Melasma


Melasma é um tipo de distúrbio na pigmentação da pele, sendo caracterizado pelo aparecimento de manchas mais escuras na mesma. Em geral, ela acontece no rosto, em maioria nas mulheres, mas pode ocorrer em diversas partes do corpo humano quando estas ficam expostas ao sol. Somente cerca de 10% dos homens adquirem o distúrbio.

Vale ressaltar que este distúrbio é o resultado de um aumento da quantidade de melanina na pele. Deve portanto, ser considerado um distúrbio crônico, com prevenção e tratamento contínuos. Quando o melasma acontece durante a gravidez, ela passa a se chamar cloasma gravídico.

Há três tipos de melasma. O primeiro é chamado de melasma epidérmico, e acontece quando há um aumento na quantidade de pigmentos na camada mais superficial da pele, a epiderme. Já o melasma dérmico, se caracteriza pelo depósito de melanino em torno dos vasos superficiais. Já o melasma misto, como o próprio nome diz, é um misto desses últimos dois, ou seja, acontece quando há um excesso de pigmento na derme e na epiderme. O melasma misto e o melasma dérmico são os mais difíceis de se tratar.

Melasma

Diversos são os fatores que podem causar melasma, sendo os principais: alterações hormonais como as que acontecem durante a gravidez, agressões na pele, exposição a luz intensa, características genéticas e o uso de anticoncepcionais.

As causas e os tipos de tratamento existentes para o melasma

Não existe uma única causa para o aparecimento do melasma. O que se sabe é que esse distúrbio tem ligação direta com a exposição ao sol, e os demais fatores aqui já citados. A maioria dos indivíduos que possuem melasma são mulheres, principalmente aquelas que possuem tons de pele mais escuro.

Alguns cosméticos que são utilizados para o tratamento do problema, podem causar irritação na pele e por consequência, piorar o quadro.

O cloasma muitas vezes não é permanente, e acaba desaparecendo no final da gravidez, sem nenhuma ação ou uso de cosméticos por parte da gestante. Os tratamentos existentes para dar fim a essas indesejadas manchas resolvem o problema, mas de forma progressiva e lenta. Os pacientes também podem optar por realizar um bronzeamento artificial. Durante o período de gravidez, o tratamento para este distúrbio é considerado mais leve, para que o feto não corra o risco de ser afetado.

Existem diversas opções de tratar o melasma. O ideal é que ao e reparar com o problema, o indivíduo procure um biomédico ou um dermatologista, para que este especialista possa indicar o tratamento ideal. No entanto, deve-se ter em mente que este é um tratamento prolongado.

Para que o tratamento tenha mais eficácia, o ideal é evitar uma exposição prolongada o sol e nunca se esquecer de utilizar filtro solar de qualidade.

Os sintomas e o diagnóstico

Os sintomas do melasma são o aparecimento de manchas mais escuras na pele, quando esta é exposta ao sol. Em sua maioria, essas manchas acontecem no rosto, por ser a parte mais exposta às radiações solares. O tom das manchas, varia de acordo com a tonalidade da pele de cada pessoa. Já o formato, é irregular, mas na maioria das vezes é igual em ambos os lados do rosto, ou seja, simétrico.

Deve-se buscar ajuda médica caso apareçam manchas na região do pescoço ou do rosto. Mesmo que seja um caso de melasma, é muito importante procurar um especialista, para que ele possa avaliar o tratamento e o tipo mais adequado para o momento. Vale ressaltar que esse distúrbio não é cancerígeno, mas manchas na pele são um sinal de alerta, já que podem ter diversos significados.

Para que na hora da consulta, o diagnóstico e o tempo possa otimizado, procure ter em mãos algumas informações, como por exemplo, saber onde estão localizadas as manchas e o tempo que elas apareceram, se já tem algum tipo de histórico do distúrbio na família, e informar a data dos últimos tratamentos feitos na pele. Também é de extrema importante, levar suas dúvidas por escrito para a consulta, para que você não corra o risco de esquecer alguma. Caso surja alguma nova dúvida durante o tratamento, não hesite em procurar o profissional.

Um dermatologista vai diagnosticar o problema, ao observar a aparência típica da mancha. Para auxiliar no diagnóstico, muitas vezes ele também utiliza uma luz negra. Raras são as vezes em que se faz necessário a realização de uma biopsia da pele para excluir diversas outras causas para o aparecimento das manchas na pele.

O filtro solar deve ser usado diariamente, tanto para quem não tem melasma quanto para os que possuem tendência ou que se enquadram nos que possuem fatores de risco. Além disso, deve-se evitar exposição em demasia ao sol e lembrar que a aplicação de filtro solar deve se dar diversas vezes o dia, evitando assim a produção do pigmento.