O vocábulo “jeito” e suas acepções polissêmicas


A palavra ‘jeito’ possui inúmeros significados, chamada de polissêmica. Originado do latim “jactus”’, que indica tiro, arremesso, lançamento e atirar, é apenas uma das formas de utilizar a palavra. Também da mesma origem, surgem a palavra jato, que indica “de uma só vez” e “muito rápido”.

O vocábulo “jeito” e suas acepções polissêmicas

Na polissemia é possível atribuir diferentes significados a um mesmo vocábulo, que se adequa ao contexto proposto. Essa possibilidade é um dos diferenciais da riqueza da língua portuguesa, que oferece um grande dinamismo, chamado de neologismo semântico, por estabelecer ações semânticas que levam em conta suas possibilidades de significados.

Tudo de acordo com o contexto

A língua portuguesa é muito rica e algumas palavras como o vocábulo “jeito”, demonstram flexibilidade em se adaptar ao contexto em que está incluída. Seu significado mais utilizado indica uma forma de conduzir as coisas ou se comportar, como no exemplo “Carolina desse jeito vai longe”.

Também é usado como a maneira correta de agir ou executar uma ação como “jeito certo” ou uma denominação mais carinhosa sobre alguém como “jeito carinho” que pode se estender a “jeitosa”. Pode ser atribuído a formato como “o jeito do olho dela” e avaliação de caráter como “jeito de ser”.

A palavra ‘jeito’ é sempre escrita com “j” na inicial e nunca “geito”, como eventualmente é atribuído. Seu diminutivo “jeitinho” não é utilizado para atribuir algo menor, mas como uma alternativa em lidar com um problema, conforme o exemplo “meu pai vai dar um jeitinho no móvel quebrado”.

O termo vem causando controvérsias por ser atribuído a parte da população que tem um método peculiar de lidar com suas dificuldades e que nem sempre é licitamente. O “jeitinho brasileiro” configura dentre uma das características do país, oscilando entre o carisma e a ilegalidade.

Já o “jeito brasileiro” é compreendido de forma mais positiva, definindo um perfil hospitaleiro, alegre e empático. Outros direcionamentos da palavra jeito podem ser vistos em:

– Ajeitado: como pessoa de boa aparência ou organizado:
– Desajeitado: o sentido oposto de ajeitado;
– Jeitoso: bonito, harmônico, equilibrado. É muito usado para definir beleza peculiar, que é mais delicada.

Definição de polissemia

A polissemia designa algo com vários significados, como algumas palavras da língua portuguesa. Palavras como jeito e vela podem mudar totalmente o sentido de acordo com a frase em que foram inseridas. Enquanto “vela” pode ser de cera e com pavio para iluminar, também há vela de barco e o verbo velar, que significa vigília.

O contexto é sempre indicado como uma das principais motivações para essa multiplicidade de significados, mas há também adequação a metáfora da frase e a afinidade etimológica do vocábulo.

Há muitas pessoas que acreditam que a polissemia é o mesmo que a homonímia, cuja diferença básica entre elas é que enquanto a polissemia apresenta uma palavra com vários significados, mas com a mesma origem do radical, a homonímia possui palavras idênticas na escrita ou na pronúncia, mas oriundas de resultados distintos.

As palavras homonímias são divididas em:
– homônimas homógrafas, com a mesma grafia, como este pronome com este ponto cardeal: governo – substantivo, com governo – verbo; pregar – verbo, com pregar – como dar sermão;
– homônimas homófonas, com a mesma pronúncia, como cheque – pagamento e xeque do xadrez; conserto – como reparo e concerto – música;
– homônimas perfeitas, com a mesma pronúncia e grafia, como cura – verbo e substantivo; cedo – verbo e advérbio; banco – assento e instituição financeira.

Já as palavras polissêmicas se multiplicam em significados distintos, a partir de um único radical. Como o caso da palavra “letra”, que significa parte do alfabeto, forma de escrita e canção. Ou “boca”, que pode ser abertura de um recipiente, parte do corpo humano e provocação.

É comum confundir a polissemia com a ambiguidade. No caso da ambiguidade, uma palavra pode ser transformada para valorizar uma oração como “a porca da sua tia está mais limpa” e causar duplo sentido no contexto, já que não se entende bem se a porca em questão é o animal que pertence a tia ou se foi usado como adjetivo para a pessoa. As frases ambíguas podem ser compreendidas como irônicas.

Essa questão não ocorre com a polissemia, já que a palavra de fato tem significados distintos, mas é preciso observar todo o contexto da frase para direcionar a compreensão sobre o que ela se refere.

No caso do vocábulo “jeito” todas essas possibilidades ficam muito claras. Por não se tratar nitidamente de uma homonímia e nem uma ambiguidade, tem o mesmo radical, pronúncia e escrita em todos os seus significados. Como nos exemplos abaixo:

“Ela sempre dá um jeito para tudo”;
“É preciso se aproximar do animal com bastante jeito”;
“Marcos leva jeito para medicina”;
“Camila tem um jeito que me encanta”;
“Preciso dar um jeito nessa TV”;
“Acordei com um jeito no pescoço”.