Resumo da Sistema Imunológico


O sistema imunológico é um conjunto de estruturas e processos biológicos formados por numa rede de células, tecidos e órgãos que atuam na defesa do organismo contra as doenças. Estes invasores externos, chamados de antígenos, podem ser microrganismos como bactérias, fungos, protozoários e vírus ou agentes nocivos como substâncias tóxicas.

Os antígenos são combatidos por substâncias que o próprio sistema imune produz, chamadas de anticorpos. Estes reagem de maneira específica aos antígenos. Assim, quando o sistema imune não está totalmente inteiro para combater os invasores de forma eficaz, o corpo acaba por reagir com doenças, infecções ou alergias.

A título de aprofundar mais sobre o assunto será feito um resumo do sistema imunológico.

Sistema Imunológico

A resposta imune e as células do sistema imunológico

A defesa corporal é realizada por um grupo de células específicas. Porém, para produzir essa defesa, o organismo precisa reconhecer o patógeno ou qualquer que seja o invasor para depois combatê-lo e destruí-lo. Nesse sentido, será exposto abaixo um resumo do sistema imunológico no que diz respeito às suas principais características.

Existem dois tipos de resposta imune: inata e adaptativa.

• Inata: é caracterizada por células e proteínas que estão sempre presentes e preparadas para enfrentar os microrganismos e destruí-los através da fagocitose. Podem-se classificar como principais componentes da imunidade inata as barreiras epiteliais da pele e o trato gastrointestinal e respiratório;
• Adaptativa: formada basicamente pelos linfócitos, que reconhecem de forma específica o patógeno invasor. Manifestada de maneira silenciosa, responde à presença de microrganismos infecciosos, tornando-se ativa para gerar mecanismos potentes que neutralizam e eliminam os microrganismos.

As células do sistema imune pertencem a dois grupos principais: os linfócitos e os macrófagos. Na sequência, um resumo do sistema imunológico quanto às células principais e suas respectivas funções.

Um dos agentes mais importantes na regulação da resposta imune são os macrófagos. Essas células estão presentes nos tecidos conjuntivos e no sangue, chamados de monócitos, e no sistema imune. Como são as primeiras a perceber a presença dos agentes invasores, têm como função detectar e fagocitar esses microrganismos.

Ainda, desempenham o papel de limpadores (fazem a limpeza do tecido necrosado ou inflamado) e de produtores de interleucinas (responsáveis pela ativação dos linfócitos e na indução da divisão de outras células). Produzidos na medula óssea e no timo são um tipo de leucócito (glóbulo branco) e podem ser classificados em três tipos principais:

• Linfócitos B: responsáveis pela produção de anticorpos reconhecem o receptor do antígeno e transformam-se em plasmócitos. Estes produzem e secretam os anticorpos necessários que se ligam com o antígeno;
• Linfócitos T auxiliadores: tem como função comandar a defesa do organismo. São os responsáveis por interagir com os linfócitos B e a auxiliá-los na produção de anticorpos;
• Linfócitos T matadores: o próprio nome já diz: são responsáveis pela destruição de células anormais, infectadas ou estranhas ao organismo.

Os órgãos do sistema imunológico

Os tecidos e órgãos do sistema imunológico podem ser classificados em dois grupos: primários e secundários. Os primeiros são os principais locais de formação e amadurecimento dos linfócitos. Já os segundos fornecem o ambiente necessário para que os linfócitos possam interagir entre si, após a sua produção e seu amadurecimento com células acessórias e com antígenos.

Para finalizar o resumo do sistema imunológico, serão apresentadas informações sobre a divisão dos seus dois tipos de órgãos.

Órgãos imunitários primários:

• Medula óssea: corresponde a um tecido conjuntivo que está presente no interior de ossos longos. Além da produção de células sanguíneas e plaquetas, a medula produz organismos importantes relacionados à imunidade como os linfócitos B e os linfócitos T, que são glóbulos brancos do sangue. É nesse órgão, também, que os linfócitos B são amadurecidos;
• Timo: responsável pelo amadurecimento dos linfócitos T é produzido na medula óssea, para, em seguida, ser liberado para o sangue. Durante toda a vida, o timo faz o processo inverso (involução), ou seja, ele diminui de tamanho. Por isso, é substituído pelo tecido adiposo nos idosos, contribuindo para a diminuição da produção de linfócitos T.

Órgãos imunitários secundários:

• Linfonodos: também chamados gânglios linfáticos, são pequenos órgãos que se encontram nos vasos linfáticos. É nesse local que a linfa será filtrada, em seu caminho para o coração, para permitir que partículas invasoras sejam fagocitadas pelos linfócitos e macrófagos existentes nos linfonodos;
• Tonsilas: sua função é bastante parecida com a dos linfonodos. São responsáveis pela produção dos linfócitos e estão localizadas na parte posterior da boca e acima da garganta;
• Baço: responsável por filtrar o sangue para remover os microrganismos, substâncias estranhas e resíduos celulares. Também atua na produção dos linfócitos;
• Adenoides: constituídos por um conjunto de tecidos linfoides protetores, estão localizados no fundo da cavidade nasal. A sua principal função é ajudar na proteção do organismo contra bactérias e vírus que causam doenças transmitidas pelo ar;
• Apêndice cecal: é um pequeno órgão tubular localizado na primeira porção do intestino grosso (ceco). É dotado de grande quantidade de glóbulos brancos e é responsável pela defesa do organismo.