Reprodução assexuada nos fungos


Neste artigo, você vai aprender tudo sobre a reprodução assexuada dos fungos, estes seres vivos eucariontes e unicelulares que são tão importantes para o homem. Um dos fungos mais conhecidos e importantes do mundo é o Penicillium, que originou a penicilina, um importante antibiótico, que mesmo descoberto há tantos anos, ainda hoje é considerado como um dos medicamentos mais utilizados em todo o mundo.

Reprodução assexuada nos fungos

O que são os fungos e como estão presentes no nosso dia a dia

Antes de falarmos diretamente a respeito da reprodução assexuada dos fungos, vamos lembrar o que eles realmente são e como são encontrados na natureza. Os fungos estão tão presentes em nosso cotidiano, que algumas vezes nem percebemos que realmente estão ali.

Os fungos pertencem à família Fungi, desde 1969, quando foram classificados pelo cientista Robert Whittake. Mais recentemente, em 2003, outro estudioso da área chamado Thomas Cavalier – Smith propôs que façam parte do domínio Eucaryonta.

Independentemente disso, os fungos são seres vivos muito interessantes, e há anos despertam o interesse de estudiosos, cientistas e curiosos. Podem apresentar estruturas macroscópicas ou microscópicas e os fungos mais conhecidos são os bolores, levedos, mofos. Os fungos podem ser venenosos ou até comestíveis como o caso do cogumelo de chapéu, por exemplo, que é popularmente conhecido como champignon.

Os fungos são de extrema importância para o homem. O produto gerado a partir do metabolismo de alguns destes seres, são utilizados como fermento para pães e massas. Enquanto outros são utilizados para a fabricação de bebida alcoólica, já que são capazes de transformar o açúcar em etanol de forma natural durante a fermentação.

Por outro lado, alguns deles causam doenças comuns e graves. Entre elas, podemos citar as frieiras, a candidíase, o sapinho e a histoplasmose. No total, cerca de 100 espécies conhecidas de fungos podem trazer doenças para o homem e cerca de 8000, causam doenças em plantas. Por isso, o mercado desenvolveu uma grande quantidade de produtos para livrar as plantas destes fungos.

Muito diferentes dos mamíferos, das plantas e de outros animais, os fungos são considerados como importantes recicladores da natureza. Eles utilizam a matéria orgânica presente e a transformam em nutrientes.

Além disso, muitas vezes costumam estabelecer associações com outros seres vivos, principalmente plantas, tudo sem causar nenhum prejuízo. Desta forma, os dois seres vivos conseguem conviver pacificamente causando benefícios um para o outro. Este tipo de convivência não é rara na natureza e é chamada de mutualismo.

Os fungos, conforme já dissemos, são bem diferentes das plantas e por isso não são capazes de produzir seu próprio alimento como elas fazem com a fotossíntese. Eles precisam da matéria orgânica ou outros compostos presentes no ambiente onde vivem. Por isso, há os seguintes tipos de fungos:

Apesar de necessitarem de matéria orgânica para sobreviver, os fungos também precisam de condições ambientais, como por exemplo, vento, umidade e sol. Afinal, para que sobrevivam e se reproduzam.

  • Decompositores
  • Parasitas
  • Associados

Reprodução Assexuada dos Fungos

Diz-se que a reprodução é assexuada quando não ocorre a troca de material genético entre dois seres da mesma espécie. Ou seja, ele se reproduz sozinho, sem precisar de outro ser vivo. Por isso, não há variação genética e os novos seres originados são absolutamente iguais ao que os criou, já que na verdade, é parte dele. Pode-se dizer inclusive que a reprodução assexuada nada mais é do que a produção de clones.

Portanto, a reprodução assexuada dos fungos, se dá da mesma forma, e cada novo fungo que surge é igual ao primeiro e assim por diante. Há diversos tipos de fungos disponíveis na natureza e eles também se diferenciam através da forma como se reproduzem.

As formas de reprodução assexuada dos fungos são:

  • Por Fragmentação
  • Por Brotamento
  • Por Esporulação

A reprodução por fragmentação é, como o seu próprio nome indica, baseada na quebra do próprio fungo. Nela, o micélio, estrutura formada por diversas hifas, se rompe e dá origem a novos seres. Já na reprodução por brotamento, que também é conhecida como reprodução por gemulação, o fungo maduro é capaz de criar brotos ou gemas, que podem ou não se separar do ser que o originou.

Por último, temos a reprodução do tipo esporulação, na qual os esporangiófilos, que é como são chamados as hifas neste tipo de fungo, produzem esporos, que mando maduros são dispersos no ar. Como são leves e muito pequenos, estes resistentes esporos são levados pelo vento, pela água, pelo próprio homem ou até animais e se espalham por grandes distâncias.

Quando os esporos encontram um ambiente compatível com suas necessidades, se desenvolvem, dando então o início ao crescimento de outro clone de fungo. Além da reprodução assexuada, alguns fungos também podem se reproduzir de outras formas, inclusive sexuadamente. Para isso, precisam alcançar a maturidade sexual. Às vezes, acontecem ao mesmo tempo os dois tipos de reprodução.