Resumo da República Velha


República Velha aconteceu durante os anos de 1889 e 1930, época em que a elite cafeeira paulistana e mineira revezava o domínio político. A principal motivação era movida pelos seus interesses políticos e econômicos. A politica vigente naquele período era caracterizada pela troca de favores políticos entre o presidente da República e os governadores a fim de concretizar a manutenção do poder e garantir a governabilidade.

Ainda tinha o coronelismo, estrutura de poder politico e econômico concentrada nas mãos dos grandes latifundiários e usada para ganhar vantagens eleitorais para si e seus candidatos, através do voto de cabresto, da violência e das fraudes. Como forma de explicar melhor esse período, será feito um resumo da República Velha.

República Velha

Principais acontecimentos e conflitos

Durante essa época, o Brasil conseguiu firmar-se como um país exportador de café e, dessa forma, a indústria teve um aumento bastante significativo. No âmbito social, várias revoltas e problemas aconteceram nos quatro cantos do território brasileiro. A título de curiosidade, será feito um resumo da República Velha no que se refere aos fatos e revoltas.

• A monarquia é derrubada com a Proclamação da República em 15 de novembro de 1889;
• Marechal Deodoro da Fonseca assume como primeiro presidente do Brasil;
• As oligarquias paulistas e mineiras têm o domínio do poder econômico e político;
• Floriano Peixoto assume a presidência em 1891, após a renúncia de Marechal Deodoro;
• Em 1891 é promulgada a primeira Constituição Republicana Brasileira. Na ocasião, são permitidas ações como o voto aberto, o presidencialismo, a manutenção de interesses das elites agrárias e a exclusão das mulheres e dos analfabetos ao direito de voto;
• O revezamento do poder na política do Café-com-Leite entre mineiros e paulistas;
• Os setores agrícola e pecuário são privilegiados quanto aos investimentos federais na região Sudeste;
• O café torna-se o principal produto brasileiro de exportação;
• A mão-de-obra nas lavouras de café do interior paulista aumenta devido à imigração italiana, alemã e espanhola.

Foi com base nesse contexto citado acima que se instaurou, no interior dos costumes do regime republicano, uma crise de reconhecimento vindas, principalmente, das populações marginalizadas. Foi a partir daí que se observou o aparecimento de várias revoltas que tomaram conta do país ao longo de toda a República Velha.

• 1893-1894: Revolta da Armada;
• 1893-1895: Revolução Federalista;
• 1893-1897: Guerra de Canudos;
• 1904: Revolta da Vacina;
• 1910: Revolta da Chibata;
• 1912-1916: Guerra do Contestado;
• 1914: Sedição de Juazeiro;
• 1917-1919: Greves Operárias;
• 1922: Revolta dos Dezoito do Forte;
• 1923: Revolução Libertadora;
• 1930: Revolução de 1930.

Em função da Revolução de 1930 ter sido um fator decisivo para o início da Era Vargas no Brasil, será apresentado um resumo da República Velha com foco nesse golpe.

Nesse ano, ocorreriam as eleições para a presidência do Brasil. O Partido Republicano Paulista, do atual presidente Washington Luís, indicou o também paulista Júlio Prestes a sucessão. Segundo a política do café-com-leite, era a vez de um candidato mineiro, por isso, houve o rompimento da aliança.

Descontente com a situação, o Partido Republicano Mineiro se junta aos políticos da Paraíba e do Rio Grande do Sul e formam a Aliança Liberal para lançar o gaúcho Getúlio Vargas como presidente. Nesse sentido, na intenção de acabar com o monopólio do café-com-leite, ele se junta aos militantes de esquerda para boicotar o posto de presidência de Júlio Prestes. O ato ficou conhecido como a Revolução de 1930 e consolidou de vez o início da Era Vargas.

A República Velha e os seus dois períodos

Como já foi visto anteriormente, a República Velha foi caracterizada pela política do café-com-leite, na qual representantes de Minas Gerais e São Paulo se alternavam no comando do poder do Brasil. Dessa forma, será apresentado um resumo da República Velha no que se refere à divisão desse período em dois momentos.

República da Espada: época que teve predomínio da ditadura militar. O período foi consolidado entre a Proclamação da República, em 15 de Novembro de 1889 até a eleição do primeiro presidente civil, Prudente de Moraes. Durante este período, o Brasil foi governado pelos marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Era comum acontecerem os chamados levantes populares para evitar uma possível divisão do Brasil, formados por simpatizantes ao Imperador Dom Pedro II e à restauração da monarquia.

República Oligárquica: época que se estende de 1894 até a Revolução de 1930. Caracterizou-se pelo forte domínio das oligarquias na política nacional e para as elites regionais, principalmente as do sul e sudeste do país. As oligarquias dominantes eram compostas, principalmente, pelas forças políticas republicanas e pelos ricos e poderosos proprietários rurais, em especial da região sudeste do Brasil, dominados por São Paulo e Minas Gerais. Essa supremacia paulista e mineira chamou-se política do café-com-leite por dois motivos: em razão da importância econômica da produção do café vindos dos paulistas e do cultivo do leite mineiro para a economia brasileira da época.