Quebra-pedra


O termo ‘quebra-pedra’ se remete diretamente a uma série de plantas do gênero Phyllanthus. Podendo ser designadas também com erva-pombinha e arrebenta-pedra, essas plantas da família das euforbiáceas são utilizadas em chás caseiros como soluções capazes principalmente de curar doenças, como dissolver possíveis diagnósticos de cálculo renal, por exemplo.

Essas plantas medicinais ganham ainda várias outras nomeações, dependendo principalmente da sua atuação em nosso organismo. Seus nomes mais comuns são: saxífraga, pimpinela branca, quebra-panela, conami, arranca-pedras ou até mesmo fura paredes. E o motivo para tais expressões você já deve imaginar, uma vez que elas ajudam principalmente no combate de pedra no rim.

Quebra-pedra

A quebra-pedra é uma planta que pode ser encontrada com facilidade em casas de produtos naturais, além de farmácias de manipulações e até mesmo em algumas feiras livres específicas. Para consumi-la, a única e melhor forma é por meio de chá.

Espécies e usos na medicina para a quebra – pedra

Como já dissemos anteriormente, existem diferenciados tipos de quebra-pedra, e cada uma dessas plantinhas ganha uma função diferente no tratamento de disfunções em nosso organismo. Vamos conhecer um pouco mais sobre elas?

• Quebra pedra – phyllanthus acutifolius

Quando falamos em quebra pedra, uma das principais plantas a serem imaginadas antes mesmo da definição de sua espécie é a acutifolius, uma vez que se refere a grandes subarbustos de cerca de 70 centímetros e fortes raízes.

No Brasil essa planta pode ser encontrada com facilidade em toda a sua extensão, principalmente no Sul e Nordeste. O chá da mesma é utilizado tanto na prevenção como também no tratamento de cálculos no rim e na bexiga.

• Quebra pedra – phyllanthus niruri

A quebra pedra de espécie niruri também é bem comum e a sua eficácia é comprovada no que se refere ao combate do vírus da hepatite B, uma doença que assombra uma boa parcela da população brasileira.

Uma curiosidade interessante acerca dessa espécie é o fato de que uma indústria norte-americana patenteou a nossa planta com o intuito de utilizá-la em medicamentos para fim de combater tal doença.

• Quebra pedra – phyllanthus amarus

Essa espécie da planta é fundamental para combater uma série de inflamações, uma vez que ela conta com componentes anti-inflamatórios. Além disso, é também recomendada como auxiliar no tratamento do câncer, sendo uma alternativa também para evitá-lo: e tudo isso graças às suas substâncias anticancerígenas.

• Outras espécies de quebra pedra

No Brasil a quebra pedra é uma planta medicinal bem comum, e por isso, não é difícil que sejam descobertas ainda mais espécies da mesma. Nesse sentido, mais uma pode ser apresentada: a phyllanthus tenellus, que também auxilia no tratamento de cálculos renais e conta com propriedades diuréticas, se tornando uma boa opção de consumo até mesmo para promover o emagrecimento saudável.

De uma forma geral, todas essas plantinhas são ótimas opções para combater: cólica renal, pedra nos rins, excesso de ácido úrico no organismo, inchaços frequentes, gangrena, falta de apetite, diabetes, prisão de ventre, hipertensão, infecções no pulmão, úlceras, febres e feridas, icterícia, azia e ainda pode ser utilizada no combate a doenças da próstata para o público masculino.

Seus componentes possibilitam ações antiespasmódicas, lipolíticas, colegonas, antibacterianas, diuréticas, hipoglicemiantes e anticancerígenas. Além disso, a planta também é analgésica e pode atuar como um relaxante para os músculos.

Como utilizar a quebra pedra?

Visto que a plantinha pode trazer uma série de benefícios para a nossa saúde, pode ser uma boa alternativa utilizá-la em seu dia a dia.

Porém, lembre-se que o chá de quebra pedra não pode ser utilizado por um período superior a 21 dias, uma vez que pode acabar se tornando tóxico para o seu organismo.

Quando consumida em grandes quantidades ou por mais de três semanas, seu principal efeito colateral é a desmineralização em nosso corpo, o que não é uma boa alternativa nada viável para os que querem manter a saúde em dia.

Além disso, há uma contraindicação da quebra pedra para alguns públicos, como: crianças, mulheres que estão amamentando e também as grávidas, uma vez que, quando consumido em altas doses, ele pode ser purgativo e abortivo ao mesmo tempo.

As partes da quebra pedra que podem ser consumidas são as flores, as sementes e as raízes, utilizadas principalmente na composição do chá dessa planta medicinal.

Após encontrá-la em uma casa de produtos naturais, por exemplo, você pode facilmente fazer o chá em sua residência. Confira o passo a passo:

• Primeiro, ferva um litro de água por cerca de 10 minutos, até ela começar a borbulhar;

• Depois, adicione 10g de flores secas da plantinha em seu chá.

Rápido e prático: agora o seu chá de quebra pedra já está pronto e você pode consumi-lo, no máximo, entre duas a três vezes diárias. Lembre-se de utiliza-lo só no tratamento de alguma patologia ou para efeitos analgésicos, sem exagerar nas quantidades.