Arquitetura Sustentável


A Arquitetura sustentável se apodera de todos os bens necessários para impedir o impacto ambiental que pode ser gerado por uma edificação. É um projeto em crescimento, que conta com a ajuda de recursos tecnológicos para aperfeiçoar a realidade do dia a dia.

Baseia-se em projetos que procuram novas formas e um novo aproveitamento do espaço; na preservação da energia elétrica; aproveita construções já existentes; detalha a matéria prima usada na edificação; e defendo os contornos naturais durante a produção das obras em uma localidade preestabelecida.

Arquitetura Sustentável

Esse método de arquitetura surgiu na década de 70 e, segundo ele, uma obra só pode interferir no ambiente que a contorna em pequenas proporções. Para isso, os encarregados das edificações devem utilizar materiais de origem natural, cuidando por uma aplicação consciente dos recursos necessários para a iluminação e a renovação do ar. Assim, alcançando o objetivo de diminuir os gastos nessa região.

Por outro lado, é importante analisar a origem da matéria prima, requerendo certificado de origem do material. Essa matéria prima deve ser comprada em negociantes lícitos, que também apresentem a intenção de diminuir os danos causados no meio ambiente.

O cuidado em conservar a Natureza no decorrer do processo de construção passa, da mesma forma, pelo uso do material ecologicamente adequado, que é produzido com o menor prejuízo ao ambiente possível. Entre eles estão: os blocos de terra comprida, o adobe, as tintas não tóxicas, reciclados e madeira acompanhada do certificado.

Além disso, deve-se ter a devida atenção ao procedimento realizado pelos profissionais que iram construir a obra em questão, e a forma como eles cuidam dos restos produzidos pela edificação, para o espaço que restou não ser prejudicado.

O planejamento sustentável usa, primeiramente, os materiais produzidos na região, pois assim não haverá aumento de custo com o transporte de materiais e, consecutivamente, a redução de emissão de gás carbônico.

A quantidade de agua também precisa ser calculada, uma vez que ela deve ser reutilizada a partir de um planejamento como, a reutilização da agua da chuva e o emprego de temporizadores nos chuveiros. Outro elemento muito importante é a utilização de energia solar para aquecimento.

Muitas são as providências que devem ser tomadas para preservação ambiental. Posicionar a casa e as janelas conforme a trajetória do sol e o curso do vento, é uma opção. Outra precaução é a aplicação de vidros duplos, que permitem a iluminação adequada do espaço durante o dia, sem esquentar demais o ambiente, o que diminui o gasto de energia elétrica.

As construções que cumprem todos estes procedimentos são premiadas com um selo que favorece o imóvel, deixando –o mais valorizado.

Princípios básicos para um Arquitetura Sustentável

O Conselho Brasileiros de Construção Sustentável (CBCS) destacou alguns dos princípios necessários para uma construção sustentável, entre eles estão:

– Aproveitar as condições naturais do local;

– Utilizar o mínimo de terreno e ajustar-se ao ambiente natural;

– Usar matérias primas que contribuam para a eco eficiência do processo;

– Conscientizar os envolvidos no processo;

– Introduzir inovações tecnológicas sempre que viável.

Como transformar um edifício já existente em sustentável

A construção civil é autora do grande consumo de recursos naturais do planeta, tanto na etapa de obras como na de uso e operação dos edifícios. Apesar de ser um período de grande impacto ambiental, a etapa de construção dura, aproximadamente, dois anos, ao passo que a fase de uso pode durar mais de 100 anos. Durante o uso, os edifícios jogam resíduos no planeta e acabam consumindo muita energia, água e produzindo muito mais resíduos no que na etapa de obra.

O processo de transformar um edifício em sustentável é mais difícil do que construir uma obra sustentável nova. Em alguns casos, a apropriação do difícil durante o processo não é aconselhada, porém, na maioria dos caos, a reabilitação aconteci com o edifício funcionando. Normalmente esse tipo de processo encontra dificuldade por causa do canteiro de obras pequeno, a grande quantidade de restos de demolição, e os incômodos causados aos usuários e vizinhos.

A primeira coisa a ser feita no processo de reabilitação é uma análise da situação do edifico em relação aos critérios de Alta Qualidade Ambiental (AQUA), que consiste nas qualidades especificas e nas qualidades ambientais das práticas.

Finalizada essa primeira etapa, deve-se fazer a estratégia ambiental do edifício, escolhendo quais iniciativas deveram ser feitas primeiro, sempre considerando a relação custo X benefício X preservação do meio ambiente. Essa estratégia tem como objetivo evitar que se adotem medidas separadas que só aparentam ser sustentáveis, mas que globalmente podem produzir maus resultados.

Assim sendo, não existe uma fórmula pronta para tornar os edifícios existentes em sustentáveis, pois a construção é muito complexa. O caminho ideal é fazer uso de um método reconhecido para tornar o edifício sustentável, instalado por uma equipe que tenha conhecimento dos requisitos da Alta Qualidade Ambiental (AQUA), assim a reabilitação sustentável pode de fato alcançar os resultados desejados, auxiliando na redução do desperdício de recursos naturais e da biodiversidade.