Acerca de ou há cerca de? Tampouco ou tão pouco?


Assim como há palavras homófonas, que possuem pronúncia idêntica, mas grafia e significado distintos, o mesmo pode ocorrer com expressões.

Acerca de ou há cerca de? Tampouco ou tão pouco?

Exemplos de palavras homófonas são:

– Cela x sela
– cheque x xeque
– Coser x cozer
– conserto x concerto
– paço x passo
– sexta x cesta
– sessão x seção
– acento x assento
– caçar x cassar

Repare que todas essas palavras produzem o mesmo som, mas a grafia e o significado são diferentes. A única forma de diferenciá-las na linguagem oral é a partir da contextualização da fala.

Na linguagem escrita é possível diferenciar com mais facilidade, uma vez que a forma as diferencia.

É o que acontece com as expressões “acerca de”, uma locução prepositiva, e “há cerca de”, uma expressão que une o verbo haver e a locução prepositiva cerca de, que expressa quantidade.

Exemplo:

-> Cerca de 20 mil pessoas estiveram presentes à abertura dos jogos.

Da mesma forma, “a cerca de” ajuda a quantificar distância.

Exemplo:

-> As tropas inimigas estão estacionadas a cerca de 10 km daqui.

Acerca de

“Acerca de” é uma locução prepositiva. A locução prepositiva é o conjunto de duas ou mais palavras que desempenham o papel de uma preposição.

A regra principal para identificar uma locução prepositiva é que a última palavra é sempre uma preposição. Essa classe gramatical, a exemplo das preposições, exerce a função de conectar dois termos, dando sentido à oração.

Confira exemplos de locuções prepositivas para compreender melhor essa classe gramatical:

– Acerca de, depois de, antes de, ao invés de, em vez de, graças a, junto com, à custa de, através de, em via de, em frente a, a respeito de, de encontro a, ao encontro de, a par de, etc…

“Acerca de” é o mesmo que “a respeito de” ou “sobre” algo.

Exemplos:

-> O plenário deliberava “acerca” de um projeto de lei relacionado à melhora dos mecanismos de controle financeiro das estatais, com a instituição de uma controladoria própria.

-> Acerca de sua performance na última competição, concluímos que precisamos refinar os métodos de treinamento.

A locução prepositiva acerca de pode se contrair com os artigos definidos: o, a, os e as.

Assim temos: acerca do, acerca da, acerca dos e acerca das.

A contração com os artigos definidos “o”, “a”, “os” e “as” não muda o sentido da locução prepositiva, equivalendo a: ” a respeito do”, “a respeito da”, “a respeito dos” e “a respeito das”.

Exemplos:

-> Havia décadas que se falava acerca do novo modelo de gestão, que nunca era implementado.

-> Acerca da dificuldade em se obter recursos para o empreendimento, talvez seja melhor abandoná-lo.

-> Falávamos acerca dos pássaros, que não mais temos visto por essas paragens.

-> Acerca das reformas, é preciso que as estudemos com responsabilidade e exaustivamente, a fim de que não venhamos a criar novos monstrengos, impossíveis de materializar.

A cerca de

“Há cerca de” é uma expressão que expressa e busca quantificar o tempo passado, estabelecendo uma distância entre o presente e a localização do fato no tempo, estabelecendo-se como referência e percepção de espaço temporal.

Da mesma forma, a expressão “há cerca de” estabelece uma dúvida e uma proximidade. Dúvida, porque não estabelece uma data precisa, mas uma distância temporal que sirva de orientação. Proximidade, porque aproxima essa percepção da realidade temporal e do tempo histórico.

Exemplo:

-> A Lei Áurea foi assinada há cerca de 130 anos e você não se convenceu ainda de que a escravidão acabou?

-> Ele saiu de lá há cerca de cinco minutos.

-> Eu nasci há dois mil anos atrás.

Tampouco e tão pouco

Os termos “tampouco” e “tão pouco” são escritos de forma diferente, pertencem a classes gramaticais diferentes e diferem mesmo na pronúncia.

Podemos dizer que “tampouco” a pronúncia é igual, porém, apesar de “tão pouco” em comum, ambas geram muitas dúvidas na cabeça das pessoas devido à proximidade na pronúncia, de modo que os sons se confundem.

Apesar disso, não é difícil estabelecer diferenças esclarecedoras entre ambas. “Tampouco” é uma palavra que expressa negação, enquanto “tão pouco” expressa quantidade.

Exemplos:

-> Ele não compareceu ao local do encontro, tampouco justificou sua ausência.

– > O dinheiro era tão pouco, que foi insuficiente para trazer todos os itens relacionados na lista.

Tampouco

“Tampouco” é um advérbio de negação, assim como nunca, jamais, não, nem, etc.

Como todo advérbio, muda o sentido da palavra à qual precede. No caso do advérbio de negação, transforma o sentido positivo em negativo.

Exemplo:

– Viajou x Não viajou

– Cantou x Tampouco cantou.

O advérbio de negação “tampouco” tem a peculiaridade de somatizar uma negação.

Exemplo:

-> Não arrumou os armários, não limpou o fogão, como recomendei, não limpou os vidros da forma correta, tampouco se deu ao trabalho de afastar os armários para fazer a limpeza.

-> Ele não tem experiência em administração, não tem uma formação compatível, tampouco tem um projeto que justifique a sua escolha para o cargo.

Tão pouco

Tão pouco é uma locução adverbial de quantidade, que, dependendo do contexto, pode cumprir o papel de locução adverbial de intensidade. As locuções adverbiais, assim como os advérbios, modificam o sentido das palavras.

“Tão pouco” reúne dois advérbios (tão pouco), sendo que o primeiro é de intensidade (tão) e o segundo de quantidade (pouco). A união desses dois advérbios produz uma locução adverbial que pode ser tanto de quantidade quanto de intensidade.

Exemplos:

Quantidade:

– > Caminhou tão pouco tempo, que sequer transpirou.

Intensidade:

-> Com tão pouca transpiração será impossível alcançar objetivos tão ambiciosos.