Gestão de conflitos


A gestão de conflitos é uma das muitas áreas que envolvem o universo da administração, dos recursos humanos e da gestão empresarial. A seguir, você vai aprender tudo a respeito dos conceitos mais importantes e formas de aplicar as estratégias e ações no cotidiano dos negócios.

Gestão de conflitos

O que é gestão de conflitos?

Assim como o próprio nome indica, a gestão de conflitos tem como principal objetivo lidar de maneira mais positiva e produtiva com os diversos tipos de situações que possam vir a ocorrer dentro de uma empresa ou organização.

Mas é preciso salientar que está focado principalmente na resolução de conflitos entre pessoas e é por isso que essa é uma área que está sempre intimamente ligada com o departamento de recursos humanos. Porém, o ideal é que todo gestor conheça e saiba aplicar os conceitos, para assim, garantir um trabalho em equipe muito mais eficaz.

Afinal de contas, os conflitos podem existir em todas as áreas de trabalho. As pessoas precisam atuar durante horas no mesmo espaço profissional e lidar com diferentes personalidades para garantir que projetos e objetivos sejam conquistados.

Cabe, portanto, à liderança saber como lidar com os diferentes perfis de profissionais de cada time para que seja possível conquistar o máximo em resultados, sem que problemas de convivência surjam e acabem dificultando o alcançar das metas.

Isso sem falar que alguns conflitos entre funcionários podem ser tão sérios e profundos que são capazes de causar problemas na empresa, principalmente quando há indivíduos capazes de burlar regras, manipular outras pessoas e até agir de forma antiética somente para prejudicar outro colega.

Por isso, o mais importante para qualquer tipo de gestor é compreender a fundo como funciona a gestão de conflitos a fim de conseguir aplicar algumas técnicas caso perceba que algo está se passando com sua equipe. Um gestor bem antenado nessa área é capaz de prever possíveis reações de funcionários e agir de forma a remediar quaisquer rusgas que possam surgir. Assim, o resultado final é mais positivo para todo o time, inclusive para aqueles membros que nada tinham a ver com o conflito em questão.

Tipos de conflitos e como resolvê-los

De forma geral a maioria dos conflitos surge quando há divergências ou quando uma pessoa acredita que a outra possa estar prejudicando seus resultados. Segundo os estudiosos da área há diferentes tipos de conflitos que podem ocorrer nos mais diversos tipos de empresas e a maioria deles pode ser dividida em 2 grandes áreas:

* Causas emocionais

* Causas reais

Dentro da área de causas reais, os conflitos dentro de uma equipe podem também ser subdivididos em:

* Metas e objetivos diferentes

* Falhas na comunicação e nas informações recebidas

* Interdependências de trabalhos em projetos em comum

* Disputas por recursos ou posições em comum

Já dentro das causas chamadas de emocionais, podemos também separar em:

* Status

* Divergências de valores pessoais

* Diferenças de personalidades

Conhecer esses tipos facilita muito na hora de aplicar técnicas para minimizá-los. Conhecer a fundo a personalidade de cada membro da equipe também é fundamental na hora de atuar a fim de evitar que esses conflitos surjam. Cabe, portanto, ao gestor afastar indivíduos de conflitos que já estejam em andamento, focar em projetos que conquistem o reconhecimento e as vantagens mútuas, procurar valores em comum com toda a equipe, encontrar alternativas que garantam metas e objetivos justos de acordo com cada tipo de pessoa e, finalmente, concentrar-se mais nos interesses pessoais de cada um de seus funcionários do que nas posições de trabalho.

O que significa que não é preciso oferecer sempre o mesmo ganho para todos, mas sim, compreender a fundo quais são os objetivos de cada um para que ele seja o foco principal de cada atividade. Na prática, isso pode acabar se transformando em alterações e mudanças profundas na estrutura da empresa. Além disso, é preciso evitar alguns problemas que são sempre os maiores causadores de conflitos internos. Entre eles, podemos citar a ambiguidade de funções, equipes que brigam pelo mesmo orçamento, competições injustas cujas métricas favorecem sempre os mesmos indivíduos e objetivos diversos dentro da mesma tarefa.

O gestor deve ficar atento à personalidade de cada um de seus liderados para verificar se não há funcionários que acabam sempre gerando e causando conflitos, sem que aja algum motivo muito aparente.

Há também certas personalidades e perfis de pessoas que jamais poderão trabalhar bem em conjunto e por mais que sejam excelentes profissionais serão capazes de garantir resultados melhores para o time se trabalharem em equipes diferentes. Aí entra também o conhecimento humano, que deve focar no que é melhor para cada uma das pessoas, mas sem esquecer do bem comum, que é o objetivo final da companhia. Por isso, a gestão de conflitos deve fazer parte da gama de conhecimentos de coordenadores, gerentes e presidentes de empresa e cabe à organização manter um olhar atento a essa importante área.