Motor a vapor


A tecnologia sempre foi um dos pilares de atuação do homem no mundo, pois dentre outras tarefas, ela permite a transformação da paisagem e mudanças significativas na dinâmica social. Assim, antes de partir para o assunto de interesse deste artigo, vale a pena esclarecer aquilo que se entende por tecnologia.

Motor a vapor

Hoje em dia, quando se fala em tecnologia, a primeira coisa que vem à mente são dispositivos digitais super novos, como smartphones, notebooks e sistemas de monitoramento digital. No entanto, ela vai muito além disso, pois a tecnologia pode ser compreendida como todas as invenções utilitárias que modificam ou criam novas formas de produzir ou operar algo e que não necessariamente envolve engenharia de produção.

Nessa perspectiva, a invenção da escrita na Antiguidade pode ser considerada uma tecnologia, pois utilizava um sistema de símbolos arbitrários e inéditos. A máquina de tipos móveis, criada por Gutenberg e que permitiu a criação de produtos editoriais em larga escala também pode ser considerada como uma tecnologia. O motor a vapor também pode ser considerado uma tecnologia, conforme será visto abaixo.

Histórico

Quando se fala em motor a vapor, costuma-se associá-lo diretamente à Revolução Industrial ocorrida na Inglaterra no final do século XVIII, e apesar dele realmente ter tido um papel fundamental durante esse período, sua invenção data de muitos séculos antes.

O primeiro registro existente de uma máquina movida a vapor data do século I d.C., ou seja, período em que o Império Romano ainda exercia influência considerável nas sociedades europeias e em parte do Oriente Médio. Chamada de eolípila, essa invenção na verdade foi uma espécie de bola de vento criada por Heron de Alexandria.

Durante a Idade Média, poucas evoluções aconteceram neste campo, uma vez que a maioria dos dispositivos inventados tinha como foco a ciência, sendo utilizados para descrever as propriedades que vapor de água possuía.

Esse quadro começou a mudar com o início da Revolução Industrial na Inglaterra. Em 1698, Thomas Savery apresentou à Royal Society uma bomba d’água movida a vapor, uma verdadeira revolução para a época que foi aprimorada em 1751 por John Smeaton, que se utilizou da tecnologia criada por Savery para o bombeamento e fornecimento de água nas minas têxteis presentes no Reino Unido. Uma de suas principais vantagens era seu baixo custo, o que fez com que fosse comercializada em larga escala até o final do século XVIII.

Nesse meio tempo, em 1712 Thomas Newcomen criou a primeira máquina capaz de transformar o vapor atmosférico em energia e transferi-la para outra máquina. Essa máquina é considerada como um avanço do motor inventado por Savery pois utilizava uma complexo mecanismo mecânico um pistão, que dava eficiência energética para a máquina.

Apesar de ainda se tratar de um dispositivo rudimentar, a máquina de Newcomen foi comercializada com grande sucesso em todo o Reino Unido, posteriormente se espalhando para a Europa continental. Um número maior de pessoas a utilizando significava mais cabeças pensando em seu aprimoramento, e assim foi feito, pois a máquina passou por pequenas mudanças de layout, aumentando consideravelmente sua eficiência energética e permitindo que fosse utilizada em outras aplicações além do bombeamento de água na indústria têxtil.

Assim, devido a esse aperfeiçoamento nasceu o motor movido a vapor considerado como o mais importante: aquele criado por James Watts, que possuía um cilindro adicional, permitindo que o combustível e o vapor fossem aquecidos em diferentes cilindros. Esse aprimoramento fez com que a perda de calor fosse minimizada significativamente, e somado ao fato de que o pistão, que trabalha com movimentos mecânicos verticais (sobe e desce), foi substituído por um dispositivo cujo movimento mecânico é o de rotação, permitiu que o desempenho do motor fosse melhor, abrindo espaço para sua aplicação em larga escala em diversos campos.

Aplicações

A importância do motor a vapor consiste no fato de que ele foi a base para que a Revolução Industrial ocorresse, permitindo que diversas mudanças sociais e econômicas já em curso com o final da Idade Média e início do Iluminismo se consolidassem.

A primeira aplicação desse dispositivo foi em minas de ferro e carvão, matérias utilizadas na indústria têxtil. Com o motor movido a vapor, era possível aquecer a água presente nas minas para a geração de vapor. Como resultado, a produção de mercadorias aumentou consideravelmente, assim como o lucro dos burgueses donos das fábricas.

Esse aumento no lucro fez com que diversos outros burgueses se interessassem por atividades produtivas, fazendo com que novas fábricas fossem criadas e se espalhassem por todo o Reino Unido e Europa.

Como as fábricas eram geradoras de emprego, grandes cidades como Londres e Paris começaram a atrair cada vez mais pessoas, fazendo com que houvesse profundas mudanças na dinâmica social, fazendo com que o capitalismo, a vida urbana e a tecnologia triunfasse.

Essas mudanças foram ainda mais significativas quando o motor movido a vapor começou a ser utilizado em meios de transportes, como a locomotiva e o barco, que eram capazes de escoar a produção com grande rapidez e capacidade, especialmente quando comparados com o cavalo, principal meio de transporte na época.

Todos esses fatores somados deram início a um caminho sem volta, e até hoje a indústria é fundamental para a economia de qualquer país, e suas origens estão diretamente ligadas ao motor a vapor.