Explicação de Dalton para as Leis Ponderais


Por volta do ano de 1803 o químico britânico John Dalton (1766 – 1844) elaborou uma teoria a partir da estrutura da matéria ao retomar a ideia de dois filósofos Demócrito e Leucipo.

Quem foi Dalton?

John Dalton foi meteorologista, químico e físico de origem inglesa. Como já falado neste artigo foi um dos primeiros cientistas a defender que a matéria é composta de átomos.

Leis Ponderais

Nasceu em 06 de setembro de 1766 em Eaglesfield (Reino Unido) e faleceu em 27 de julho de 1844 em Manchester. Publicou importantes estudos e foi um dos grandes pensadores da química chegando a ser reconhecido com uma Medalha Real.

Constatações e postulados

As constatações de Dalton foram publicadas em “Teoria Atômica de Dalton”. Os principais postulados do documento eram três:

O primeiro dizia respeito ao que formava toda matéria. Sendo assim, toda matéria é constituída de pequenas partículas maciças e esféricas denominadas átomos, de acordo com Dalton, cada substância é formada de um único tipo de átomo.

Já o segundo postulado discorria a cerca de os átomos serem formados por átomos isolados iguais, possuindo massa e tamanho e semelhantes, além de serem indivisíveis.

O terceiro postulado se referia as combinações de diferentes átomos respeitando números e proporções inteiras, o que resultava em substâncias diferentes.

Acredita-se que foi através dospostulados de Dalton que as Leis Ponderais de Antoine Lavoisier e Joseph Louis Proust puderam ser explicadas, e porque não dizer, enfim confirmadas.

Leis Ponderais de Lavoisier e Proust

Antoine Lavoisier e Joseph Proust concluíram, no final do Século XVIII, que as reações químicas obedecem a determinados pressupostos. Todo o trabalho de pesquisa foi realizado através de estudos experimentais.

O resultado deste trabalho foram as chamadas Leis Ponderais que relacionam os reagentes e produtos que participam de uma reação química as massas das substâncias.

A lei elaborada por Lavoisier ficou conhecida como a Lei da Conservação das Massas, este pressuposto foi determinado a partir da massa total de um sistema fechado e concluía que a soma das massas dos reagentes é igual a soma das massas dos produtos.

É desta lei que se originou a famosa frase: “Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

Já a Lei de Proust ficou conhecida como Lei das Proporções Constantes e foi desenvolvida após o pesquisador observar que em uma reação química as massas dos reagentes e dos produtos estabelecem uma proporção constante. Portanto, se a massa de um reagente dobrar o mesmo acontece com a massa do produto.

Foi através destas duas leis que Dalton estabeleceu sua teoria sobre a estrutura atômica.

A lei de Lavoisier e Proust por meio da teoria de Dalton

Para Dalton os átomos eram indestrutíveis, portanto, a quantidade de átomos da reação seria sempre a mesma, desta forma o cientista inglês justificou dados experimentais de Lavoisier.

Já no caso da Lei das Proporções Constantes de Proust, Dalton descreveu que se as massas dos reagentes fossem dobradas o número de átomos também o seria, através disso conseguiu justificar a formação do dobro em massa dos produtos.

Teorias que ameaçaram os pressupostos de Dalton

No período em que Dalton começou a formular seus postulados, por volta do ano de 1803 haviam trinta e seis elementos químicos já isolados e que ainda usavam símbolos da Alquimia para serem representados.

O que o inglês fez de novo foi combinar estes símbolos no intuito de compor uma fórmula estrutural de compostos, denominada de “novo sistema de filosofia química” que foi publicado em 1810. Este trabalho trazia ainda a “Lei das Pressões Parciais” e outras relativas à matéria, como já vimos anteriormente.

Além disso, já em 1808 Gay – Lussac outro cientista ao sintetizar a molécula de água notou que dois volumes de hidrogênio se combinavam a um volume de oxigênio, desta forma estudou as reações químicas dos gases e concluiu o seguinte: “Os volumes de todas as substâncias envolvidas em um processo químico, medidas nas mesmas condições de temperatura e pressão, estão entre si em uma relação de números inteiros e simples”.

Obviamente o trabalho de Lussac era uma ameaça a Teoria de Dalton, afinal reavivou discussões acerca de como medir o peso átomos e a reação entre dois elementos químicos diferentes formando uma única molécula.

Devido a “teoria da bola de bilhar” de Dalton, por diversos anos átomo e molécula significavam partículas maciças e indivisíveis, até que por volta de 1811 Avogrado publicou um artigo diferenciado átomos de moléculas.

Mas, ainda assim as suposições elaboradas e estudadas por Dalton foram aceitas até meados de 1921, posteriormente foram descobertos os isótopos que provaram a existência de átomos de um mesmo elemento, porém com massas diferentes.