Resumo do Movimento Feminista


Neste resumo do movimento feminista vamos abranger os principais pontos deste movimento social que existe no mundo todo há muitos anos. O movimento feminista, também chamado de feminismo, nasceu da luta das mulheres por um tratamento social igual ao que os homens recebem.

Fazendo um resumo do movimento feminista, podemos dividir o feminismo em três momentos históricos distintos:

* O primeiro, começou entre os séculos 18 e 19, pelos direitos democráticos. Ou seja, a luta pelo direito à voto, educação, trabalho e inclusive o divórcio.

Movimento Feminista

* No segundo momento, que aconteceu no fim da década de 60, foi pela liberação sexual. Foi durante este período que se criaram os anticonceptivos para mulheres.

* E o terceiro, que começou no final dos anos 70, que luta por igualdade no trabalho.

Atualmente a luta das mulheres de todo mundo ainda continua. Infelizmente nenhum dos movimentos citados conseguiu conseguiu seu objetivo, e mulheres de muitos lugares do mundo ainda não podem votar, estudar e trabalhar.

Os movimentos feministas são movimentos políticos, que tem como principal objetivo, alcançar a igualdade entre os gêneros, garantindo a participação ativa de mulheres nas realidade da sociedade onde vivem. Além disso, os movimentos feministas são também movimentos intelectuais, que através de teorias e pesquisas, buscam provar que não existem diferenças entre a capacidade de homens e mulheres.

O feminismo na história

Neste resumo do movimento feminista vamos apontar os principais acontecimentos do feminismo na história.

Podemos dizer que as mulheres sempre tiveram sua participação limitada. Mas em alguns momentos e em algumas sociedades, já tiveram direitos mais parecidos aos dos homens. Isso aconteceu na idade média, por exemplo. O valor da mulher e a ideia de que ela não merecia os mesmos direitos veio, principalmente, com a evolução do capitalismo.

Mas foi somente a partir do século 18 que começaram realmente a existir os movimentos feministas. A palavra feminismo, surgiu somente no final do século 19, junto com o iluminismo e os ideais de “liberdade, fraternidade e igualdade” da revolução industrial. E o primeiro livro caracterizado como feminista foi publicado em 1792,  da escritora inglesa Mary Wollstonecraft, chamado “Em defesa dos direitos das mulheres”. O livro fala sobre a educação feminina.

E foi durante a revolução industrial que o movimento tomou força, se unindo às causas trabalhistas. As mulheres passavam horas dentro das fábricas, trabalhando em condições precárias. O grande marco histórico do movimento feminista aconteceu durante as grandes greves de 1857 e 1911 em Nova York. As operárias de uma fábrica têxtil paralisaram suas atividades para conquistar melhores condições de trabalho, e foram reprimidas pela polícia. Até que em 25 de março de 1911, um incêndio em uma das fábricas acabou com a morte de mais de 100 mulheres, evento que acabou por dar origem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março.

Outro momento crucial foi a luta pelo direto ao voto, que aconteceu pelas sufragistas, em 1897. O movimento nasceu junto com a revolução industrial. A Nova Zelândia foi o primeiro país a reconhecer o direito de voto das mulheres, em 1893. No Reino Unido, o voto feminino foi aprovado em 1918. E entre os anos de 1914 e 1939, 28 países também aprovaram o voto das mulheres. No Brasil, o as mulheres ganharam direito de comparecer às urnas no ano de 1932 e concretizado somente no ano 1933, na eleição para a Assembleia Constituinte. Porém, devido a ditadura de Getúlio Vargas, as mulheres só puderam votar em eleições no ano de 1946.

A luta continua

Neste resumo do movimento feminista, você viu que há muito tempo as mulheres vem lutando para conquistar direitos que os homens conseguiram com muito mais facilidade. Mas o movimento feminista tem aumentado no mundo todo, e as mulheres continuam brigando para conquistar o simples direito de igualdade entre os sexos.

Ainda há países onde as mulheres não tem direito à educação, ao voto, ao trabalho. No mundo todo as mulheres ainda recebem menores salários, e algumas vezes cargas de trabalho maiores. São vítimas de violência doméstica, física e psicológica. Muitas vezes não tem direito de escolha sobre sua vida ou nem sobre seu próprio corpo.

No Afeganistão, quase 80% das mulheres são obrigadas a se casarem contra sua vontade, e no Paquistão elas chegam a ganhar salários até 82% mais baixos do que os homens, mesmo realizando a mesma função. Na índia, por exemplo, o alto número de estupros tem chamado atenção do mundo todo, dando ênfase à impunidade para quem comete o crime. Muitas vezes, os culpados são inocentados, e as mulheres são consideradas culpadas.
No mundo todo, ainda há mulheres que são proibidas de estudar. Cerca de 64% dos analfabetos do mundo todo, são do sexo feminino.

È importante salientar que  o movimento feminista, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não luta pela supremacia da mulher na sociedade. Mas somente busca  por algo extremamente justo: direitos iguais aos concedidos para os homens.