Resumo da História do Futebol no Brasil


Apesar de o Brasil não ser o berço do futebol, ele é conhecido no mundo todo como o país do futebol, isso acontece graças a História do Futebol no Brasil, que hora se confunde com a própria história da sociedade e até mesmo economia brasileira, mas você sabe porque isso acontece?

De origem inglesa, e mesmo assim sua origem ainda é duvidosa, o jogo da pelota chegou ao país em 1895. Charles Miller, que estudava na terra da Rainha, conheceu o futebol e quando retornou ao Brasil trouxe com ele um objeto que se tornaria um símbolo emblemático do país. Foi ele também quem trouxe as regras do jogo e que mostrou para seus amigos como o jogo funcionava.

Por isso, ele é conhecido como o pai do futebol brasileiro e teve participação efetiva no primeiro jogo realizado no país, que aconteceu na capital paulista em 14 de abril de 1895.

História do Futebol no Brasil

A história do futebol no Brasil

Os times que disputaram a primeira partida eram composta de um lado pela equipe formado por Charles Miller e por estrangeiros ingleses que viviam e trabalhavam no país. Os times ganharam o nome de Companhia de Gás e São Paulo Railway , sendo que a segunda equipe venceu o jogo por uma diferença de dois gols, um placar de 4 a 2.

Foi só então que a Associação Athletica do Mackenzie College fundou o primeiro clube brasileiro criado por e para brasileiros. No início eles chutavam bolas de basquete, no ano de 1898, a equipe vencia as vezes, mas nunca foi considerado uma boa equipe de futebol.

Isso fez com que no início, a história do futebol no Brasil fosse confundida com a história da elite paulista, já que apenas os homens dessa classe social conseguissem jogar as partidas. O que mais impressiona é que na época os negros eram proibidos de jogar e por isso, o futebol nasceu como um esporte exclusivo de brancos e ricos.

A Primeira Liga de futebol criada foi a Paulista, no ano de 1901, por isso foi também a pioneira na hora de organizar um campeonato, que ganhou o nome de Campeonato Paulista. O pai do futebol participou da competição e seu time foi tricampeão paulista, o que fez com que seus jogadores se tornassem verdadeiras sensações.

As primeiras equipes de futebol profissional começaram a se organizar 18 anos mais tarde e nessa época todos os estados já tinham participações, ainda que esporádicas na história do futebol no Brasil. Nesse ano já existiam clubes e federações e campeonatos regionais, assim como a Confederação Brasileira de Desportos, ou como era conhecida CDB, 5 anos antes e que era responsável por administrar diversas outras modalidades de esporte no país.

As bolas e o futebol brasileira

Como era de se esperar, as primeiras bolas brasileiras chegaram por meio de importações, principalmente da Inglaterra e também vindas de acordo com nobres rapazes que estavam estudando por lá. As pelotas alemãs também foram importadas, só que em menor quantidade. Elas possuíam cadarços que amarravam sua estrutura e uma câmara inflável, que era feita de borracha. Para evitar que se machucassem, no início, muitos jogadores usavam toucas que faziam com que a amarração da bola não cortassem ou incomodasse na hora de cabecear.

A primeira bola originalmente brasileira também nasceu em São Paulo, e era fabricada na Rua Ipiranga por um artesão de nome Caetano. Com isso, vários outros sapateiros começaram a produzir novas pelotas, fazendo com que as importações ficassem cada vez menores. A produção foi tanta que o Brasil passou de importador para exportador de bolas, que eram vendidas para os vizinhos Uruguai e Argentina.

Os negros e a história do futebol no Brasil

O jogo chegou ao Brasil apenas seis anos depois da proclamação da república e sete anos depois da assinatura da Lei Áurea. Por isso, não era de se abismar que o futebol fosse apenas disputado por brancos, os negros só começaram a jogar de forma profissional em 1920, e muitos deles eram obrigados a entrarem em campo maquiados com pó de arroz, tudo na tentativa de “esbranquiçar” o jogador.

O primeiro time a dar de forma efetiva espaço para os negros em um esporte elitista foi o Vasco. Por isso, um dos fatos emblemáticos são que em 1923 um time carioca chamou muita a atenção, o campeonato foi por um clube formado apenas por negros.

Alguns anos depois os “Camisas Negras” mudaram o modo como o futebol era visto, o time de negros vencia de forma impressionante e com isso, os torcedores que começaram a se interessar pelo esporte vinham também das camadas mais pobres da sociedade. No entanto, isso provocou uma cisão no Campeonato Carioca e o Campeonato foi divido, tudo para que o futebol continuasse a ser um esporte de brancos elitistas.

Todas episódios retardaram a visão do futebol como um jogo popular, apesar de o início ter sido em 1933, apenas durante a Copa de 1950 que a seleção brasileira, que possuía jogadores negros reconhecidos internacionalmente, trouxe a todas as camadas a paixão pelo futebol.