Civilização Inca


Podemos dizer que a civilização Inca era composta pelos povos considerados os mais civilizados de toda a América. Receberam este nome por causa da região em que estavam localizados, que atualmente é ocupada pelo Peru, pelo Equador, o Oeste da Bolívia, o Norte do Chile e o Noroeste da Argentina.

A civilização Inca era composta por diversas tribos, como os Aymará, os Quéchuas e os Yunka, chegando ao total de cerca de dez milhões de cidadãos e eram considerados no setor de cultura e no de política de nível elevado.

O imperador era considerado por eles um Deus, já que eles cultuavam o sol que acreditavam estar reencarnado em cada imperador ou Inca. Quando um dos integrantes dessa civilização falecia, eram enterrados em covos e em torres túmulos.

Inca

Uma das características que tiveram mais destaque dentro dessa civilização Inca, é o tipo de solução que eles deram para resolver o problema de comunicação, que por causa da região dos Andes, apresentava sérias dificuldades para pudesse acontecer. Para tal fim, foram nomeados mensageiros e estabelecidas diversas rede de caminhos, com o objetivo de se transmitirem as notícias.

Por terem muitos metais preciosos em sua área, acabaram despertando a cobiça de outros povos conquistadores. No ano de 1553, Pizarro conquistou a região e os Incas passaram a ser submetidos à dominação da coroa espanhola. Em consequência disso, a cultura Inca foi apagada, e nos dias de hoje pouco resta dela, sendo apenas as ruínas dos palácios e de seus templos.

Durante longos anos, os historiadores abordavam a civilização Inca como sendo um paraíso perdido, na qual não existia nenhum tipo de violência, de exploração e de fome.

As características da civilização Inca

Era mantido um sistema de tributação, que tinha como objetivo a cobrança de tributos para fornecimento de alimentos em épocas de colheita ruim e para manter os doentes e os velhos. Este estado era controlado por um soberano, que se auto intitulava de filho do sol.

Os Incas eram construtores ótimos. E por isso, é realmente extraordinária a maneira como eles conseguiram chegar até a região da Cordilheira dos Andes, sem necessitarem de uma malha hidroviária ou de rodas para transporte dos excedentes agrícolas. Além disso, sem utilizarem argamassa, conseguiram a edificação de paredes tão perfeitas, que era praticamente impossível colocar entre as pedras uma lâmina de faca, por exemplo.

As estradas que interligavam as quatro confins ou província, ou seja, de Cuzco à capital, era algo muito superior de tudo o que existia nessa época na Europa. Todos andavam a pé, embora a estrada suportasse a veiculação de automóveis. Essas estradas transpunham, por meio de pontes pênseis, os rios, e eram tão sólidas que a maioria delas ainda foi utilizada no século XX.

O estado que controlava a civilização Inca, sabia exatamente o número de crianças, de mulheres e de homens de cada ayllu, sabia também a quantidade de mão de obra disponível para cada tipo de serviço, bem como encontra-la e ainda conhecia o número de pessoas com a qual poderiam contar para montarem um exército, sem que a produção fosse afetada.

O segredo de toda essa contabilidade eram os quipos, que eram na verdade cordões, onde se fazia tipos diferentes de nós, que formavam os sinais. Os responsáveis por essa contagem eram os quipucamayucs e caso cometessem algum erro nesse trabalho, tanto na leitura ou na confecção dos mesmos, acabavam pagando com a morte.

Resumo da História dos Incas – o início e o fim dos incas

Há cerca de 20 mil anos, uma tribo de caçadores chegou até a região na qual atualmente conhecemos como América do Sul. A história a qual conhecemos da civilização Inca, termina durante o governo do imperador conhecido como Huayna Capac.

Quando ainda era muito jovem, Huayna Capac assumiu o poder. Este se casou com uma princesa de Quito e haviam tido um filho, que foi chamado de Atahuallpa. Mas, anos depois, ele acabou se casando com a sua irmã e desta união, nasceu Huáscar. Quando os espanhóis atacaram a fronteira do Peru com o Chile e lá se estabeleceram, acabaram espalhando uma epidemia de veriola, que devastou toda a região e que foi a responsável pela morte de Huayna Capa, no ano de 1525.

O filho do imperador subiu ao trono, mas este claramente disse que Atahuallpa é quem deveria sucede-lo. No ano de 1532, uma guerra civil aconteceu entre os dois meios irmãos, que queriam o poder.

Atahuallpa além de aprisionar o próprio meio irmão, aprisionou o país todo. Nesta mesma época, com apenas um pequeno exército, Francisco Pizarro chegou ao Peru e foi de maneira gradual conquistando toda a região litorânea e conseguiu, tempos depois, capturar Atahuallpa. Cerca de dois anos depois, os espanhóis já haviam subido ao poder e colocado os Incas aos poderes da coroa.