Resumo sobre Imperadores


Imperador é o título de nobreza empregado para designar o soberano de certas nações ao longo do da história. Hoje, somente o chefe de Estado do Japão recebe essa nomenclatura no mundo todo. Assim como as outras categorias nobiliárquicas, ele foi estabelecido com a intenção de formar uma relação de vassalagem entre o povo e o detentor do privilégio. A palavra Imperador tem origem no termo latino Imperatore, que quer dizer comandante ou ainda aquele que se prepara contra. Também é válido ressaltar algumas variações como Kaiser, empregado na Alemanha e Czar, usado nos idiomas derivados do eslavo. De qualquer modo, ambas as expressões vêm da nomenclatura romana César e compreendem a mesma linha de determinação do Latim.

Resumo sobre Imperadores

O Imperador é o líder maior de um território, sendo responsável por administrar o império. Quando se referir a uma mulher em tal posição, ela será chamada de Imperatriz. Nesse caso, o seu cônjuge fica conhecido apenas como consorte. Apesar de exercerem funções semelhantes, Imperador e Rei são hierarquias diferentes. De modo geral, o primeiro título é visto como uma honraria superior em relação ao Rei.

  • Imperador é título de nobreza dado a soberanos de várias nações;
  • O termo tem origem latina e foi adaptada em outras línguas:
  • Kaiser e Czar são as versões germânicas e eslavas, respectivamente, do cargo;
  • Império Romano é um dos maiores exemplos sistema de governo, mas Brasil, França, China, Japão e Rússia também tiveram suas experiências
  • Hoje, só o Japão é comandado por um Imperador, ainda que haja questionamentos sobre a atual extensão do seu papel político.

Na Alemanha especificamente, os três Kaiseres foram:

  • Guilherme I
  • Frederico III
  • Guilherme II

O Império Russo (1721 – 1917), que antecedeu a União Soviética, foi comandado por representantes da família Romanov por toda a sua duração.

Por sua vez, a França passou por dois períodos imperiais, sob o domínio de Napoleão I e Napoleão III.

A China tem uma longa história de comando imperial, marcada sobretudo pelas seguintes dinastias:

  • Dinastia Yuan (1271–1368)
  • Dinastia Ming (1368–1644)
  • Dinastia Qing (1644–1911)

Entre 1915 e 1916, Yuan Shikai tentou restaurar o sistema se autoproclamando Imperador

Como alguém se torna Imperador?

É possível chegar ao posto de Imperador por modos distintos. A primeira via, a mais comum, seria a hereditariedade. Ou seja, o poder é normalmente transmitido de pai para o filho. No entanto, o título também pode ser obtido por meio de força, como no caso de Napoleão I, Imperador francês. Isso se dá quando um golpe é organizado para tirar o atual governante do cargo e em seguida colocar um substituto. Em uma situação específica da história, que aconteceu durante o Sacro Império Romano Germânico, a posição era concedida a partir de uma eleição realizada por outros líderes.

  • O título de nobreza costuma ser hereditário;
  • Há casos de Imperadores que tomam o posto por meio de golpe.

Veja abaixo como funcionou o período do império no Brasil (1822 – 1889).

Os dois Imperadores no Brasil

Há muitos exemplos de impérios em diferentes regiões e épocas. Porém, o começo desse sistema e governo remete ao poderoso Império Romano, cujo modelo foi reproduzido na França e no Brasil, bem como na China e no Japão. No Brasil, o período imperial teve início logo depois do país conseguir a independência de Portugal. Entre 1822 e 1889, a nação foi regida por dois nobres: D. Pedro I e D. Pedro II. Em acordo com os ditames mais tradicionais de um império, o título se transferiu de pai para filho. Tendo em vista esse contexto, cabe salientar que o primeiro soberano foi importante para na fase de emancipação do país, mas seu governo não agradou a população. Como resultado, ele acabou renunciando em 1831 e partiu para a Europa.

Em seguida, a vacância no cargo passaria o poder para o seu filho, D. Pedro II. Entretanto, como o herdeiro era tinha apenas 5 anos na época , as chamadas Regências assumiram o comando da nação até que D. Pedro II tivesse idade para ocupar o trono. Finalmente, quando atingiu a maioridade, o líder recebeu um império à beira de se desintegrar. Mesmo assim, o seu governo foi muito mais bem aceito do que o pai, e ele ficou no poder durante quase 50 anos. Em 1889, militares organizaram um golpe de Estado e o retiraram do cargo, declarando o Brasil como uma república.

Quase em sua totalidade, os nobres do Brasil durante o Império eram oriundos de Portugal. Isso porque era prerrogativa do chefe de Estado conceder tais honrarias a quem ele considerasse merecedor.

  • O Brasil foi um império de 1822 até 1889, quando se tornou uma república;
  • A nação teve dois governantes (D. Pedro I e D. Pedro II) e foi comandado por Regências entre o comando de Imperador e outro;
  • A transferência do título se deu de modo tradicional, ou seja, passou de pai para filho.