as não ocidentais, tanto as civilizações contemporâneas quanto as antigas.

Todavia, os vários objetos de pesquisa e as diferentes perspectivas teóricas e filosóficas suscitaram uma cres­cente especialização no conhecimento sobre o mundo social. Surgiram, por exemplo, formulações e modelos de análise específicos e que não se preocupam em relacionar-se a alguma teoria mais ampla. A teoria da democracia, por exemplo, considera os indivíduos apenas em termos políticos (e, às vezes, também econômicos), mas deixa de lado aspectos religiosos, culturais, intelectuais: não é que esses outros aspectos sejam desprezados, mas não são levados em conta ao se considerar a organização da democracia.